Para ajudar na luta contra a Covid-19, a NASA criou um protótipo de respirador barato feito de peças alternativas. Feito em apenas 37 dias, o respirador é mais barato e prático do que outros modelos. Além disso, o aparelho já foi aprovado em um importante teste realizado na Escola de Medicina de Icahn no Hospital Monte Sinai, nos Estados Unidos.

Para facilitar o acesso ao produto, administradores da agência ofereceram licença gratuita para baratear ainda mais o custo de produção. Com isso, sua produção em massa poderá ser viabilizada rapidamente. Isso faz com que o produto seja ideal para a situação crítica que estamos vivendo.

Um respirador mais prático e mais barato que modelos convencionais

Publicidade
continue a leitura

Recentemente, engenheiros do Laboratório de Propulsão a Jato (JPL, em inglês), da NASA, passaram a se dedicar ao projeto por conta do estoque limitado de respiradores mecânicos que está disponível em hospitais dos Estados Unidos. Dessa forma, o novo projeto foi batizado de VITAL. Assim, seu grande diferencial está no fato de que ele pode ser construído mais rapidamente e com um menor custo em comparação a um modelo original. Além disso, o aparelho é realmente adaptável e isso pode fazer a diferença em muitos casos. Desse modo, ele pode ser utilizado tanto em hospitais de campanha, como em centros de convenções, hotéis e outros tipos de estabelecimentos que acabaram recebendo um grande número de pessoas.

Publicidade
continue a leitura

Por mais que o aparelho possa suprir necessidades emergenciais, ele não deve substituir os aparelhos existentes em hospitais, que funcionam por anos. Por conta de suas peças mais baratas e menor tamanho, o VITAL deve durar entre três e quatro meses. De fato, ele foi desenvolvido especificamente para casos de Covid-19. "Nós somos especializados em naves espaciais, e não na fabricação de dispositivos médicos", afirmou o diretor do JPL da Nasa, Michael Watkins. "Mas, engenharia excelente, testes rigorosos e rápido desenvolvimento de protótipos são algumas de nossas especialidades. Assim, quando os integrantes do JPL perceberam que tinham o necessário para ajudar a comunidade médica e científica em geral, sentiram o que deviam fazer. Por isso, compartilharam sua habilidade, expertise e dinamismo", completou Watkins.

Quanto, de fato, custará o respirador?

Publicidade
continue a leitura

Para baratear o custo do produto, o grupo utilizou "partes que você normalmente não usaria na construção de um respirador. Existem cerca de 700 peças por aí que não estamos usado. Assim, não temos que competir com a cadeia de suprimentos", explicou J.D. Polk, chefe de saúde e medicina da NASA. Segundo Dave Gallagher, um dos associados do laboratório, o valor deve ficar entre US$ 2.000 e US$ 3.000, o que já muito abaixo do custo dos respiradores padrões. Para se ter uma ideia, respiradores de baixo custo da Gallagher custam cerca de US$ 16.000 cada.

Agora, a esperança da NASA é que a invenção seja aprovada em pouco tempo. Para isso, o produto deve passar pela Administração de Alimentos e Medicamentos dos Estados Unidos (FDA, em inglês). Em seguida, uma autorização de uso de emergência poderá ser anunciada. E claro, em momentos de crise como o que estamos vivendo, isso é essencial.

Publicado em: 27/04/20 18h22