Em algum momento da vida, pelo menos uma vez, todos nós já passamos pela desagradável situação de prisão de ventre. Se para todos nós essa situação é desagradável, imagina para quem sofre frequentemente desse mal. E por acaso você sabia que, em alguns casos essa prisão pode ser tão severa que pode ser doença. Essa é conhecida e chamada de Doença de Hirschsprung's ou Megacólon.

De acordo com o Dr. Júlio César M. Santos Júnior, na revista SBCP explica que essa doença é uma anomalia congênita, caracterizada pela "ausência de neurônios intramurais dos plexos nervosos parassimpáticos (Meissner e Auerbach), afetando o intestino grosso, em geral, nos seus segmentos mais distais, como o reto e o cólon sigmóide. Os principais sinais e sintomas da doença são a distensão abdominal que ocorre logo após o nascimento, com presença de vômitos e retardo de mais de 48 horas na passagem do mecônio, sem que haja um fator mecânico obstrutivo reconhecido de imediato." Essa doença é tão grave que pode levar à morte.

Um exemplo é a história de Emily Titterington, 16 anos, de Cornwall, Inglaterra, acabou tragicamente, quando a menina morreu, no dia 08 de fevereiro de 2013, depois de não defecar por oito semanas. Ela tinha autismo leve e lidava com problemas intestinais ao longo de toda sua vida. Emily possuía um medo tão grande de banheiro que a levou a reter suas fezes até se tornar fatal. Segundo a legista, a menina morreu devido a um ataque cardíaco, como resultado do alargamento de seu intestino que acabou por comprimir outros órgãos.

Um outro caso que podemos citar é o de um homem de 27 anos que sofria de constipação severa por mais de dez anos. Ele precisou passar por uma cirurgia para remover uma imensa quantidade de fezes que estavam alojadas em seu cólon. O homem, não identificado, foi até o Second People's Hospital, em Chengdu, na China, por causa de uma dor no estômago, mas não foi a primeira vez, e mesmo assim, anteriormente os médicos não conseguiram diagnosticar a causa das dores.

Publicidade
continue a leitura

Central de Notícias Europeia (CEN) informou que o coração do paciente havia se deslocado para a direita como consequência do aumento para o dobro do tamanho normal de seu cólon. Só assim foi possível que os médicos conseguissem diagnosticá-lo com megacólon congênito, essa doença pode causar paralisia dos movimentos intestinais e, até, levar a tumores fecais.

Com a cirurgia, os médicos conseguiram remover 4,9kg de fezes acumuladas no intestino do paciente, motivo pelo qual ele sentia tantas dores. A CEN informou que, atualmente, o homem está em recuperação.

02.

Pois é pessoal, reter fezes, apesar de meio absurdo e constrangedor, é um assunto muito sério que, como vimos, pode levar a consequências graves e até à morte. Por isso, qualquer problema mais grave ou anormal que você perceba, não deixe de procurar um médico e se informar mais sobre o assunto.

Publicidade
continue a leitura

01.

Algumas dicas para te ajudar em situações como essa são:

1) Comer mais fibras, ingerindo a quantidade necessária por dia (38g para homens e 25g para mulheres) você ajudará a manter seu intestino em movimento regular, colaborando para a eliminação das fezes;

Publicidade
continue a leitura

2) Beber muita água, já que as fezes são 95% compostas de água, ingerir h2o regularmente (mínimo de 3 litros por dia) além de te manter hidratado vai ajudar no processo de defecação;

3) Fazer mais exercícios, seja caminhar, correr, remar, fazer levantamento de peso, qualquer coisa que te faça movimentar irá refletir em seu intestino e cólon, ajudando a facilitar na próxima vez que precisar fazer o famoso nº2.

E se por acaso nenhuma dessas alternativas ajudar, laxante é uma opção para ajudá-lo com esse problema.
E você, já passou por alguma situação semelhante ou conhece alguém que já passou? Qual foi o resultado? Esperamos que tenha sido feliz. Não se esqueçam de comentar!

Publicado em: 02/05/16 00h06