Os segredos escondidos no mapa que trouxe Cristovão Colombo à América

POR Rafael Miranda    EM História      29/09/15 às 19h27

Em 1491, o cartógrafo alemão Henrique Martelo Germano criou um mapa múndi que pode ter ajudado Cristóvão Colombo a navegar no Atlântico. Hoje, depois de mais de 5 séculos depois, o mapa teve seus segredos revelados, incluindo centenas de nomes de lugares e mais de 60 passagens escritas em latim. Um exemplo é a informação sobre o Japão, que está marcado no lugar errado no mapa do século 15.

Para revelar os segredos, eles usaram 12 frequências de luz ultravioleta e infravermelho, bem como ferramentas de imagem e técnicas para decifrar certas palavras e passagens escondidas em camadas do mapa.

As imagens foram combinadas e digitalmente processadas de uma forma que foi possível descobrir informações que não podiam ser vistas a olho nu. Por exemplo, o Projeto Lazarus revelou uma passagem sobre o Japão, que no mapa é mostrado a 1.609 km da costa da Ásia.

Quando Colombo chegou nas Bahamas, ele pensou que era o Japão - um erro encontrado na localização do país asiático no mapa de Martelo. Um texto oculto no mapa dizia: 'Esta ilha fica a 1069 quilômetros do continente da província de Mangi (China); as pessoas têm sua própria língua e a circunferência da ilha é gigantesca'.

11

As descrições de Martelo sobre a Ásia são predominantemente inspiradas pelos escritos do século 13 de Marco Polo, enquanto outras passagens são emprestadas de Ptolomeu, um escritor greco-egípcio e polímata nascido em torno de 90 a.C.

Por exemplo, uma descrição do Saara diz: 'Saara, uma região de nômades, pois não tem cidades ou vilas. Uma passagem escrita do mapa foi retirada do 'Hortus Sanitatis ", uma enciclopédia ilustrada escrita em 1491.

Agora, uma equipe de pesquisadores da Universidade de Yale está usando uma técnica chamada "imagem multiespectral" para descobrir a informação escondida que Colombo tinha na ponta da língua. Os mapas mais antigos conhecidos datam da antiguidade clássica.

12

Os principais exemplos vem do século 6 e 5 a.C ainda baseados no paradigma da "Terra plana". Os mapas do mundo, assumiram que a Terra era esférica pela primeira vez no período helenístico. O desenvolvimento da geografia grega durante este tempo, com a influência de grandes nomes como Eratóstenes e Posidonius, culminou em criações como o mapa mundi de Ptolomeu (século 2 d.C), que permaneceria como base em toda a Idade Média.

Desde Ptolomeu, o conhecimento do tamanho aproximado do globo permitiu cartógrafos para estimar a extensão de seu conhecimento geográfico, e indicar as partes do mundo conhecido de existir, mas ainda não explorado como uma incógnita. Com a época dos Descobrimentos, durante os dias 15 e 18 séculos, mapas do mundo tornou-se cada vez mais precisas; exploração da Antártica e do interior da África foi deixado para os dias 19 e início do século 20.

O que é o mapa de Martelo?

13

O mapa de Martelo foi criado em 1491 pelo cartógrafo alemão Henrique Martelo. Dizem que Colombo usou esse mapa ou uma cópia para convencer Fernando de Aragão e Isabel de Castela a apoiá-lo na exploração do oceano no início da década de 1490.

O mapa foi feito por um cartógrafo alemão residente em Florença e reflete as mais recentes teorias sobre a forma do mundo. Através dele, por exemplo, foi possível provar que não havia uma grande distância entre a Europa e a China por mar.

O mapa também é a primeira a gravar o arredondamento do Cabo da Boa Esperança, na África do Sul em 1488. Isso provou que não havia uma ligação terrestre para a Ásia e que os europeus poderiam alcançar as riquezas das Índias Orientais por mar sem ter que passar por terras muçulmanas.

Fonte: NBC News

Rafael Miranda
Jornalista viciado em memes e amante da cultura pop.

Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, Clique aqui.
Curta Fatos Desconhecidos no Facebook
Confira nosso canal no Youtube
Siga-nos no
Instagram
Siga Fatos Desconhecidos no Google+