Curiosidades

Pessoas de olho azul têm um único ancestral de mais de 6 mil anos atrás

0

Existem diversas coisas que são consideradas naturalmente bonitas. Obviamente, isso varia muito do lugar onde você está, pois os “padrões” de beleza variam bastante. No entanto, uma coisa que chama bastante atenção em qualquer lugar do mundo é a cor do olho. Olhos claros são admirados por todo mundo, principalmente o olho azul.

A cor dos olhos é uma característica poligênica e é determinada pelo tipo de quantidade de pigmentos na íris do olho. Os humanos e os animais têm muitas variações fenotípicas na cor dos olhos. Nos olhos humanos, essas variações de cores são atribuídas a diversos rácios de melanina, produzida por melanócitos na íris.

Ninguém do mundo tem a mesma cor de olhos que você, isso é fato. Contudo, quem tem olho azul tem uma coisa em comum com todas as outras pessoas que também têm essa tonalidade de olho. Isso porque, todas essas pessoas são descendentes de um mesmo ancestral.

De acordo com pesquisadores da Universidade de Copenhague, o ancestral comum das pessoas de olho azul viveu entre seis e dez mil anos atrás e desenvolveu de forma espontânea essa mudança. Essa mutação herdada pelos seus descendentes é responsável pela cor dos olhos de aproximadamente 8 a 10% da população mundial atualmente.

Segundo o World Atlas, a maioria das pessoas com essa cor de olhos vive na Europa. A Finlândia representa a maior porcentagem de pessoas com olhos azuis.

Ancestral

Focus cosmus

Segundo o professor Hans Eiberg, do Departamento de Medicina Celular e Molecular, e autor principal do estudo, todos os humanos tinham originalmente olhos castanhos.

“Uma mutação genética que afeta o gene OCA2 em nossos cromossomos resultou na criação de um ‘interruptor’ que literalmente desativou a capacidade de produzir olhos castanhos”, explicou.

Esse gene OCA2 é quem codifica a proteína P, que está envolvida na produção de melanina, o que dá a cor aos cabelos, pele e olhos. O interruptor que o professor citou está em um gene adjacente. No caso, ele não desliga totalmente o OCA2, mas limita a ação dele. O que por sua vez diminuiu a produção de melanina na íris e “dilui” o olho castanho em olho azul.

Mutação

Diário de biologia

Já os olhos castanhos e verdes, diferentemente da mutação vista nos azuis, têm a sua intensidade definida pela quantidade de melanina de cada pessoa. Eiberg explica que essa mutação no olho azul não é nem positiva, nem negativa. Ela é apenas uma característica individual, da mesma forma que a cor do cabelo, calvície, sardas e manchas de beleza. Além disso, o professor ressaltou que a mutação não aumenta nem diminui a chance de sobrevivência de uma pessoa.

O que o estudo mostra é que a natureza está de maneira constante embaralhando o genoma humano, “criando um coquetel genético de cromossomos e experimentando diferentes mudanças ao fazê-lo”.

Olho azul

O povo

O olho azul fascina as pessoas, principalmente aquelas de olhos mais escuros e aquelas que realmente amam a cor. Existem algumas coisas a respeito dessa tonalidade que algumas pessoas podem não saber.

Por exemplo, os olhos azuis podem ter cores diferentes. Isso, dependendo das condições de iluminação. Isso acontece porque esses olhos obtêm sua cor da luz que entra e é refletida de volta para fora. Por conta disso é possível alterar ligeiramente a cor dos olhos e torná-los mais brilhantes ou opacos. Uma forma de fazer isso é através da maquiagem.

Além disso, como os olhos azuis são resultado de uma baixa quantidade de melanina na íris do olho, ou seja, a parte colorida, eles refletem mais luz ao invés de absorver. Esse fenômeno se chama o efeito Tyndall, e é ele que explica porque o azul é tão vibrante e transparente.

Fonte: Tecmundo

Imagens: Focus cosmus, Diário de biologia, O povo

Estudo revela o caso mais antigo de canibalismo da história

Matéria anterior

Império Inca: crianças eram drogadas e sacrificadas em vulcão, aponta estudo

Próxima matéria

Comentários

Comentários não são permitidos