Curiosidades

Por que existem jardins na orla de Santos?

0

O Brasil está entre os destinos turísticos preferidos de pessoas do mundo inteiro. Várias coisas chamam a atenção aqui, em nosso país. No interior do Brasil, podemos nos deparar com cachoeiras incríveis, um cerrado extremamente rico em diversidade e vilarejos com histórias ricas, que datam a época da escravidão. Mas, uma das coisas que mais despertam o interesse de estrangeiros e faz nascer o amor deles pelo país são as praias. Felizmente temos algumas das praias mais lindas do mundo. Cada um possui uma coisa diferente, que faz o local ser único. Entre esses lugares, um dos mais curiosos é Santos e sua orla feita de jardins.

Se você foi algum dia a Santos, presenciou esses jardins ou pelo menos ouviu falar da existência deles. Mas, por que construíram isso na orla da cidade? Bom, os Jardins de Santos são gigantes e se estendem por sete bairros da cidade, sendo eles: Aparecida, Boqueirão, Embaré, Gonzaga, José Menino, Pompeia e Ponta da Praia. Por lá podemos encontrar diversos recursos biológicos, espécies de flores e vários pássaros. Isso atrai turistas de vários cantos do Brasil e do mundo.

Os jardins são extremamente bem preservados e cuidados, o que faz do ambiente praiano de Santos um verdadeiro paraíso com palmeiras e amendoeiras. Os responsáveis pelos jardins são os departamentos de meio-ambiente da região, muito deles ligados às universidades ou instituições biológicas da cidade.

Origem dos jardins de Santos

O projeto começou em 1914, quando o engenheiro Saturninho de Brito teve a ideia dos jardins. Ele se uniu a 38 funcionários para fazer isso acontecer. Durante a década de 1920, os primeiros jardins surgiram próximos aos hotéis que iam da orla até a área das construtoras. Foi então que o poeta Vicente de Carvalho se uniu ao prefeito da época, Joaquin Montenegro, para liderar um movimento que conseguiu a cessão da área para o município. A conquista aconteceu no ano de 1922.

A ideia era de construir a “cidade-jardim” mas, em 1930, foi feito um treco com traçado retilíneo, que seguiu um estilo clássico. No ano de 1935, esse estilo se seguiu no trecho do bairro Gonzaga. Essa foi a primeira grande parte pronta do jardim. Na década de 1950, as avenidas da praia precisaram ser duplicadas, fazendo com que os jardins perdessem 15 km². Entretanto, nos anos 1960, Armando Martins Clemente assumiu o projeto e criou o traçado curvilíneo que temos hoje.

A vegetação dos jardins

Os Jardins de Santos possuem 5.335 metros de comprimento e sua largura varia entre 45 e 50 metros, tendo 218 mil m² no total. A vegetação fica bem em frente à faixa de areia da praia que vai de José Menina até a Ponta da Praia. Caminhando por lá, é possível ver longos gramados com alamedas de palmeiras e 19 espécies de arbustos isolados, formando um padrão único. O Jardim entrou para o Guinness Book, em 2002, por ser o maior jardim frontal à orla da praia.

Sobre a vegetação, podemos encontrar 719 canteiros, os que recebem o primeiro vento sul são plantas mais resistentes que fazem barreira para os canteiros internos. Por lá podemos ainda encontrar 77 espécies de flores perenes, predominando os lírios amarelos e brancos, biris vermelhos, crisântemos brancos, amarelos e mesclados. Segundo o último levantamento, há 1746 árvores, onde 943 são palmeiras de 21 espécies diferentes.

E aí, o que você achou dessa matéria? Comente então pra gente aí embaixo e compartilhe com seus amigos. Vale lembrar que o seu feedback é extremamente importante para o nosso crescimento.

Beyoncé: Curiosidades sobre uma das artistas mais premiadas da história

Matéria anterior

Dormir menos de seis horas por dia está relacionado com demência

Próxima matéria

Mais em Curiosidades

Você pode gostar

Comentários

Comentários não permitidos.