Entretenimento

Problemas de saúde que astronautas podem enfrentar no espaço

0

Para ser um astronauta, é necessário ter uma saúde muito boa e estar com um bom condicionamento físico. No entanto, isso não significa que os astronautas que saem em missões não tenham problemas de saúde. Veja alguns casos de astronautas que enfrentaram desafios no espaço.

Apollo 7

NASA

A Apollo 7, lançada em 11 de outubro de 1968, foi a primeira missão tripulada a orbitar a Terra depois da tragédia da Apollo 1. Essa missão, por sua vez, teve um incêndio na cabine, o que resultou na morte de toda a tripulação. Logo, o módulo de comando foi reformulado para o novo lançamento.

As tensões estavam altas porque, caso a Apollo 7 falhasse, provavelmente nunca teríamos visto Neil Armstrong dar seu passo na Lua. No caso, não aconteceria na mesma década, como era o plano do presidente estadunidense John F. Kennedy desde 1961.

Assim, a Apollo 7 estava sob o comando de um dos astronautas mais experientes da Nasa, Wally Schirra. Ele já era veterano das missões Mercury e Gemini. Além disso, estavam na missão os astronautas novatos Don Eisele e Walt Cunningham. Na época, os analistas previram que seria a tripulação a fazer a primeira tentativa de pouso na Lua.

No entanto, apenas poucas horas depois do lançamento, o astronauta no comando pegou um resfriado. Cunningham conta que isso teve um impacto tremendo.

“Wally precisava assoar o nariz com bastante frequência, e ele assoava o nariz uma vez e jogava o lenço de papel fora. Depois de algumas vezes, Don e eu dissemos: ‘Não, não, você vai ter que usar esses lenços de papel mais de uma vez’”.

Com a cápsula cheia de lenços e uma tripulação irritada, Schirra estava rabugento. Isso porque recusou instruções, questionou procedimentos e até mandou o chefe para o inferno. Contudo, a missão foi considerada um triunfo técnico por ter provado a capacidade da nave Apollo e voltou à Terra após 11 dias em órbita.

Apollo 13, 15 e 16

NASA

Os astronautas recebem acompanhamento de uma equipe de médicos antes, durante e depois das missões. Dessa forma, registram irritação nos olhos, irregularidade dos batimentos cardíacos e erupção cutânea causada pelo uso prolongado de um dispositivo de coleta de urina nas missões Apollo.

Além disso, na Apollo 13, a tripulação sofreu desidratação. Em uma missão de coleta de amostra lunar, um astronauta até deslocou o ombro.

Assim, três outros astronautas relataram casos de gases excessivos, provavelmente por conta da dieta. Já os problemas cardíacos reportados na Apollo 15 poderiam estar relacionados à falta de potássio. Então, por conta disso aumentaram o estoque de frutas cítricas na Apollo 16.

Dessa forma, a dieta não é muito agradável. John Young, comandante da Apollo 16, pisou na Lua e logo em seguida relatou ao colega, Charlie Duke, sua insatisfação com a nova dieta. Essa conversa foi transmitida ao mundo todo.

“Estou peidando de novo”, diz ele a Duke. “Não sei o que diabos está me causando isso… acho que é acidez no estômago. Não como tanta fruta cítrica há 20 anos!”, ele acrescenta. “E vou te dizer uma coisa, daqui a 12 dias, não vou comer nunca mais.”

Astronautas em quarentena

Astronautas da Apollo 11

Wikimedia Common

A tripulação da Apollo 11 pousou nas águas do Oceano Pacífico, mas não foram recebido com abraços ou apertos de mão. Isso porque a equipe de resgate colocou os astronautas em trajes de proteção biológica e selou a escotilha novamente.

Só depois que foram transportados de helicóptero para o USS Hornet e entraram em um trailer adaptado que conseguiram tirar os trajes e respirar normalmente. Dessa maneira, a medida era de proteção contra germes e patógenos do espaço.

Fonte: BBC

Ao perder filho de 2 anos, pai cria dispositivo para ajudar outras crianças

Matéria anterior

Cientistas desvendam mistério de esponja marinha nas profundezas do Ártico

Próxima matéria

Comentários

Comentários não são permitidos