Mundo Animal

Saiba o motivo do desaparecimento do megalodonte, o maior tubarão que já existiu

0

A luta por alimentos na pré-história pode ter sido o motivo da extinção do megalodonte, o maior tubarão que já viveu no planeta.

Um estudo realizado com os dentes de fósseis desse gigante dos oceanos indica que ele precisava competir por alimentos com outro predador feroz, o grande tubarão-branco. A batalha pela diminuição da quantidade de baleias e outras presas pode ter levado o megalodonte à extinção, três milhões de anos atrás.

No entanto, vale destacar que as pressões ambientais, como mudanças dos níveis dos mares, também contribuíram para a extinção do maior tubarão que já viveu na Terra.

A extinção do megalodonte é um mistério que persiste há anos na ciência. Diversos fatores foram propostos, desde a perda do habitat por causa das mudanças dos níveis dos mares até a redução da quantidade de presas.

Na pesquisa mais recente, os cientistas utilizaram isótopos de zinco nos dentes de tubarões vivos e extintos como ferramenta para entender a alimentação desses animais.

Vestígios de substâncias nos dentes de tubarões vivos e em 13 fósseis de dentes de megalodonte apontam que o tubarão-branco e o megalodonte já ocuparam posições semelhantes na cadeia alimentícia. Esses dois animais podem ter competido pelos mesmos alimentos, incluindo baleias, golfinhos e botos. Isso pode ter sido um fator para a extinção dos megalodontes, juntamente com as mudanças climáticas e outros fatores ambientais.

“Esta é uma peça do quebra-cabeça de evidências de que houve concorrência entre o grande tubarão-branco moderno e o megalodonte por recursos alimentícios aquáticos nos oceanos, quando os dois ainda viviam”, afirmou o líder do estudo Thomas Tutken, professor da Universidade Johannes Gutenberg, de Mainz, na Alemanha.

Ao falar sobre a pesquisa, publicada na revista Nature Communications, Catalina Pimiento, da Universidade de Swansea, no País de Gales, informou que mais trabalhos são necessários para explicar o que aconteceu com o megalodonte.

Segundo a especialista, a extinção foi estudada de muitos ângulos diferentes ao longo da última década e estudos apontam diversos fatores.

“O mistério sobre o que comia o megalodonte e até onde ele competia com os outros tubarões permanece”, afirma Pimiento.

Qual era o tamanho do megalodonte?

Foto: Getty Images/ BBC

O megalodonte (Otodus megalodon) era um tubarão com dentes enormes. Ele vivia nos oceanos entre 3 e 22 milhões de anos atrás. O nome do animal significa “dente grande”.

Três vezes maior que o grande tubarão-branco, o megalodonte poderia crescer até 18 metros de comprimento e pesar até 60 toneladas.

Vale lembrar que um estudo recente, feito por pesquisadores da Universidade DePaul (EUA), apontou que os megalodontes menores gostavam de ficar próximos de regiões mais aquecidas, enquanto os gigantes preferiam o clima mais frio. A pesquisa informa que essa mudança de temperatura tinha uma influência direta em seus tamanhos.

Menino de 6 anos encontra dente de tubarão gigante de milhões de anos

Foto: Peter Shelton/Reprodução

No mês de maio, o termo megalodonte chegou ao noticiário quando um menino de seis anos encontrou um dente de tubarão que pertencia a um gigante megalodonte pré-histórico em Suffolk, no leste da Inglaterra. Sammy Shelton achou o dente de 10 cm de comprimento na praia de Bawdsey.

Peter Shelton, pai de Sammy, revelou aos jornais locais que ao encontrarem a presa, sabiam ser de um tubarão, mas não imaginavam a sua importância. “Sabíamos o que era, mas não o quão raro era”, disse Shelton.

O pai da criança também contou que o garoto está muito apegado ao dente e que, inclusive, dorme com ele.

De acordo com o jornal britânico Great Yarmouth Mercury, pai e filho estavam procurando fósseis quando encontraram o dente do tubarão megalodonte.

“Sammy estava muito animado porque encontramos fragmentos de dentes de tubarão na praia, mas nenhum tão grande e pesado quanto esse”, afirmou Peter.

Fonte: G1, Giz Modo

Menina de 3 anos vira fã de caminhão de lixo e fica amiga do lixeiro

Matéria anterior

Importação de cannabis medicial cresce 15 vezes em 5 anos

Próxima matéria

Comentários

Comentários não são permitidos