Será que cadáveres podem se mexer?

POR Thamyris Fernandes    EM Ciência e Tecnologia      19/08/14 às 18h50

Velória é algo complicado para a família, que sofre com a perda do ente querido; e para os medrosos que costumam aparecer nessas ocasiões. Se for durante a noite, então, tem gente que dá tudo para não ficar. Apesar do maior medo dessas pessoas ser o defunto se levantar do caixão, os cientistas garantem que alguns "sustos" podem realmente ser tomados nas primeiras horas do morto.

Isso porque, como garantem, é possível que o falecido se mexa... ou melhor, mexa seus membros, como braços e pernas. Isso, claro, sempre costuma deixar muita gente à beira de um ataque, mas a explicação para esse tipo de acontecimento é completamente científica.

Conforme os médicos, a suposta "movimentação" é apenas um resultado da rigidez cadavérica, que tem início de uma a duas horas após a morte. A partir desse período, até completar 24 horas do falecimento, a pessoa passa por um esgotamento das reservas de ATP, que são moléculas que armazenam energia para os músculos.

1

Como a tal ATP vai acabando, os filamentos musculares ficam unidos e é nesse momento que pode acontecer uma movimentação brusca, casos os membros do morto estejam extendidos. Esse movimento, inclusive, tende a ser sempre em direção ao centro do corpo. Fatores como temperatura e até a causa da morte podem também estimular esses acontecimentos.

Outra coisa que também pode dar medo, são alguns barulhos que os defuntos ainda podem produzir, como arrotos e até mesmo o deselegante "pum". Mas isso também não faz parte de obras sobrenaturais. Pelo contrário, são resultantes dos gases que a ação das bactérias no corpo costumam acumular.

Entendeu?

Thamyris Fernandes
EQUIPE FATOS DESCONHECIDOS, BRASIL

Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, Clique aqui.
Curta Fatos Desconhecidos no Facebook
Confira nosso canal no Youtube
Siga-nos no
Instagram
Siga Fatos Desconhecidos no Google+