Ciência e TecnologiaCuriosidades

Vacina do Butantan, CoronaVac, tem 100% de eficácia para casos graves de covid-19

0

De acordo com uma reportagem, publicada pelo portal R7, a CoronaVac, vacina desenvolvida pelo Instituto Butantan em parceria com a farmacêutica chinesa Sinovac, possui 100% de eficácia em casos graves e moderados, em relação à doença ocasionada pelo Covid-19. Em relação aos casos leves, o imunizante apresenta 78% de eficácia.

Em nota, o Instituto Butantan informou que quem tomar a CoronaVac “estará com a vida salva e com chances mínimas de agravamento da covid-19”. Os estudos clínicos com o imunizante aqui no Brasil encontram-se em Fase 3 e os dados foram divulgados pelo governo de São Paulo nesta quinta-feira, 7. Os detalhes serão divulgados para a imprensa ainda hoje, na sede do instituto.

Início da vacinação em São Paulo

Nesta quarta-feira, 6, após fazer uma reunião virtual com os 645 prefeitos dos municípios paulistas, o governo de São Paulo voltou a afirmar que a campanha de vacinação no Estado segue prevista para o dia 25 de janeiro. A data em questão refere-se ao dia de aniversário da capital paulista. Durante a reunião, Jean Gorinchteyn, secretário de saúde do Estado, intensificou a necessidade dos gestores municipais se unirem para iniciar uma campanha de imunização em massa.

“O programa vai ocorrer, está desenhado para ter início, no dia 25 de janeiro. Para que esse plano seja de exemplo ao país, de proteção à vida, precisamos de cada um de vocês, de cada um dos municípios, apoio que sempre deram para outras campanhas, mas essa é diferente: estamos no meio de uma das maiores crises sanitárias já vividas”, argumentou.

O programa de vacinação elaborado pelo governo do estado de São Paulo deve acontecer de segunda a sexta-feira, das 7 horas às 22 horas, e nos finais de semana, das 7 horas às 17 horas. “Conseguimos ampliar pontos de vacinação para mais de 10 mil e serão utilizadas escolas, quartéis da PM, estações de trens e ônibus, além de farmácias e esquemas de drive-thru”, detalhou Gorinchteyn.

Vacinação no Brasil

O ministro da saúde, general Eduardo Pazuello, na manhã desta quarta-feira, 06, em uma reunião ministerial que aconteceu no Palácio do Planalto, detalhou às autoridades presentes e ao presidente Jair Bolsonaro detalhes do plano de vacinação contra a Covid-19.

Durante o encontro, o ministro expôs um panorama sobre as negociações referentes à compra de vacinas. Conforme uma reportagem publicada pelo portal G1, Pazuello afirmou que a população começará a ser vacinada antes do próximo dia 25. A data é a mesma que foi estabelecida pelo governador de São Paulo, João Doria, para o início da campanha de vacinação no estado.

Ainda de acordo com o portal G1, as primeiras doses que serão disponibilizadas pelo Ministério da Saúde pertencem foram compradas da Índia. Ao todo, o governo federal adquiriu 2 milhões de doses do imunizante fabricado pelo laboratório Astrazeneca e pela Universidade de Oxford. A vacina é a mesma que está sendo fabricada pela Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz).

O ministro, segundo relatos das autoridades que participaram da reunião, afirmou que o Brasil, assim que iniciar a campanha de vacinação, fará de tudo para imunizar a população de forma rápida e eficiente. Para efetuar uma nova compra de um novo lote de vacinas, o governo federal ainda depende de uma medida provisória, que está sendo elaborada por ministérios sob a coordenação da Casa Civil.

Pazuello informou ainda que o ministério, no momento, encontra-se nos trâmites finais de negociações com a Pfizer.

Os X-Men agora têm seu próprio Groot

Matéria anterior

Caçador de tesouros é preso com 27 mil artefatos arqueológicos

Próxima matéria

Você pode gostar

Comentários

Comentários não permitidos.