Curiosidades

Caçador de tesouros é preso com 27 mil artefatos arqueológicos

0

Um caçador de tesouros francês acumulou, ao longo dos anos, uma coleção com mais de 27.000 artefatos arqueológicos estimados em 772.685 euros e, por isso, acabou sendo acusado de realizar um dos maiores saques da história.

De acordo com a Smithsonian Magazine, as autoridades belgas passaram a investigar Patrice T em 2019, logo após descobrirem que 14.154 moedas romanas estavam sob seu domínio. Na época, o caçador de tesouros alegou que havia desenterrado as moedas de um pé de maçã, que estava em seu pomar, em Gingelom, no leste de Bruxelas.

Na Bélgica, utilizar um detector de metais para encontrar preciosidades é legal e quaisquer artefatos descobertos na propriedade de uma pessoa passam, por lei, a pertencer à mesma. No entanto, a história contada por Patrice T acabou levantando suspeitas.

Artefatos

As moedas, que foram encontradas com Patrice T, foram analisadas por agentes da Agência de Patrimônio Imobiliário da Bélgica, oficiais da alfândega francesa e cinco especialistas em arqueologia.

Uma das especialistas, a arqueóloga Marleen Martens, ficou extremamente surpresa ao descobrir que as moedas estavam guardadas em grandes baldes dentro do porta-malas do carro do caçador de tesouros.

“Quando as autoridades me falaram sobre o caso, eu achei que ele tinha encontrado apenas algumas moedas. Fiquei em choque quando vi os agentes retirando dois baldes cheios de moedas do porta-malas do suspeito”, disse Martens. “Nunca tinha visto tantas moedas antigas em minha vida”.

Depois que Martens e sua equipe examinaram as moedas, as autoridades descobriram que nem todas haviam sido encontradas em uma única propriedade. “Durante a análise, percebemos que era impossível todas as moedas ter sido retiradas de um único local”, disse Martens ao jornal flamengo Het Nieuwsblad.

“Algumas, por conta dos detritos, estavam em uma camada da Terra que se formou após a Idade Média. Mas só algumas”, explicou a arqueóloga.

Os outros tesouros arqueológicos

Com a conclusão das análises, as autoridades decidiram realizar uma busca na casa de Patrice T. Durante a vistoria, os agentes encontraram mais de 13.000 outros artefatos raros. A vasta coleção arqueológica foi estimada em 772.685 euros.

O conteúdo guardado por Patrice T, de acordo com as autoridades, é impressionante. Entre eles estavam pulseiras e colares da Idade do Bronze, fragmentos de ornamentos, estátuas antigas e outros itens que datam da Idade Média e do Renascimento.

Um raro dodecaedro romano, o qual estima-se existirem apenas 100, também foi descoberto entre a coleção. Os investigadores acreditam que Patrice T adquiriu os artefatos em várias partes da França, onde o uso de detectores de metais para descobrir tesouros é ilegal.

Acredita-se que o caçador de tesouros tenha usufruído das divergências legais existentes entre a França e a Bélgica. Para as autoridades, Patrice T aproveitava brechas nas leis entre ambos os países, não só para aumentar sua coleção, mas também para encontrar compradores.

Essa não é a primeira vez que Patrice T teve problemas com as autoridades. Esse também foi um outro fator que levou os agentes a investigarem o caçador de tesouros. Há quase três décadas, Patrice T foi pego com 5.250 moedas que datam do terceiro e quarto século d.C.

Na época, Patrice T disse às autoridades que havia encontrado as moedas em um trecho de uma estrada em Pierreville. O caçador acabou ficando com as moedas.

Vacina do Butantan, CoronaVac, tem 100% de eficácia para casos graves de covid-19

Matéria anterior

Os filmes mais assustadores, segundo medidor de frequência cardíaca

Próxima matéria

Comentários

Comentários não são permitidos