CuriosidadesHistória

6 livros que causaram grandes danos ao mundo

0

Desde que o mundo é mundo, muitas coisas já aconteceram. Diversas coisas contribuíram para as mudanças, fazendo com que as coisas se tornassem isso que conhecemos e vivemos hoje. É muito importante estudar história para entender sobre o passado, assim podendo mudar o futuro. Por sorte, existem os livros, onde podemos encontrar diversas informações. Isso porque eles são um dos maiores recursos que temos até hoje, mesmo na era da internet. No entanto, é preciso ter muito cuidado, pois vários livros que conhecemos foram escritos com a intenção de enganar as pessoas, trazendo informações falsas capazes de causar grandes danos.

Escrituras enganosas foram responsáveis por diversas mortes e destruição em larga escala, além de regimes governamentais perversos. E foi pensando um pouco sobre o assunto, que decidimos trazer essa matéria para você, caro leitor. A redação da Fatos Desconhecidos buscou e listou alguns livros que causaram grandes danos ao mundo. O traço comum entre eles é a quantidade de falsas informações que resultaram em destruição. Confira então conosco a seguir e surpreenda-se. Aproveite para compartilhar essa matéria com seus amigos e, sem mais delongas, vamos lá.

Livros que causaram grandes danos ao mundo

1 – O Martelo das Feiticeiras (Heinrich Kramer e Jakob Sprenger, 1486)

Esse livro começa a lista por um motivo: inflamava a caça às bruxas em toda a Europa. A obra era um manual para caçadores de bruxa e juízes para pegá-las e eliminá-las. Foi lançado um pouco antes da Reforma Protestante e entra na lista de livros mais populares entre os reformadores, que queriam expulsar o “mal” de suas terras. Entre 1487 e 1530, vinte edições do livro foram publicadas. Outras dezesseis entre 1574 e 1669.

2 – Maioridade em Samoa (Margaret Mead, 1928)

A autora do livro, Margaret, foi uma antropóloga cultural americana que viajou para Samoa. Ela tinha a intenção de responder às questões sobre sexualidade colocadas na América na década de 1920. Os jovens entrevistados por ela em Samoa contaram histórias selvagens de promiscuidade sexual. Ela então relatou tudo. O problema é que algumas das entrevistadas falaram para ela que tudo não passou de brincadeira, que as meninas de Samoa são mentirosas quando esse é o assunto. O livro então acabou criando confusões e aspirações sexuais.

3 – O Príncipe (Nicolau Maquiavel, 1532)

Esse livro é um tratado destinado a governantes que abandonaram todos os escrúpulos, isso a ponto de que eles podem ver o mal como potencialmente mais benéfico para a sociedade, do que o bem. Maquiavel queria causar uma revolução no coração dos leitores e conseguiu isso. De forma orgulhosa, declarou coisas que outros antes dele apenas ousaram sussurrar. Segundo o autor, “não é necessário que um príncipe tenha todas as qualidades de um ser humano, mas é necessário aparentá-las. Não, atrevo-me a dizer que por tê-los e sempre observá-los, eles são prejudicais; e parecendo tê-los, eles são úteis”. Algumas pessoas foram inspiradas por esse livro, como Stalin, Hitler, Mussolini e Napoleão I da França.

4 – Mein Kampf (Adolf Hitler, 1925)

Esse é um dos livros mais polêmicos, pois ajudou a espalhar o anti-semitismo genocida de Hitler. Na obra, o governante esboçou seu plano racista para uma nova Alemanha. Isso incluía assassinato em massa de judeus e uma guerra contra a França e Rússia. Tudo isso para dar espaço aos alemães. Quando Hitler subiu ao poder, o livro ganhou força. Estima-se que 100 milhões de cópias tenham sido vendidas.

5 – Os Cuidados com o Bebê e com a Criança (Benjamin Spock, 1946)

Esse é outro na lista dos livros polêmicos. Isso porque ele causou mortes por maus conselhos. Não podemos negar que diversas crianças morreram no berço por causa do seu conselho de colocar os bebês para dormirem de bruços. Este conselho foi extremamente influente nos profissionais de saúde até a década de 1990. O conselho do autor foi o responsável por mortes por asfixia em crianças. Estima-se que pelo menos 50 mil crianças tenham morrido por isso.

6 – Os Protocolos de Sábios de Sião (Desconhecido)

Esse livro causou sérios danos por incitar o ódio racial. A obra é, na verdade, um livreto que pretende descrever uma trama dos judeus e da maçonaria mundial para dominar o mundo. Apesar do fato de tudo isso ser uma farsa, ele foi bastante divulgado e considerado por muitos europeus. Ele foi fundamental para a luta anti-judia de Hitler na Alemanha e ainda foi usado após a Revolução Russa, para perpetrar ódio e violência contra judeus.

E aí, o que você achou dessa matéria? Comente então pra gente aí embaixo.

Inglaterra aprova vacina da Pfizer e vacinação pode começar ainda em dezembro

Matéria anterior

A sua retrospectiva do Spotify já está liberada. Veja como vê-la

Próxima matéria

Mais em Curiosidades

Você pode gostar

Comentários

Comentários não permitidos.