7 alimentos comuns que só existem graças ao ser humano

POR Natália Pereira    EM Natureza      10/04/18 às 16h37

Existe uma enorme variedade de frutas espalhadas pelo mundo. E, acredite ou não, você provavelmente não sabe sobre a existência de muitas delas. Acontece que, mesmo com toda a controvérsia relacionada aos transgênicos, a maioria dos alimentos que conhecemos hoje já foram modificadas geneticamente. E o motivo pelo qual a maioria não sabe disso é porque alguns debates recentes fizeram com que acreditássemos que o problema também é recente.

A verdade sobre o desenvolvimento dos organismos geneticamente modificados é que, apesar da tecnologia desenvolvida pelos transgênicos só ter se desenvolvido por volta da década de 1970, muitos alimentos popularmente conhecidos já haviam sofrido mudanças antes disso. E, durante todos esses anos, você provavelmente nem imaginava que estava consumindo um alimento "natural" que foi, tecnicamente, criado pelo homem. Essas frutas e sementes são algumas delas e você irá ficar chocado com grande parte deles.

1 - Melancia

As belas, grandes e suculentas melancias não eram exatamente como as conhecemos hoje. Na verdade, esta fruta foi uma das mais modificadas em toda a história. Elas foram modificadas, inicialmente, pelos africanos subsaarianos. Fazendo com que o seu tamanho fosse aumentado e as suas cores parcialmente modificadas. Mas, com o tempo, as mudanças se tornaram ainda mais evidentes.

Dados afirmam que as espécies originais da melancia eram compostas majoritariamente por sementes e pesavam apenas 80 gramas. Enquanto isso, as mais modernas pesam de 2 a 8 quilos e são compostas por 91,5% de água. É importante lembrar também que, depois que foram levadas para a Ásia e a Europa, elas se tornaram ainda maiores, mais doces e mais 'preenchidas'. Além disso, a sua cor vermelha é causada pela superprodução de um composto chamado licopeno, que foi inserido propositalmente pelos humanos.

2 - Banana

Nunca parou para pensar no quanto as bananas parecem perfeitamente programadas para o consumo? Elas são fáceis de se descascar e não possuem sementes. Como poderiam ser mais atrativas do que isso? Bom, para falar a verdade, existe um motivo por trás disso. Elas foram realmente programadas para serem desta forma. Para se ter uma ideia, as 'bananas silvestres' são completamente diferentes das que encontramos e consumimos normalmente.

Essa espécie primitiva é, mais uma vez, majoritariamente composta por sementes, tem um tamanho reduzido e são mais resistentes. E, se você parar para analisar esses fatores, elas geralmente não são comestíveis. Acredita-se que a mutação genética que as transformou na fruta que conhecemos hoje tenha durado cerca de 6.500 anos.

3 - Milho

Todos sabem que o milho é um grande alvo dos transgêneros, mas estudos mostram que a fruta em si já é uma grande modificação genética. Na verdade, o seu ancestral é uma erva conhecida como Zea. Ela foi selecionada e reproduzida pelos mesoamericanos a mais ou menos 10.000 anos e, em determinado momento, acabou adquirindo a forma como a conhecemos hoje.

Mas, o mais interessante é que não houveram grandes mudanças em sua genética. Aparentemente, a mais significativa delas fez com que a ramificação da haste reduzisse. Além disso, o milho que conhecemos hoje possuí apenas 5 genes a mais do que a espécie antiga.

4 - Abóbora

As abóboras são originárias da América do Norte quase foram extintas a cerca de 14 mil anos. E, aparentemente, começaram a ser "domesticadas" a 7 mil anos atrás. Mas, mesmo que ela não possua ancestrais vivos conhecidos, estudos descobriram algumas de suas características anteriores. Aparentemente elas eram menores, com menos sementes e tinham um gosto amargo. O seu sabor era assim devido as cucurbitacinas, uma das substâncias mais amargas conhecidos pela ciência. Elas sofreram alterações em seu sabor, tamanho, forma, cor e número de sementes.

5 - Café

O consumo de café é extremamente alto em grande parte do mundo e, para se ter uma ideia, dados do IBGE afirmam que cerca de 80% dos brasileiros consomem o produto. E, se você parar para pensar, a maioria das espécies desse fruto foram modificadas para agradar o paladar humano. Existem atualmente cerca de 10 espécies diferentes e suas variedades foram desenvolvidas para se tornarem mais ou menos amargas, abrangendo ainda mais seu público. Para quem não sabe, o café é uma semente do fruto do cafeeiro. Ela começou a ser cultivada na Índia em 1600.

6 - Amêndoa

As amêndoas são pequenas e inofensivas, mas nem sempre foram assim. Apesar de não se saber muito sobre como ela acabou se tornando a amêndoa moderna que conhecemos hoje, as suas espécies selvagens eram amargas, espinhosas e mortais. Elas mantinham uma quantidade considerável de cianeto, que era liberado assim que alguém tentava comê-las.

7 - Trigo

A história do trigo pode ser muito mais antiga do que você imagina. Ele foi um dos principais alimentos cultivados durante o período em que o ser humano estava deixando o estilo de vida nômade e aderindo a técnicas agrícolas. Inicialmente, eles acabavam se alimentando das sementes de trigo perdidas mas, em determinado momento, acabaram coletando-as e plantando em um local próximo. Isso fez com que ela começasse a ser modificada, alterando principalmente o seu tamanho e valor nutricional.

Outra alteração importante em seu comportamento é que anteriormente, as suas plantas eram quebradiças, para que as sementes pudessem se espalhar pelo ar. Mas, com o passar do tempo, elas acabaram perdendo esse fator e possibilitando que as pessoas pudessem colher as sementes que plantavam.

Todos esses alimentos foram modificados durante o passar dos anos para pudessem se tornar comestíveis e agradar o paladar humano. Ainda assim, muitos não sabem disso. Mas e vocês, sabiam que esses alimentos haviam sido modificados geneticamente? Qual outro deveria estar na lista?

Natália Pereira
EQUIPE FATOS DESCONHECIDOS, BRASIL

Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, Clique aqui.
Curta Fatos Desconhecidos no Facebook
Confira nosso canal no Youtube
Siga-nos no
Instagram
Siga Fatos Desconhecidos no Google+