7 coisas que você não sabia sobre o ataque a Pearl Harbor
Tempo de leitura:2 Minutos, 14 Segundos

7 coisas que você não sabia sobre o ataque a Pearl Harbor

O ataque a Pearl Harbor foi o marco da participação dos Estados Unidos e do Japão na Segunda Guerra Mundial. O ataque à base naval dos EUA, no território do Havaí, aconteceu de surpresa. Na manhã do dia 7 de dezembro de 1941, mais de 2 mil militares americanos foram mortos e outras centenas de civis se feriram.

O ataque aconteceu depois que a relação entre EUA e Japão se deteriorou drasticamente. Em setembro daquele ano, os EUA ameaçaram declarar guerra ao Japão caso houvesse alguma invasão do país nas regiões do sudeste da Ásia ou no Pacífico sul. No entanto, os japoneses interpretaram a ameaça como um ultimato e decidiram realizar o primeiro ataque.

1 – Tigre! Tigre! Tigre!

O comandante da marinha japonesa e coordenador das tropas no dia do ataque, Mitsuo Fuchida, disse ao restante da esquadrilha: “Tora! Tora! Tora! ”, que traduzido, significa “Tigre! Tigre! Tigre!”. A mensagem quis dizer que eles tinham conseguido pegar os americanos de surpresa.

2 – Planejamento do ataque

Os japoneses começaram a planejar o ataque muito antes, em janeiro de 1941. A frota para o ataque surpresa contava com 353 aviões. O dia escolhido, um domingo, também foi estratégico. Os japoneses acreditavam que o inimigo estaria relaxado e distraído, o que atrasaria uma resposta ou retaliação.

3 – Porta-aviões

Os porta-aviões eram o principal alvo dos japoneses. No entanto, nenhum deles estava na base no momento do ataque e por isso os japoneses cancelaram o segundo ataque.

4 – Conspiração?

Existe uma teoria da conspiração de que o presidente Franklin D. Roosevelt provocou os japoneses de propósito. Assim, ele poderia influenciar a opinião americana e o país poderia entrar na guerra.

5 – Grito de guerra

Pearl Harbor se tornou um grito de guerra dos soldados americanos. Enquanto estavam no campo de batalha, durante a Segunda Guerra, era comum que os americanos relembrassem o ataque com o grito de guerra.

6 – Plano friamente calculado

O ataque já estava sendo planejado há tempos. No entanto, os japoneses realmente não queriam levantar suspeitas. Várias declarações foram feitas por parte do Japão, todas expressando o desejo de manter a paz.

7 – Declaração formal de guerra

Em 1999, uma série de documentos japoneses foram encontrados. Os textos mostravam o debate dentro do governo, sobre notificar ou não os EUA sobre a intenção de iniciar uma guerra. Ao que parece, os militares não queriam enviar a notificação, o que de fato ocorreu. Na outra hipótese, o ataque deveria começar 30 minutos após a notificação ser entregue, o que não aconteceu.

Como nunca houve um aviso sobre a declaração de guerra antes do ataque, um tribunal militar internacional, chegou a considerar o ataque um crime de guerra.