• MAIS LIDAS
  • QUIZ
  • VÍDEOS
  • ANUNCIE

7 invenções que estão sendo usadas para coisas diferentes do que seus inventores pretendiam

POR Natália Pereira    EM História      21/03/18 às 19h47

Antes que possam chegar até a sua casa, os produtos precisam passar por um grande número de etapas. Esse processo é longo e complicado, por isso, é preciso manter uma ideia fixa do que você pretende alcançar com ele, para que isso possa se concretizar no final. Ou seja, antes de serem produzidos, todo criador sabe exatamente o que deseja alcançar com a sua criação. Mas, infelizmente, nem sempre esse objetivo e passada de forma correta para o seu consumidor, fazendo com que ele use o produto como bem entende.

É comum que, depois prestar atenção, acabemos encontrando novas funcionalidades para os produtos que tempos em nossa casa. E, se tratando dos brasileiros, quem melhor do que nós para encontrar uma forma prática de reutilizar as coisas que possuímos? O famoso 'jeitinho brasileiro' faz com que isso pareça algo comum. Mas, em algum momento, você já parou para pensar porque determinado produto foi desenvolvido? Qual a intenção por trás dele e a sua verdadeira função? Você provavelmente acaba consumindo muitas coisas de forma errada, mesmo sem saber disso. E esses são alguns deles, você vai se surpreender com a sua função original.

1 - Flocos de milho

Em algum momento, provavelmente na sua infância, você já deve ter comido os famosos cereais - flocos de milho. Com o tempo, muitos acabaram usando o alimento como uma refeição matinal, para iniciar o dia com energia, e até colocando leite sobre ele para acompanhar. Mas, para falar a verdade, o seu objetivo inicial era o oposto disso. O cereal foi produzido por um homem chamado Will Kellogg. Ele e seu irmão eram donos de um sanatório e as suas ideologias rígidas acabaram dando origem ao produto.

Will acreditava que o sexo era o maior pecado de todos, sendo impuro e errado sob qualquer circunstância, mesmo entre esposo e esposa. Apesar de ser casado, ambos não mantinham relações sexuais e até dormiam em quartos separados para evitar a tenção. Com o objetivo de resolver o problema, Will criou um alimento com gosto insípido, sem açúcar ou qualquer outro tempero. Ele acreditava que isso faria com que o desejo sexual diminuísse. Seus pacientes acabaram tendo que se alimentar com o cereal e, um tempo depois, ele acabou tentando vender o produto para jovens, para diminuir o seu libido, mas isso não deu certo. Foi seu irmão, John, quem adicionou açúcar ao alimento e fez com que ele se popularizasse.

2 - Plastico bolha

Mais uma vez, o amado plástico bolha não foi criado para proteger produtos durante o transporte. Além disso, ele também é considerado um ótimo produto para aliviar o estresse e você provavelmente já o utilizou para isso. Mas, por mais estranho que parece, ele foi desenvolvido em 1957, por Alfred W. Fielding e Marc Chavannes, e a intenção deles era vendê-lo como um papel de parede texturizado- 3D. Eles acreditavam que o papel seria algo inovador e tinham as pessoas da alta classe social como seu público alvo.

Mas, obviamente, a ideia falhou logo de cara. Foi apenas em 1960 que o plastico bolha conseguiu encontrar o seu lugar no mercado. E, apesar de sua função não ser tão "glamourosa" quanto seus criadores esperavam, ela acabou se popularizando.

3 - Vaselina

Se você procurar por 'funções da Vaselina' na internet provavelmente vai acabar encontrando diversas utilidades diferentes para ela. O produto acabou se popularizando devido a sua gama de utilidades mas, quando foi criado, o seu criador não tinha todas elas em mente. Na verdade, Robert Chesebrough acabou desenvolvendo o produto depois que percebeu como um determinado resíduo do petróleo podia ajudar a curar feridas.

Robert acabou enxergando uma possibilidade com aquilo e não perdeu tempo. Para provar a eficácia da Vaselina, o homem se queimando propositalmente para poder usar o produto em sua ferida e mostrar o resultado para seu público. Mas, além dessa função inicial, Robert acreditava realmente que ingerir uma colher de Vaselina por dia faria com que você ficasse revigorado e melhorasse a sua saúde, além de ter uma vida mais longa. Ainda assim, é bom lembrar que não se deve fazer isso em hipótese alguma. Especialistas já comprovaram como isso pode fazer mal para as pessoas.

4 - Jagermeister

Talvez você não conheça, mas Jagermeister é uma bebida alcoólica popular entre jovens universitários em algumas partes do mundo. Mas, quando foi desenvolvida, em 1934, o seu objetivo e público eram completamente diferentes. Ele era destinado a homens de meia-idade e servia como remédio para tosse. Os seus anúncios eram feitos para indicar as suas propriedades medicinais mas, quando isso não deu tão certo, eles acabaram redirecionando todo o produto. Ele começou a ser produzido para um novo público, o jovem, como um destilado.

5 - Kleenex

O lenço de papel Kleenex nem sempre teve esse nome. Ele foi criado sem muitas pretensões inicialmente mas, quando a Primeira Guerra Mundial chegou o produto acabou sendo usado em mascaras de gás, servindo para proteger os soldados de gases perigosos. Seu desenvolvedor, Kimberly-Clark, fez um contrato com os militares dos Estados Unidos e trabalhou para alcançar o seu objetivo com as máscaras.

A guerra acabou abrindo as portas para o produto que, quando não estava sendo usado nas máscaras, podia servir também como tecido para curativo. E, quando esse período passou, eles precisavam encontrar uma nova forma de se manter no mercado. Foi aí que o nome Kleenex surgiu servindo como lenços de papel.

6 - Absorvente interno

Não que a sua função tenha mudado muito desde que foi desenvolvida, afinal, desde o começo ele tinha como objetivo principal absorver sangue. Mas, no passado, ele foi usado também para o publico masculino, aliado com os serviços militares e socorristas. Durante a guerra, no século XVIII, os tampões eram usados para tampar ferimentos de bala de soldados feridos. Registros e livros já chegaram a colocar o produto como algo fundamental para um médico militar.

7 - Lysol

A marca de produtos de limpeza Lysol foi utilizada no passado como uma forma de controle de natalidade. Apesar de não poder ser divulgado com esse objetivo de forma clara, os anúncios criados por ele deixavam essa "função" implícita. Imagens e depoimentos de mulheres era usados frequentemente com esse objetivo. O problema é que, além de não ser eficaz, o uso intimo do produto estava fazendo com que as mulheres apresentassem sintomas de envenenamento. Aproximadamente 193 casos assim foram registrados em 1911, além disso, 5 mortes foram causadas por ele.

É estranho imaginar que estes produtos foram usados de forma tão diferente no passado. O objetivo imaginado por seus desenvolvedores acabou não se popularizando mas, de alguma forma, depois de redirecioná-los eles acabaram dando certo. O que acharam? Sabiam que eles eram usados dessa forma?

Próxima Matéria
Natália Pereira
EQUIPE FATOS DESCONHECIDOS, BRASIL
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, Clique aqui.


Matérias selecionadas especialmente para você

Curta Fatos Desconhecidos no Facebook
Confira nosso canal no Youtube
Siga-nos no
Instagram
Siga Fatos Desconhecidos no Google+