7 maneiras chocantes que já usaram para tentar 'curar' gays

POR Isabela Ferreira    EM Curiosidades      11/10/17 às 18h20

Não podemos dizer que o preconceito foi extinto de nossa sociedade. Pelo contrário, parece que está cada vez mais presente e devemos lutar veemente contra isso. Mas também não podemos ignorar o fato de que já passamos por épocas bem piores e de intolerância a níveis extremos. A comunidade LGBT, por exemplo, já sofreu horrores ao longo de nossa história.

Embora ganhem cada vez mais espaço e respeito dentro do meio em que vivemos, ainda existe violência contra eles. Há muito trabalho para ser feito em nosso mundo ainda, para que as pessoas entendam que ter uma orientação sexual diferente, não é nada de outro mundo. Pensando nisso, separamos abaixo 7 maneiras chocantes de como já tentaram "curar" a comunidade LGBT. Dá uma olhada!

1 - Tortura com drogas

Se você acha que clínicas de reabilitação para a comunidade LGBT é algo extremamente absurdo, talvez fique chocado ao descobrir que elas existem sim. Estão espalhadas pelo mundo todo! Neste mesmo ano, 2017, a fotógrafa Paola Paredes conseguiu entrar em uma clínica dessas, situada no Equador.

Por lá ela testemunhou coisas horríveis. A clínica funcionava falsamente como reabilitação para dependentes químicos. Na verdade, lá dentro haviam muitos LGBT's que eram submetidos a torturas com drogas. Ingeriam uma enorme quantidade por dia.

São uma forma de condicionamento que leva a pessoa a associar as imagens que considera prazerosas, com a dor. Desta forma, acreditavam que as imagens de tortura e dor que enfrentavam na clínica, seriam associadas de forma negativa às suas atividades sexuais... Sim, absurdo!

2 - Castrações

Aqui iremos voltar um pouquinho no tempo, mais precisamente, para a década de 40. Possivelmente, essa foi a pior época para a comunidade LGBT. Se você fosse gay naqueles tempos e alguém descobrisse, não seria nada difícil enfrentar torturas intensas. Em casos mais extremos, pessoas com essa orientação sexual eram mortas.

Por muito tempo a homossexualidade foi considerada como uma doença mental. Membros da família que descobrissem que tinham um parente nessa condição, o enviavam para uma clínica psiquiátrica. Essas clínicas prometiam às famílias que curariam a pessoa, mas na verdade, cometiam verdadeiras atrocidades.

Embora as castrações não fossem tão comuns, não podemos ignorar o fato de que aconteciam. Para que você tenha ideia, a prática aconteceu principalmente na Alemanha Nazista.

3 - Castrações químicas

Se já é absurdo que as práticas de castração física realmente aconteciam, imagine então a castração química. Por diversas vezes ela era usada com a intenção de diminuir a libido do individuo, bem como reduzir suas atividades sexuais. Um coquetel de drogas anafrodisíacas é dada para a pessoa.

A castração química em si, ainda é utilizada nos dias de hoje. Em alguns países, pedófilos e estupradores tem esse destino. Por incrível que pareça, também existem registros de casos em que indivíduos da comunidade LGBT pediram para serem quimicamente castrados. Talvez por não se aceitarem da forma como eram e pela pressão e preconceito sofridos.

4 - Hipnose

Convenhamos, a hipnose não é algo que convence todo mundo, mas é algo bastante difundido mundo afora. É utilizada como forma de tratamento em dependentes de cigarro, álcool e de drogas. Muitas pessoas da comunidade LGBT procuraram voluntariamente por hipnotizadores, na tentativa de mudar o estado mental. Bom, a verdade é que o método sempre foi utilizado em larga escala como possível cura para a homossexualidade.

Por incrível que pareça, alguns estudos afirmam que a hipnose pode funcionar até certo ponto. Um estudo realizado na década de 60 contou com 15 homossexuais voluntários. Depois de passarem pela hipnoterapia, os resultado apontaram que grande parte deles foi "curado", enquanto a pequena parcela restante, apresentou "leves melhorias".

No entanto, isso não significa que a hipnose de fato os curou. É algo bastante subjetivo. Eles apenas demonstravam menos interesse do que antes. De qualquer forma, foi um estudo bastante subjetivo. Os próprios pesquisadores questionaram sua eficácia, visto que se os resultados tivessem sido realmente tão positivos, seria natural que o procedimento fosse mais utilizado... O que nunca aconteceu.

5 - Terapia de conversão

Muito do que já mencionamos aqui envolve tratamento psicológico ou espiritual. Bom, muitos pesquisadores e cientistas enxergam práticas do gênero como prejudiciais. Alguns deles preferem utilizar o termo "psicanálise". Para esse tipo de tratamento, Elizabeth Moberly e Joseph Nicolosi, dois psicólogos, estavam envolvidos.

Nicolosi acreditava cegamente que a homossexualidade era uma crise de identidade de gênero, portanto, desenvolveu a Associação Nacional de Pesquisa e Terapia de Homossexualidade. Era uma organização que utilizava de métodos brutais que envolviam a psicanálise, para "tratar" integrantes da comunidade LGBT.

A intenção era substituir os instintos homossexuais, pelos heterossexuais. Felizmente, ele acabou sendo proibido de continuar, visto que seus métodos eram bizarros.

6 - Lobotomias

A lobotomia é um procedimento cirúrgico no cérebro que consiste em seccionar vias que ligam o lobo pré-frontal e o tálamo. Foi bastante utilizado para reduzir transtornos mentais de pessoas... Bom, e como já mencionamos, fazer parte da comunidade LGBT era considerado como um problema de saúde mental. Devido a esse motivo, o procedimento já foi bastante utilizado como uma suposta "cura".

7 - Cura espiritual

Não é novidade para ninguém que muitas religiões não enxergam com bons olhos os membros da comunidade LGBT. Aqui no Brasil mesmo, podemos observar vários casos de preconceito religioso. A questão é que algumas delas ainda veem a homossexualidade como algo que vai contra o que Deus quer, portanto, sendo "obra do maligno".

O pior é que em muitos países, quando os pais percebem que tem um filho com a orientação sexual diferente, o levam para ser tratado na Igreja. Em casos mais extremos, essas pessoas são trancadas por tempo indeterminado dentro de um quarto, sendo obrigadas a rezar. É algo bastante comum na Rússia.

E então pessoal, o que acharam? Já conheciam algum dos métodos absurdos aqui mencionados? É de chocar mesmo, não acham? Compartilhem suas ideias com a gente aí pelos comentários!

 

Isabela Ferreira
EQUIPE FATOS DESCONHECIDOS, BRASIL

Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, Clique aqui.
Curta Fatos Desconhecidos no Facebook
Confira nosso canal no Youtube
Siga-nos no
Instagram
Siga Fatos Desconhecidos no Google+