Curiosidades

7 músicos que já estiveram envolvidos com assassinatos

0

O caso da prisão do baterista da banda AC/DC, Phil Rudd, em novembro de 2014, o colocou no centro dos holofotes. Isso porque ele foi detido ao ser acusado de supostamente ter ameaçado de morte dois homens, um deles era seu assistente. Embora, ele não tenha chegado a cometer nenhum ato violento contra os homens, Rudd ficou preso durante 8 meses em prisão domiciliar. Acontece que essa não foi a primeira vez em que músicos se envolveram em confusões como essa. Na verdade, essa foi apenas mais uma entre tantas estrelas do rock que estiveram envolvidas em casos de assassinato. E que propriamente assassinaram alguém.

Talvez seja a vida agitada, repleta de excessos, que aproximam todas essas pessoas. Não é nada incomum encontrar escândalos envolvendo músicos. Envolvimento com drogas ilícitas, acusações de abuso e até mesmo assassinatos. Os motivos são irrelevantes, mas o assassinato de uma pessoa é algo muito sério. Confira a seguir 7 músicos que já estiveram envolvidos com assassinatos.

1 – Keith Moon

Na noite de 4 de janeiro de 1970, o baterista da banda de rock The Who, Keith Moon, estava em uma festa com uns amigos em um Pub, na Inglaterra. Junto com ele estava a sua esposa, Kim, e o seu motorista, Neil Boland. Quando tentavam ir embora da festa, uma multidão de pessoas estava atrapalhando a passagem do carro de Moon. Foi nesse momento, que Neil saiu do carro para tentar acalmar as pessoas e abrir caminho para passarem. O músico, então bêbado e confuso, assumiu o volante do carro e saiu em disparada. Quando chegaram no fim da estrada, eles perceberam que o motorista estava sob o carro com a cabeça esmagada. No fim, Moon foi absolvido de todas as acusações e a morte do seu motorista foi considerada um trágico acidente.

2 – Jim Gordon

O baterista Jim Gordon ficou conhecido pelo seu trabalho de sessão com várias bandas importantes do rock mundial, como The Beach Boys, Alice Cooper, Eric Clapton e outras. O comportamento agressivo e explosivo do músico começou a se manifestar em 1969. Mas a sua esquizofrenia, que havis sido muito ignorada e não diagnosticada por muitos anos, aflorou. Alucinações o atormentavam e inclusive estavam afetando até a sua capacidade de tocar. Mas o problema mesmo estava relacionado à sua mãe. No dia 3 de junho de 1983, em uma tentativa de tentar silenciar a voz dentro da sua cabeça, Gordon espancou a sua própria mãe e a esfaqueou várias vezes. Embora esse seja um caso bem documentado de doença mental, o músico foi considerado culpado. Isso em razão de uma lei da Califórnia que restringia a defesa contra insanidade.

3 – Sid Vicious

John Simon Richie, ou Sid Vicious, foi um músico britânico considerado um ícone do movimento punk da década de 1970. O baixista do Sex Pistols se envolveu com drogas logo depois da formação da banda, isso devido a influência da sua namorada americana, Nancy Spungen. Mesmo com o fim da banda, o casal continuou junto, se estabelecendo em Nova York. O casal tinha um relacionamento muito conturbado, envolvendo o uso de drogas e agressões constantes de ambas as partes.

Na noite em que Nancy foi assassinada, os amigos do casal relataram que Sid estava muito chapado. No dia seguinte, uma fonte anônima informou à recepção do hotel, onde os dois estavam hospedados, sobre “problemas no quarto 100”. Quando os médicos e a polícia chegaram ao local, encontram Nancy morta no banheiro. O músico foi preso pelo seu assassinato, mas nunca foi a julgamento, já que ele morreu de overdose em 1979.

4 – Joe Meek

Joe Meek foi um produtor musical e compositor renomado. Ele foi responsável por vários sucessos nos anos 1960. Inclusive, teve uma das suas músicas como o primeiro single britânico a chegar no topo das paradas da Billboard, nos Estados Unidos. Mas, em 1966, a boa fase de Meek acabou. A cena musical mudou, sua fortuna se acabou, ele estava endividado e enfrentando diversas acusações judiciais. Entre elas, uma de solicitação homossexual. No ano seguinte, o produtor estava cada vez mais paranoico e depressivo. Em um momento de surto, acabou atirando em sua esposa, Violet Shenton, e depois atirou em si mesmo.

5 – Vince Neil

Em 1984, Vince Neil, o vocalista da banda de hard rock Mötley Crüe, acabou matando acidentalmente um dos seus amigos durante uma festa. No dia 8 de dezembro, Neil e o baterista da banda Hanoi, Nicolas Razzle Dingley estavam de indo até uma loja de bebidas nas proximidades da fazenda de Neil. Bêbado, Neil perdeu o controle e bateu o veículo, matando Razzle e ferindo gravemente os dois ocupantes do outro carro. Ele foi acusado de homicídio veicular sob influência de substâncias.

6 – Bobby Beausoleil

Antes de fazer parte do grupo formado por Charles Manson e seus seguidores na Califórnia, nos anos de 1960, Bobby Beausoleil teve alguns trabalhos significativos como músico e ator pornô. Devido a problemas nos negócios, Manson solicitou a Bobby que matasse o professor de música Gary Hinman. E assim ele o fez, matando Hinman com duas facadas no peito. Bobby foi preso e condenado pelo assassinato de Hinman. Ele chegou a ser sentenciado à pena de morte, mas posteriormente a sentença foi mudada para prisão perpétua.

7 – Varg Vikernes

Depois de vários incidentes envolvendo a queima de igrejas da Noruega, Oystein “Euronymous” Aarseth, membro da banda de Varg Vikernes tentou se desvincular dessa imagem, se afastando de todos os membros da banda. O que não foi bem visto por Vikernes. Em agosto de 1993, Vikernes e Aarseth se encontraram e começaram a discutir. Nessa ocasião, Vikernes esfaqueou o ex-colega de banda 23 vezes, matando o baixista. Posteriormente, Vikernes alegou autodefesa por suas ações, mas acabou sendo condenado a 21 anos de prisão.

E você, já sabia do envolvimento desses músicos com assassinatos? Conta para a gente nos comentários e compartilhe com os seus amigos.

Rank de Sai gera dúvidas entre os fãs de Naruto

Matéria anterior

Artista cria a melhor versão do Kraven para próximo filme do Homem-Aranha

Próxima matéria

Comentários

Comentários não são permitidos