Curiosidades

7 piores consequências da não vacinação

0

As vacinas foram uma grande descoberta e também um grande avanço para a sociedade. Doenças que antes dizimavam milhares de pessoas em todo o mundo, se tornaram cada vez mais raras. Muitas delas, inclusive, são consideradas erradicadas, já que não há novos casos. Tudo isso graças às vacinas e sua eficácia.

No entanto, um movimento antivacinação tem colocado as pessoas em risco eminente. Por algum motivo, criou-se a ideia de que as vacinas colocam as crianças em risco, ao invés de protegê-las. Esse movimento, tem feito com que muitos pais desistam de vacinar seus filhos e bom, isso tem consequências.

Conheça algumas das piores consequências da não vacinação.

1 – Ressurgimento de doenças perigosas

O sarampo e a poliomelite são doenças que afetam as crianças e que são facilmente evitáveis com a vacina. As pessoas contaminadas com polio podem inclusive perder parte dos movimentos, o que é muito grave na vida de uma criança. Ambas as doenças representavam pouco risco para as crianças, já que com a vacina estava funcionando bem. Entretanto, com o crescimento do movimento antivacina, cresceu também o número de casos da doença, já que a imunização deixou de acontecer.

2 – Coloca em risco toda população

Quando os pais decidem não vacinar seus filhos, não colocam em risco apenas os seus filhos, mas toda a população. Isso porque a taxa de imunização caí e doenças transmitidas por vírus são mais facilmente transmitidas nessas situações. Os bebês são os mais susceptíveis a isso, já que dependem da imunização de quem está ao redor para não adoecerem.

3 – Colocar crianças em risco

Quando se opta por não vacinar, a vida de seu filho é colocada em risco. Afinal, se a possibilidade de imunizar é oferecida e você não o faz, você o está corroborando o risco. Inclusive, risco de morte, já que algumas doenças são realmente muito graves. E para esses casos, há consequências legais, já que a criança é privada do direito à saúde que é garantido por lei.

4 – Penalidade por infringir o Estatuto da Criança e do Adolescente

Algumas vacinas são oferecidas pelo Estado e são também obrigatórias. Caso os pais infrinjam a lei, pode ser aplicada uma multa que varia de 3 a 20 salários mínimos. E se os pais novamente não vacinarem a criança, a multa deve ser dobrada.

5 – Perda da guarda dos filhos

O desrespeito ao calendário de vacinação infantil pode chegar a casos extremos de perda da guarda da criança. A justiça pode entender que houve falta de cuidado e negligência por parte dos responsáveis. No entanto, isso acontece apenas em situações extrema. Primeiro, busca-se conscientizar os pais sobre o perigo da não vacinação e dos riscos que isso traz.

6 – Aumento de doenças infantis

Doenças como sarampo, caxumba e rubéola são algumas das que podem acometer as crianças em seus primeiros anos de vida. Todas podem causar consequências que podem perdurar pelo resto da vida nas crianças e até mesmo levar à morte.

7 – Promover a desinformação

Muitos dos pais que acreditam que a vacina não é eficaz, na verdade, nunca pesquisaram a fundo sobre. E por não saber, promovem a desinformação de outros pais, que também ficam com medo da vacina e acabam não vacinando seus filhos. A corrente de crianças não imunizadas cresce e isso coloca em risco toda a população.

7 filmes recentes que têm finais totalmente chocantes

Matéria anterior

Mangá de Dragon Ball Super faz revelação inesperada sobre Belmod

Próxima matéria

Mais em Curiosidades

Você pode gostar

Comentários

Comentários não permitidos.