• MAIS LIDAS
  • QUIZ
  • VÍDEOS
  • ANUNCIE

7 traições que mudaram o curso da História

POR Toni Nascimento    EM História      20/09/18 às 17h02

A paz é um dos maiores desejos da humanidade. Nós buscamos e queremos, no nosso mais profundo interior, poder andar pelo mundo sem ver conflitos, mortes e destruição. Infelizmente, desde que o ser humano se identificou como tal e se uniu aos outros da mesma espécie para viver em comunidade, obtendo vantagem natural para sobreviver, nós mantemos uma grande distância daquilo que consideramos pacífico. O que eu quero dizer é que ao longo do tempo, batalhas e guerras moldaram a nossa história e definiram o futuro. E muitas traições também foram responsáveis por traçar caminhos importantes.

Muitos conflitos foram definidos por célebres líderes e heróis. É claro que também houve facínoras e ditadores a frente de exércitos. Se fossemos nomear todos, com certeza, precisaríamos de vários dias. Mas além deles, os traidores também foram peças importantes em grandes conflitos. Tanto na história recente com os espiões, como na trajetória antiga, com os inconformados ou sedentos pelo poder. Enfim, as traições já foram capazes de redefinir o curso da história e com certeza, algumas delas, ajudou a tornar o mundo como ele é hoje. Listamos 7 traições que mudaram o curso da História.

1 - Brutus

"Até tu, Brutus?", tal frase popular não foi difundida a toa. A traição de Brutus é uma das mais conhecidas e importantes da História. O filho adotivo de Julio Cesar conseguiu reunir 60 senadores de Roma para tirar seu provedor do poder. Os motivos que levaram a esse ato são um pouco nebulosos. Apesar de oficialmente a razão ser a de que Caio Júlio César teria desprezado a opinião de seus aliados, existem informações históricas que dizem que as motivações teriam cunho de inveja e orgulho ferido.

No dia 15 de março de 44 a.C. aconteceu a maior traição que se tem noticia da Antiguidade. Júlio César foi assassinado nas escadarias do senado com 23 facadas, pelos senadores e por Brutus. Quando ele avistou seu filho adotivo, ele proferiu suas últimas palavras: "Até tu, Brutus?".

2 - Julius e Ethel Rosenberg

Julius e Ethel Rosenberg foram os primeiros civis a serem executados nos Estados Unidos, em 1953, acusados de espionagem. O caso aconteceu no auge da Guerra Fria, e não será estranho se você encontrar paralelos com a série premiada The Americans. O fim trágico do casal foi uma consequência de traição, pois eles venderam informações sobre a bomba atômica para a União Soviética e também foram responsáveis por recrutar espiões para os russos. Após serem capturados pelo FBI, seus co-conspiradores confessaram e não foram executados, enquanto o casal foi condenado a pena capital.

3 - Efialtes de Trachis

Efialtes de Trachis tornou-se infame na Grécia após cometer traição em 480 a.C. Durante a Batalha das Termópilas, ele traiu o rei espartano Leónidas ao conduzir o exército persa por um caminho que dava acesso à retaguarda da linhagem espartana. Ele cometeu a traição esperando uma recompensa do líder persa Xerxes. No entanto, ele não conseguiu uma recompensa, e ainda teve um preço posto por sua cabeça. Ele foi morto algum tempo mais tarde e seu nome se tornou sinônimo de traição e pesadelo.

4 - Guy Fawkes

Você já leu a HQ ou assistiu o filme "V de Vingança"? Ou então já ouviu falar do grupo Anonymous? Pois bem, sabe aquela icônica máscara, criada pelo lendário Alan Moore? Ela foi inspirada no rosto de Guy Fawkes. Ele é conhecido por uma das maiores tentativas de traição da história inglesa. Ele era um soldado, membro de um grupo de católicos ingleses. Porém, descobriu-se que ele estava planejando a Conspiração da Pólvora (ele tinha aguardado até o momento de pegar 36 barris de pólvora), que iria matar o Rei Jaime I. Ele foi capturado e condenado ao enforcamento.

5 - Christiaan Snouck Hurgronje

Christiaan Snouck Hurgronje foi um dos estudiosos ocidentais pioneiros em se infiltrar na cultura islâmica, juntando-se a peregrinação a Meca. Isso acabou permitindo-lhe reunir informações, usando o nome "Haji Abdul Ghaffar". No entanto, ele usou seu conhecimento sobre a cultura islâmica para uso politico nas Índias Orientais Holandesas. Ou seja, ele cometeu espionagem. Como consequência de sua espionagem, mais de 100 mil mortes ocorreram no país.

6 - Theodore Hall

Theodore Hall foi um dos grandes responsáveis pelo desenvolvimento da primeira e da segunda bombas atômicas durante a Segunda Guerra Mundial. Ele era um funcionário oficial dos Estados Unidos. Porém, o gênio norte americano da ciência era na verdade um espião da União Soviética. Ele deu uma descrição detalhada da bomba de plutônio e várias táticas para purificar o plutônio para o soviético. Ele confessou sua espionagem para o FBI posteriormente.

7 - Simom Bolivar

Simom Bolivar é um líder militar e político, além de ser considerado traidor de um dos patriotas da Venezuela, Francisco de Miranda. Simon Bolívar mandou Miranda para a Espanha em bases questionáveis ??de traição e alguns dizem que foi apenas para obter um passaporte espanhol. Francisco morreu na prisão vários anos depois.

Próxima Matéria
Via   L25  
Imagens HT F
Toni Nascimento
Nerd, mas principalmente amante do cinema. Mais em @nascimento_toni
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, Clique aqui.


Matérias selecionadas especialmente para você

Curta Fatos Desconhecidos no Facebook
Confira nosso canal no Youtube
Siga-nos no
Instagram
Siga Fatos Desconhecidos no Google+