• MAIS LIDAS
  • QUIZ
  • VÍDEOS
  • ANUNCIE


7 vezes que guerras e batalhas começaram por ''simples'' vinganças

POR Leticia Rocha    EM Curiosidades      18/02/19 às 15h40

Algumas pessoas vão muito longe quando o intuito é se vingar. Algumas são capazes de destruir famílias, bens materiais e de alguma forma, a vida de outras pessoas. Mas imaginem a magnitude das atitudes de uma pessoa vingativa quando ela tem nas mãos um grande poder. Grandes guerras podem ser travadas, não só podem como já foram.

Países já estiverem envolvidos em conflitos diplomáticos internacionais, apenas por revanchismo. E não pense que os motivos eram grandiosos. Houve casos em que um copo de bebida derramada foi o princípio de toda a vingança. Conheça agora algumas dessas histórias um tanto quanto desmedidas.

1 - A guerra do futebol

O futebol é um esporte de alta competitividade, mas você com certeza não imagina que também já foi motivo de guerras. Mas sim, foi sim. Em 1969, Honduras e El Salvados disputavam por uma vaga na Copa do Mundo de 1970. A situação começou a ficar tensa quando a seleção de El Salvador venceu dois dos três jogos disputados. Houve tumultos e violência, até que El Salvador pois fim as relações diplomáticas com Honduras.

O que se viu em seguida foi o início de uma guerra, literalmente. El Salvador enviou suas forças aéreas para atacar Honduras e rapidamente também arquitetou uma invasão terrestre. Foram 4 dias de conflito até que Organização dos Estados Americanos (OEA) pressionou para que as nações cessassem fogo. No entanto, nesse curto período, grandes perdas já haviam ocorrido.

2 - A guerra do porco

Em 1859, os Estados Unidos e o Império Britânico disputavam a Ilha de San Juan. A dificuldade de definir quem seria o responsável pelas terras se deu principalmente porque nelas havia colonos americanos, mas também britânicos. As relações diplomáticas se tornaram mais tensas quando um porco, pertencente a um funcionário britânico invadiu as terras de um agricultor americano. Não só invadiu, como também comeu de suas batatas. Quando se deu conta do ocorrido, o dono das terras, Lyman Cutlar atirou no porco.

O dono do porco então o denunciou as autoridades britânicas, que ameaçaram prendê-lo. Preocupado com a possível ameaça, o americano contou aos vizinhos e a história acabou indo parar nos ouvidos do general William S. Harney, que já não gostava dos britânicos e decidiu partir para o combate. No entanto, o almirante Robert L. Baynes se recusou a entrar em um conflito que tinha como principal motivo um porco. Apesar disso a tensão prosseguiu por um tempo, até que a comissão internacional cessou com o problema concedendo a ilha de San Juan para os Estados Unidos.

3 - A guerra do cão perdido

A Grécia e a Bulgária não tinham relações amigáveis já há algum tempo, afinal, elas lutaram em lados opostos durante a Primeira Guerra Mundial. A fronteira entre os países sempre apresentou um clima de tensão. Até que um dia, o cão de um soldado grego fugiu e ultrapassou a fronteira. O dono foi então atrás do animal, para recapturá-lo, mas acabou sendo baleado e morto por um guarda da fronteira da Bulgária. De imediato, um conflito teve início. Logo, isso evoluiu para um segundo confronto armado, depois que o pedido de desculpas da Bulgária foi negado pelo presidente grego. O mesmo presidente que ordenou uma invasão na Bulgária. O conflito só cessou quando a Liga das Nações interveio fez com que a Grécia pagasse uma indenização à Bulgária por conta da invasão.

4 - Guerra do ópio

Em 1830, a Inglaterra enfrentava um déficit nas suas relações comerciais com a China. A China, ao contrário, exportava seda, chá e porcelana. Itens que estavam em alta no continente europeu. Para compensar as perdas, a Grã-Bretanha traficava ópio para a China. O problema aconteceu quando Pequim decidiu proibir o tráfico de ópio e a Grã Bretanha respondeu imediatamente usando a força militar.

5 - A guerra da confeitaria

Pode parecer estranho que o México e a França entrem em conflito, mas isso aconteceu e por um motivo muito estranho: uma confeitaria. Tudo começou quando o proprietário de uma confeitaria francesa relatou que sua loja no México havia sido saqueada e danificada por soldados do exército mexicano. Ele então entrou com um pedido de indenização e solicitou para que seu país o defendesse. A França então disparou para o Forte de San Juan de Ulúa e ocuparam a cidade. O conflito, que teve início em abril de 1838, só acabou em março de 1939, quando o pagamento da indenização foi de fato efetivado.

6 - A guerra do balde

Em 1323, a Itália era composta por cidades-Estados. Um conflito entre as cidades teve um motivo bizarro: um balde. Os soldados de Modena roubaram o balde do poço de Bolonha. Isso teve uma resposta imediata, um conflito a pé e a cavalo se estabeleceu. A Batalha de Zappolino foi vencida por aqueles que usurparam o balde e começaram a utilizá-lo como um troféu da vitória. E pasmem, cerca de 4 mil pessoas perderam suas vidas por causa de um balde.

7 - Guerra do bacalhau

Pode parecer estranho, mas o Reino Unido e a Islândia já entraram em um longo conflito pelo direito à pesca no oceano Atlântico. Houve uma série de conflitos menores, sem um grande número de mortos entre as décadas de 1950 e 1970. A disputa só teve fim em 1976, quando a Islândia ameaçou fechar a base da OTAN. Foi então que o governo britânico cedeu e decidiu não realizar mais pescas na área de disputa.

Próxima Matéria
Leticia Rocha
Jornalista e aprendiz de Dani Noce. No insta é ticia_rochaa
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, Clique aqui.


Matérias selecionadas especialmente para você

Curta Fatos Desconhecidos no Facebook
Confira nosso canal no Youtube
Siga-nos no
Instagram
Siga Fatos Desconhecidos no Google+