Entretenimento

A batalha judicial entre Johnny Depp e sua ex-esposa Amber Heard

0

Amber Heard e Johnny Depp estão no meio de uma batalha judicial com novos desdobramentos a cada dia. Depois de perder a primeira rodada, que foi um julgamento por difamação no Reino Unido, Johnny Depp, de 58 anos, está processando Amber Heard, sua ex-esposa de 35 anos, por danos morais.

O valor pedido pelo ator foi de US$ 50 milhões por conta de um artigo que a atriz de Aquaman (2018) escreveu no The Washington Post, no qual ela afirmou ter sido vítima de violência doméstica. Em contrapartida, Heard está processado Depp em uma ação em que pede US$ 100 milhões.

No julgamento, estamos acompanhando uma troca de acusações graves de violência doméstica, contando com testemunhas conhecidas, como James Franco, Paul Bettany e Elon Musk. Dessa forma, o julgamento já se iniciou nesta semana.

Johnny Depp e Amber Heard

Brendan Smialowski/Reuters

Os atores começaram a namorar ainda no início de 2012, alguns anos depois que se conheceram durante as filmagens de O Diário de um Jornalista Bêbado. Assim, em 2015, se casaram.

O que chocou aqueles que acompanham as últimas notícias de Hollywood é que, apenas 25 meses após a união, o relacionamento acabou. Além de pedir o divórcio, Heard também pediu uma medida protetiva. Ela apareceu em um tribunal de Los Angeles com a bochecha marcada, o que alertou fãs ao redor do mundo.

A atriz alegou que seu então marido a atacou de forma violenta e jogou um telefone em seu rosto com “força extrema”. Além disso, ela alegou que houve assédio. “Abuso emocional, verbal e físico excessivo, agressões raivosas, hostis, humilhantes e ameaçadoras”, escreveu Heard em documentos judiciais.

Enquanto isso, Johnny Depp negou ter cometido qualquer abuso. Um juiz concedeu à atriz uma medida protetiva temporária. No entanto, horas antes do julgamento sobre o pedido, Heard e Depp divulgaram uma declaração conjunta dizendo que já resolveram a questão.

“Nosso relacionamento foi intensamente passional e, às vezes, volátil, mas sempre baseado no amor. Nenhuma das partes fez acusações falsas por ganhos financeiros. Nunca houve intenção de dano físico ou emocional”.

A estrela de Piratas do Caribe deu US$ 7 milhões para Heard como parte do acordo do divórcio, sendo que ela prometeu doar à União Americana de Liberdades Civis. Agora, a equipe de Depp contesta isso.

Depp vs Heard

Getty Images

Por um tempo, parecia que o casal havia se resolvido de fato. Contudo, em dezembro de 2018, Heard escreveu um artigo de opinião no The Washington Post em que descrevia sua experiência como “figura pública alvo de violência doméstica”.

“Senti toda a força da ira que nossa cultura nutre pelas mulheres que se manifestam”, escreveu ela. “Tive a oportunidade de ver, em tempo real, como as instituições protegem os homens acusados de abuso.”

Apesar de não mencionar seu ex-marido ou qualquer outro suposto agressor, Depp alega que as frases constituem difamação, responsáveis por abalar sua carreira e prejudicar “incalculavelmente” sua reputação.

“A implicação clara do editorial de que Depp é um agressor doméstico é categoricamente e comprovadamente falsa”, escreveu o advogado da estrela na ação contra Heard. “Suas alegações… são parte de uma farsa elaborada para gerar publicidade positiva para a Sra. Heard e promover sua carreira.”

A história se repete

De certa forma, o caso sobre violência doméstica já foi julgado. Nesse caso, em 2018, Depp processou o News Group Newspapers Ltd, editora do jornal britânico The Sun, por difamação ao chamar o ator de “espancador de esposa”. Isso antes da publicação de Heard.

A batalha foi entre Johnny Depp e The Sun, durando três semanas, mas parecia ser uma disputa entre os ex-cônjuges. Embora as chances de vitória por parte de Depp fossem maiores no Reino Unido, onde o ônus da prova é do suposto caluniador, que precisa provar que o que ele disse é verdade, o ator ainda perdeu a disputa.

Isso porque um juiz britânico decidiu que a “grande maioria” das acusações de Heard poderia ser provada pelo “padrão civil”. Isso significa que é mais provável de que o abuso tenha acontecido que o contrário.

Quem estará no julgamento?

Nessa rodada do julgamento, há uma lista de 120 pessoas como testemunhas em potencial. Dessa forma, Elon Musk deve testemunhar a favor de Heard, visto que namoraram entre 2016 e 2018, e o CEO da Tesla ofereceu segurança 24h para a proteger contra Depp, segundo mensagens de texto.

James Franco também deve falar como testemunha em defesa de Heard. Na ocasião, ela teria desabafado com ele sobre hematomas em seu corpo que seriam provenientes de uma briga com seu ex-marido. Já Paul Bettany, que chamou Depp como o “melhor e mais gentil” homem que conhece, ofereceu testemunha na defesa do ator.

“Vai ser um circo”, disse a jornalista Cooper Lawrence. “Agora temos que ouvir todas essas celebridades falarem, porque elas foram testemunhas de tudo o que aconteceu”, acrescentou.

Além disso, Eve Barlow, amiga íntima de Heard e jornalista britânica, foi expulsa do tribunal por entrar em conflito com o juiz. Ela também teria enviado mensagens de texto e feito tweets sobre estar presente no tribunal ao lado da defesa de Amber Heard.

Barlow, que atuava como parte da equipe jurídica da atriz, tentou intervir no depoimento de Gina Deuters, testemunha de Depp. Aliado a isso, ela afirmou ter assistido vídeos sobre o julgamento antes de testemunhar, sendo demitida do tribunal logo em seguida.

“Ela estava tuitando ao vivo do meu tribunal. Eu sei que os policiais a tiraram porque ela estava enviando mensagens de texto. Isso é contra a ordem judicial. A Sra. Barlow não voltará ao tribunal durante este julgamento”, decretou a juíza Penney S. Azcarate.

Assim sendo, a batalha judicial deve durar cerca de seis semanas e contará com a exposição dos detalhes do relacionamento entre Johnny Depp e Amber Heard.

Fonte: BBC

Cão-robô fiscaliza lockdown na China

Matéria anterior

Rainha Elizabeth II completa 96 anos hoje, mas só irá comemorar em junho

Próxima matéria

Comentários

Comentários não são permitidos