• MAIS LIDAS
  • QUIZ
  • VÍDEOS
  • ANUNCIE


Amor paterno é um dos mais importantes para a criança, entenda

POR Bruno Dias    EM Curiosidades      21/02/19 às 19h56

O nascimento de um bebê é um acontecimento bastante esperado pelos pais que sonham em ter filhos. Muito é falado da mãe nessas horas, até porque foi ela quem carregou o bebê durante nove meses, quem amamenta o filho depois de nascido e, teoricamente, quem cria um vínculo maior com a criança.

E independente de ser alguém branco, negro, magro, gordo, rico, pobre, com culturas e status sociais diferentes, todos viemos ao mundo por conta de um pai e uma mãe, e sendo assim, o amor dos dois faz toda a diferença na vida de uma pessoa.

Segundo um estudo feito recentemente, o amor ou rejeição dos pais pode afetar a personalidade e o desenvolvimento da personalidade das crianças até chegarem à fase adulta. Em outras palavras, quer dizer que as relações que temos com nossos pais ou figuras responsáveis conseguem moldar as características da nossa personalidade.

"Em meio século de pesquisa internacional, nenhum outro tipo de experiência demonstrou um efeito tão forte e consistente sobre a personalidade e o desenvolvimento da personalidade como a experiência da rejeição, especialmente pelos pais na infância", disse o coautor do estudo, Ronald Rohner.

"Crianças e adultos em todos os lugares tendem a responder exatamente da mesma maneira quando se sentem rejeitados por seus cuidadores e outras figuras de apego", continua.

As crianças que são rejeitadas sentem como se tivessem sido socadas no estômago a todo instante. E isso tem uma explicação. Segundo os estudos de alguns campos da Psicologia e Neurociência, as partes do cérebro que são ativadas quando as pessoas se sentem rejeitadas, são as mesmas que provocam a dor física. Mas só que, ao contrário da dor física, a dor psicológica pode ser vivida por anos.

E por esse motivo, de a dor acompanhar as crianças a vida toda, é que acaba-se influenciando na personalidade delas. Os pesquisadores viram 36 estudos que foram feitos no mundo todo, com mais de 10 mil participantes. Eles concluíram que aquelas crianças rejeitadas sentem mais ansiedade e insegurança e têm mais probabilidade de serem hostis e agressivas.

E por já terem sido rejeitadas, essas pessoas têm uma dificuldade maior em formar relações seguras e de confiança com outras pessoas como por exemplo, namorados. Tudo porque sentem medo de passar pela mesma rejeição novamente.

Culpados

Normalmente, se uma criança vai mal na escola, se ela é má educada ou apresenta um comportamento hostil e incompatível com a situação na qual ela está, as pessoas tendem a associar isso e a culpar a mãe. Parecendo que a criança não tem uma mãe presente, ou que a mesma não soube educar seu filho.

Mas o que o estudo sugere é totalmente o contrário. A figura paterna na infância é bastante importante, porque as crianças costumam se sentir mais rejeitadas se a rejeição vier do pai.
E, mesmo na sociedade em que vivemos, onde o nível de igualdade de gênero cresceu um pouco, o papel do homem ainda é supervalorizado e vinculado, muitas vezes, com o poder. Então por isso, é que se a rejeição vem dessa figura, o impacto na vida da criança tende a ser maior.

O ensinamento que se tem que tirar de uma situação como essa é o de que amar seus filhos independentemente de qualquer coisa é essencial para que se tornem adultos confiantes e felizes. Mesmo que homens tenham mais dificuldades em demonstrar afeto e sentimentos, a valorização e aceitação da figura paterna significa muito para um filho, mesmo que nem o pai e nem o filho saibam disso.

Próxima Matéria
Via   Hypescience  
Bruno Dias
EQUIPE FATOS DESCONHECIDOS, BRASIL
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, Clique aqui.


Matérias selecionadas especialmente para você

Curta Fatos Desconhecidos no Facebook
Confira nosso canal no Youtube
Siga-nos no
Instagram
Siga Fatos Desconhecidos no Google+