Entretenimento

Amostra grátis do hexa? Brasil assume a liderança do ranking da FIFA

0

Consegue sentir o clima de Copa do Mundo chegando? Sim, aos poucos vamos caminhando para um dos maiores eventos esportivos do planeta. E junto com as preparações para esse momento, vem a pergunta: o Brasil vai conquistar o hexa?

Nesse sentido, a FIFA fez questão de empolgar até aqueles brasileiros que torcem para a Argentina. A entidade máxima do futebol divulgou o ranking de seleções, que conta com a amarelinha em 1° lugar. Com os recentes espetáculos nas Eliminatórias, a equipe de Tite ultrapassou a Bélgica na classificação. Agora, o Brasil tem 1.832,69 pontos, enquanto os belgas marcam 1.827 no momento.

Neste post, entenda como o Brasil alcançou essa posição e como ela afeta o sorteio dos grupos da Copa do Mundo. A propósito, vale lembrar que a distribuição dos agrupamentos foi feita nessa sexta-feira (01), às 13 horas do horário de Brasília.

Fonte: O Gol

O ranking da FIFA

Em 2018, o ranking de seleções feito pela FIFA sofreu uma reviravolta na sua maneira de funcionar. Antes, as posições eram definidas pelas médias de resultados dos últimos quatro anos de cada equipe. Depois da Copa do Mundo da Rússia, a classificação passou a ser definida pelo sistema de Elo.

Nessa lógica muito conhecida pelos gamers, os resultados recentes ganham mais importância. Além disso, as posições das equipes envolvidas nas partidas são fundamentais para determinar o que vai acontecer com os pontos de cada uma após o confronto.

Por exemplo, se o líder, o Brasil, vence a Lituânia (138º lugar no ranking), ele ganha poucos pontos, pois só confirmou o favoritismo. Mas se os brasileiros forem derrotados, então a perda de pontos é enorme. Em resumo, quanto mais alto uma seleção voa, maior é o tombo.

Com a adoção desse sistema, muitos reparos tiveram que ser feitos no ranqueamento. Sabe aquela tal de Alemanha que nos venceu de 7 a 1 em 2014? Pois é, essa seleção recebeu 1.600 pontos e sua campanha vencedora de copa lhe firmou na ponta do ranking.

No entanto, o segundo processo de ajustes feitos pela FIFA foi contabilizar os resultados do mundial de 2018. Por terem perdido para o México (15º na época) e para a Coréia do Sul (57º na época), a Alemanha foi parar na 15ª colocação.

Liderança belga tomada pelos brasileiros

Neste cenário, o caminho ficou livre para a poderosa Bélgica assumir a liderança do ranking em 2018 e tomar conta dela por três anos. Nas Ligas das Nações, os belgas tiveram resultados negativos contra França e Itália, mas como essas seleções estavam no Top 10, a perda de pontos foi pouca para os líderes.

Já o Brasil foi pouco impactado com as mexidas, e apenas caiu de 2º para 3º. Sendo assim, Neymar e companhia tinham um bom ponto de partida para lançar uma campanha fantástica nas Eliminatórias da Copa do Mundo do Catar, e assim, assumir a ponta da tabela.

De 17 jogos disputados, a seleção canarinha venceu 14 e empatou três. Reparou que não citamos nenhuma derrota? Isso mesmo, o Brasil simplesmente não perdeu nas Eliminatórias. Obviamente, o algoritmo contabilizou essa jornada juntamente com a campanha da Copa América. Nessa última, os brasileiros só perderam na final para a Argentina (que também estava no Top 10, e consequentemente, tirou poucos pontos de nós).

Fonte: Esporte News Mundo

Como resultado disso, veio nesta quinta-feira (31) a notícia de que a seleção brasileira lidera o ranking da FIFA. Sendo assim, seguimos ainda mais firmes e mais fortes no número 1 do sorteio dos grupos da Copa Mundo de 2022. Este evento esportivo será realizado no Catar entre os dias 21 de novembro e 18 de dezembro de 2022.

Como será o sorteio?

Os quatro potes do sorteio se formam de acordo com as colocações no ranking das seleções classificadas para a competição. Ou seja, quem fica no pote 1 são as equipes melhores ranqueadas, enquanto o pote 4 abriga as piores ranqueadas.

Dessa forma, os grupos da Copa, formados por quatro nações, são construídos com uma seleção de cada pote. Sendo assim, é impossível que um país encare outro que está alojado no mesmo nível de sorteio que ele. Isso livra o Brasil de enfrentar a França ou a Argentina logo de cara, já que essas potências também estão no pote 1.

Fonte: Lucas Figueiredo/CBF

 

Contudo, ao olhar para o conjunto 2 do sorteio, encontramos forças como Holanda e Alemanha, equipes que podem colocar algumas barreiras na vida do Brasil. No momento, olhando para todos os potes, um possível “grupo da morte” em que poderíamos ser sorteados seria Brasil, Alemanha, Polônia e Equador.

Com certeza, essa composição é bem mais fraca do que o histórico Grupo D da Copa do Mundo de 2014, que contava com Itália, Inglaterra, Uruguai e Costa Rica. Porém, independente de quem caia no grupo do Brasil, é importante que o senhor Adenor “Tite” Leonardo Bachi esteja com os caminhos do hexa muito bem desenhados.

Fonte: GE, UOL

1º de abril: entenda a origem

Matéria anterior

Procura por stand-up de Chris Rock disparou após tapa de Will Smith

Próxima matéria

Comentários

Comentários não são permitidos