5 dos experimentos científicos mais estranhos que se tem notícia

POR Thamyris Fernandes    EM Ciência e Tecnologia      03/11/14 às 17h59

Que a ciência está cada vez mais avançada, ninguém tem dúvidas. Acontece, no entanto, que esse campo do conhecimento precisa de estudiosos e de pessoas dispostas a enfrentarem os testes mais medonhos possíveis em nome de novas descobertas. (Clique para conhecer ainda: Experimentos psicológicos bizarros que jamais funcionaram).

Alguns desses experimentos mais intrigantes, aliás, você vai conhecer hoje. Confira a lista abaixo e veja 5 das experiências científicas mais estranhas que já foram feitas por aí:

1. A experiência do bicho-de-pé

1

Embora seja um ser pequeno e que não parece representar muito perigo para o ser humano, o bicho-de-pé pode ser um verdadeiro tormento. Ele costuma ficar sob a pele e se desenvolve graças ao sangue quente de seu hospedeiro. Além disso, lá, naquele buraquinho, ele defeca, bota ovos e vive por até 6 semanas.

Mas, sabe como todos esses detalhes, além do comportamento sexual desses bichos, puderam ser descobertos? Uma cientistas muito doida, de Madagascar, se interessou por estudar esse animal e o deixou viver em seu pé por dois meses!

2. Rejuvenescimento pelo sangue

2

As pessoas gostam tanto de fantasiar sobre vampiros e a propriedades rejuvenescedoras do sangue que a Ciência resolveu investigar esse assunto. Foi então que cientistas uniram os corpos de dois ratos, um jovem e um velho, para ver no que dava. O resultado foi surpreendente: com os sistemas respiratórios interligados, o rato velho acabou rejuvenescendo partes como músculos e o cérebro! (Conheça ainda outros experimentos científicos bizarros feitos com animais).

3. A grande responsável pelo medo

3

De acordo com a ciência, não existe só uma parte do cérebro responsável pela sensação de medo, pavor ou pânico. Bom, pelo menos é o que se sabe desde 2013. Antes disso, no entanto, acreditava-se que a amígdala era a única responsável pelos temores, pelo menos humanos, uma vez que os testes da área foram feitos com uma pessoa que havia lesionado essa parte do cérebro e não apresentava esse tipo de reação nem quando exposta a cobras e aranhas.

Um tempo depois, no entanto, essa mesma pessoa voltou a participar de outros testes e, no entanto, o resultado foi diferente. Isso porque ela precisou inalar CO2, substância que causa a sensação de asfixia. Dessa vez, a pessoa não ficou calma e sofreu um verdadeiro ataque de pânico, mesmo com as amígdalas lesionadas.

4. A incrível memória dos corvos

4

Muito cuidado na hora de perturbar uma ave, especialmente se tratando de corvos. Isso porque, segundo estudos realizados em Seatle, nos Estados Unidos, eles conseguem se lembrar do rosto das pessoas e identificá-las como perigosas, neutras ou amistosas.

Os estudiosos chegaram a essa conclusão, aliás, depois da experiência em que usaram duas máscaras diferentes, uma para capturar as aves e outra para quando agiam normalmente, sem perturbá-las. Cerca de dois terços dos pássaros testados agiram de forma repreensiva, quando viram novamente a máscara usada nas capturas.

5. Ressurreição de corações parados

5

Para mostrar que as barreiras para a ciência estão ficando cada vez menores, pesquisadores da Califórnia conseguiram, depois de muitos testes, transplantar corações mortos, ou seja, sem batimentos; para jovens babuínos. O mais interessante é que depois da troca, os cientistas
conseguiram fazer o coração voltar a bater. A nova técnica, aliás,consiste em transferir o coração do doador a uma máquina portátil, na qual o órgão é mantido em uma solução de conservação, ressuscitado e permanece aquecido até o transplante.

Thamyris Fernandes
EQUIPE FATOS DESCONHECIDOS, BRASIL

Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, Clique aqui.
Curta Fatos Desconhecidos no Facebook
Confira nosso canal no Youtube
Siga-nos no
Instagram
Siga Fatos Desconhecidos no Google+