Ciência e Tecnologia

Carro movido a hidrogênio pode andar até 1.000 km com uma única “carga”

hidrogênio
0

O Centro Aeroespacial Alemão (DLR, na sigla em alemão) desenvolveu um protótipo de carro híbrido que pode revolucionar o mercado automotivo. O projeto, chamado de Veículo Interurbano (IUV), funciona mesclando funções de um veículo elétrico e, ao mesmo tempo, é abastecido por hidrogênio, proporcionando uma autonomia de 1.000 km.

Oficialmente, o DLR considera que o IUV é um veículo híbrido de célula de combustível plug-in. Isso acontece porque ele combina uma célula de combustível com potência de 45kW, um tanque de pressão de hidrogênio de 700 bar e 7,5 quilos de armazenamento, além de uma bateria de 48 kWh.

Tudo isso, somado ao fato do carro pesar apenas 250 kg e ter um motor com potência de 185cv, proporciona uma condição para que o IUV possa trafegar por até 1.000km com uma única “carga”. A velocidade máxima é de 180 km/h.

hidrogênio

Centro Aeroespacial Alemão

Esse peso foi proporcionado graças aos materiais utilizados na construção do protótipo. Segundo o DLR, o carro é feito basicamente de polímeros reforçados com fibra, fundidos com alumínio.

“Este projeto envolveu a construção de um protótipo de carroceria para uso no banco de testes. Esse modelo dá uma primeira impressão de como o veículo pode parecer na prática, além de facilitar o desenvolvimento de componentes e tecnologias-chave. Com esse protótipo, podemos ver onde há espaço para melhorias e o que pode ser alcançado daqui para frente com parceiros da indústria e pesquisas”, disse Sebastian Vohrer, gerente do projeto IUV dentro do DLR.

Como ele é reabastecido?

O processo de reabastecimento do IUV em um posto de hidrogênio leva praticamente o mesmo tempo que os sistemas convencionais. A bateria também pode ser carregada separadamente, por meio de corrente elétrica, como se fosse um carro plug-in. A célula de combustível está localizada na frente do carro e a bateria atrás.

Como o carro tem mais de cinco metros de comprimento, tudo pode ser bem espalhado para garantir não apenas uma melhor distribuição do peso, mas também para favorecer a eficiência energética, já que ela depende também de fatores como a temperatura do veículo.

Centro Aeroespacial Alemão

Com sua alta autonomia e capacidade de levar até cinco passageiros (contando com o motorista), espera-se que o IUV, caso se torne um produto real, seja usado para longas viagens interurbanas. Caso isso não aconteça, a esperança é a de que ele seja, talvez, a base para outros carros e veículos eletrificados. O DLR não definiu prazos e nem se arriscou a dizer se vai levar o projeto para fins comerciais.

A diferença entre um carro elétrico e um movido a hidrogênio

Um carro elétrico é todo automóvel que, para se locomover, depende da energia de uma bateria, que alimenta seu propulsor movido à eletricidade. Já o carro movido a hidrogênio pode ser encontrado de duas maneiras: os que queimam o material como se fosse gasolina ou etanol, ou aqueles que fazem uso das células de combustível, transformando essa queima do componente químico em energia elétrica.

Sendo assim, no grau de emissão de poluentes, apenas os carros elétricos e os movidos à célula de combustível podem ser considerados zero emissão, já que o que resultará desse processo (no caso das células) será água. Enquanto isso, o modelo que queima hidrogênio ainda irá agredir o ar um pouco mais.

Fontes: Canal Tech e Yahoo

Leopardo invade fábrica da Mercedez-Benz na Índia

Matéria anterior

Estudo indica que o uso do celular não aumenta o risco de tumor no cérebro

Próxima matéria

Comentários

Comentários não são permitidos