Curiosidades

Casa onde ocorreram dois assassinatos está à venda nos EUA

0

A casa de Lizzie Borden, a mulher que supostamente assassinou o pai e a madrasta com uma machadinha em 1892, está à venda. Borden foi a julgamento logo depois que os corpos foram encontrados na casa, que está localizada na 230 Second Street, em Fall River, Massachusetts, Estados Unidos. Andrew Borden e Abby Borden sofreram golpes fatais na cabeça e vários outros no corpo. Especificamente, dizem que Borden acertou Andrew 11 vezes e Abby 19.

A arma do crime, hoje, está em exposição no Museu do Crime, em Washington. Embora Lizzie fosse constantemente vista brigando com o pai e a madrasta e tenha sido considerada por muitos culpada pelos crimes, ela acabou sendo absolvida no fim de seu julgamento. De acordo com o júri e a defesa, não havia nenhuma evidência, conectando-a diretamente ao duplo assassinato.

A casa

Hoje, o edifício, que antes carregava o triste pesar que a morte desperta, é aberto ao público. O local, nomeado como Lizzie Borden Bed and Breakfast / Museum, é equipado com móveis rústicos e é ilustrado por uma decoração retrô. Mesmo tendo sido reformado e reformulado, muitos dos que se hospedaram no local dizem que a residência ainda possui o ar sombrio do evento que ocorreu há mais de um século atrás.

Preparando-se para se aposentar, o dono resolveu colocar a casa à venda. De acordo com o The Seyboth Team, uma agência imobiliária de Massachusetts, aqueles que desejam adquirir o imovél devem desembolsar US$ 2 milhões – aproximadamente 11 milhões de reais.

A casa possui oito quartos, foi construída em 1845 e comprada por Andrew Borden no início da década de 1870, informou a WJAR, afiliada da CNN. “Há vários potenciais compradores”, disse a corretora imobiliária Suzanne St. John.

De todas as habitações, duas são suítes – uma pertencia a Andrew e Abby e a outra a Lizzie e sua irmã mais velha, Emma, ​​que não estava na casa quando o pai e a madrasta foram mortos. O corpo de Abby foi encontrado em uma das salas menores – a sala John V. Morse, onde o tio de Lizzie esteve na noite anterior ao assassinato.

Crime

O patriarca da família e sua esposa foram encontrados mortos na manhã de 4 de agosto de 1892. Ambos possuíam sinais de fortes pancadas que, segundo os investigadores, foram provocadas por um objeto pontiagudo e pesado, como, por exemplo, um machado.

Bridget Sullivan, a criada que trabalhava na residência, estava limpando as janelas da casa, quando, de repente, Lizzie surge dizendo que seu pai havia sido assassinado. Pouco tempo depois, o corpo de Abby foi encontrado no segundo andar da residência.

De acordo com as investigações, a madrasta foi morta primeiro, por volta das 9h da manhã. Conforme Cara Robertson, autora de “The Trial of Lizzie Borden” (Simon and Schuster, 2019), informou ao Publisher’s Weekly, Lizzie, desde o início, foi a principal suspeita, pois “tomou algumas atitudes suspeitas após os assassinatos, como destruir um dos vestidos que supostamente usava no dia do crime”.

Além disso, havia também inconsistências nos relatos de Lizzie sobre o que aconteceu naquele dia, o que acabou alimentando as suspeitas. Nesse ínterim, ressalta-se também que testemunhas descreveram uma mulher parecida com Lizzie tentando comprar ácido prúsico, um veneno mortal, em uma drogaria local um dia antes dos assassinatos.

Borden foi absolvida por falta de provas. Mas o fascínio público por sua história persistiu.

Fotos angustiantes revelam a epidemia de crack que devastou os EUA

Matéria anterior

10 comentários mais épicos da Fatos Desconhecidos #114

Próxima matéria

Mais em Curiosidades

Você pode gostar