Como as crianças entendem a mente dos outros?
Tempo de leitura:3 Minutos, 22 Segundos

Como as crianças entendem a mente dos outros?

Quando se pensa em crianças e a compreensão delas a respeito das coisas ao seu redor, geralmente, os adultos tendem a subestimar o quanto elas realmente podem estar atentas a tudo que está acontecendo e até mesmo sobre a mente dos outros. Na realidade, se pode esperar bem mais das crianças já em uma idade bem terna.

Em suma, durante décadas, os psicólogos concordaram que uma criança adquire uma teoria da mente durante a pré-escola. Os experimentos feitos sugerem que, aos cinco anos, a maior parte das crianças geralmente entende que as outras pessoas são seres psicológicos e tem seus próprios desejos, intenções, percepções e crenças, sejam elas verdadeiras ou não.

Ademais, desde os anos 1980, experimentos a respeito de compreensão das crenças falsas em outras crianças tem sido feitos. Eles foram feitos com o que se conhece como teste de Sally-Anne.

Experimento

Um típico exemplo desse teste é esse: um personagem, chamado Maxi, coloca um chocolate em uma caixa azul. Então, ele sai da sala e sua mãe entra. A criança que está observando vê essa situação enquanto a mãe tira o chocolate de Maxi da caixa azul e o coloca em uma caixa verde.

Depois disso, a mãe sai da sala e Maxi entra de novo. Então, se pede para a criança que está observando prever qual caixa Maxi irá abrir para procurar o chocolate.

Esse tipo de experimento foi repetido por décadas. Suas descobertas sugerem que 90% das crianças pré-escolares acreditam que Maxi vai abrir a caixa azul. Mesmo com pouca idade, as crianças parecem saber que Maxi está sustentado por uma crença falsa baseado no que ele viu.

Nova perspectiva

Contudo, será que esses resultados podem ter sido mal interpretados? Agora, novos dados de uma década de estudos de crenças falsas e verdadeiras em Phoenix, Arizona, desafiam esses resultados de longa data. Esses dados vieram de estudos feitos com 580 crianças entre quatro e sete anos.

Quando se adiciona uma terceira caixa, uma caixa vermelha, ao experimento, os resultados ficam bem diferentes. Com ela, os pesquisadores viram que as crianças ficam indecisas a respeito de qual caixa Maxi irá escolher. As respostas se dividem 50-50 entre as caixas vermelha e azul.

“Quando há apenas dois locais, crianças de 4 e 5 anos podem responder corretamente sem realmente entender que Maxi tem uma falsa crença sobre a localização da barra de chocolate. Adicionar um terceiro local resulta em adivinhar a chance entre os dois locais vazios”, explicou o psicólogo William Fabricius, da Universidade do Estado do Arizona.

As crianças parecem entender que Maxi não sabe que o chocolate está na caixa verde, porque não viu sua mãe o colocando lá. E apara eles, isso faz com que a caixa vermelha ou a azul seja a “escolha errada” inevitável de Maxi.

Pensamento

Esse tipo de pensamento é chamado pelos autores de raciocínio de acesso perceptivo ou PAR. E por mais que a criança entenda que ver leva ao conhecimento, ela não incorpora a memória de Maxi colocando o chocolate na caixa azul em sua resposta.

“Quando há apenas um local vazio, a caixa azul, as crianças respondem corretamente por padrão. Quando há dois locais vazios, caixa azul e vermelha, eles tentam adivinhar”, explicaram os psicólogos.

“Os usuários do raciocínio de acesso perceptivo têm um conceito imaturo de saber vinculado à situação presente e ainda não entendem que as pessoas têm memórias que persistem em toda a situação. Eles não entendem que Maxi pode se lembrar de colocar a barra de chocolate na caixa azul. As evidências dessa série de experimentos são consistentes de que as crianças não entendem a representação mental até os 6 ou 7 anos de idade”, explicou Fabricius.

Os autores desses novos experimentos sabem que seus resultados precisam ser replicados e mais estudados para explorar explicações alternativas. No entanto, ele levantou questão importantes sobre como as pessoas tem interpretado os experimentos famosos em psicologia do desenvolvimento.

Fonte: https://www.sciencealert.com/new-evidence-suggests-children-may-not-have-theory-of-mind-until-age-6-or-7