Natureza

Como os papagaios conseguem falar como humanos?

0

Já pensou o que se passa na cabeça de um animal? A verdade é que animais são muito mais inteligentes do que achamos. Por exemplo, sabia que um papagaio fugiu da casa de seus donos nos Estados Unidos e foi encontrado só quatro anos depois falando espanhol? Mesmo seus donos sempre falando inglês! Então como ele poderia ter aprendido outro idioma? 

Esse papagaio conseguiu tal feito porque, enquanto estava descobrindo o mundo, passou um tempo em contato com um homem do Panamá. Além disso, existem até papagaios talentosos, com carreiras de sucesso. Por exemplo, existe um que é vocalista de uma banda de heavy metal! 

Um papagaio já deu palestra para um auditório lotado. Essas provas mostram para nós que eles não são só capazes de reproduzir palavras, como também de formar frases inteiras. Mas a pergunta é: como eles conseguem?

O caso dos primatas

Vale lembrar que nossos parentes mais próximos no reino animal são os chimpanzés. Apesar da proximidade entre nós, nem eles conseguem conversar conosco. Isso porque compartilhamos 98.8% da nossa estrutura genética com eles! Além disso, muitas estruturas anatômicas que fazem com que sejamos capazes de falar também estão presentes nos chimpanzés. 

Com isso tudo, claro que cientistas já tentaram ensinar nossos parentes a falarem como nós. Fizeram até treinamentos intensivos, mas ainda assim não deu certo. Até hoje, nenhum outro primata além dos humanos conseguiu falar uma língua humana.

Sendo assim, eles se comunicam da maneira deles, mas não há comunicação verbal. Como que menos de 2% de diferenças no DNA é capaz de causar tantos impactos na capacidade de fala?

Anatomia das aves

Agora, como que um papagaio, que é totalmente diferente de nós geneticamente, consegue falar? A anatomia das aves é completamente diferente da nossa. Eles não têm dentes, lábios e nem a musculatura facial que nós temos. Ainda assim, fazem o que os chimpanzés não fazem.

Os sons que nós humanos usamos para falar são como A, M, S, O. Esses sons são apenas ar que saem como respiração, mas são moldados na nossa garganta e boca, nos lábios, língua e laringe. No caso de papagaios, que nem possuem essas estruturas, eles produzem esses sons em outra região.

A região que os papagaios ativam na hora da fala é a siringe. Ela fica na base da traqueia e é responsável por apertar ou relaxar os músculos dela. Essa mudança de formato é capaz de moldar o ar e criar diferentes sons.

O que nós humanos fazemos é ativar uma série de estruturas diferentes para sons diferentes. Por exemplo, se você quiser fazer o som de S, precisa encostar a língua no céu da boa. Se quiser fazer um som de O, tem que contrair os músculos faciais. Se quiser assobiar, é preciso contrair os lábios ao ponto de deixar apenas uma pequena passagem de ar. Nessa passagem, o ar se concentra, criando o som. 

Para os papagaios, tudo isso é possível apenas contraindo ou relaxando a traqueia. Tente produzir um assovio apenas com a traqueia. Não consegue, não é? Então sabemos que papagaios têm uma anatomia adequada para produzir esses sons, só não é a mesma que a nossa. Além disso, eles precisam de um cérebro desenvolvido. 

Cérebro do papagaio

Muitas aves, além do papagaio, têm cérebros bem desenvolvidos. Um exemplo é o peru-do-mato, que já nasceu tendo que se virar sozinho. O ovo é rico em nutrientes, o que permite um bom desenvolvimento para o pássaro. Essa espécie é o que chamamos de precocial.

Há também as espécies altriciais, que são os ovos com poucos nutrientes, o que gera filhotes vulneráveis. Algumas características desses filhotes são os olhos fechados, musculatura frágil e incapacidade de se alimentar. Por isso, são dependem completamente dos pais, sendo alimentados na boca.

Essa dependência é influenciada diretamente pelo tamanho do cérebro. Uma espécie precocial, que é capaz de se virar sozinha, já nasce com um cérebro mais ou menos desenvolvido. Ao longo da vida, ele não se desenvolve muito, já que no início de sua vida possui um certo grau de inteligência.

Já a espécie que têm filhotes dependentes, a altricial, nasce com um cérebro pequeno. Como o filhote é dependente, ele recebe muita alimentação dos pais, o que permite um desenvolvimento maior. O cérebro começa pequeno e se desenvolve tanto que supera o cérebro precocial.

O papagaio quebra essa regra. Isso porque o ovo de papagaio é rico em nutrientes, o que possibilita uma cria com um cérebro já desenvolvido. Além disso, são dependentes dos pais e recebem muita comida. Então, ele cresce e vira um adulto com inteligência acima da média, o que é essencial para sua sobrevivência. 

A inteligência do papagaio faz ele criar amizades, com isso, esses novos grupos protegem ele de possíveis perigos. Mas, diferente dos humanos, os papagaios não possuem uma comunicação universal. Basicamente, um papagaio australiano não consegue se comunicar com um papagaio chileno. Então, para sobreviver, ele precisa aprender os sons locais. Essa capacidade permite que os papagaios aprendam os nossos sons humanos e até alguns significados. 

Cientistas brasileiros criam luva que detecta pesticidas em alimentos

Previous article

Usar máscara nos faz mais atraentes, de acordo com estudo

Next article

Comments

Comments are closed.