• MAIS LIDAS
  • QUIZ
  • VÍDEOS
  • ANUNCIE

Conheça 10 invenções que foram descobertas por acaso

POR Rafael Miranda    EM Ciência e Tecnologia      03/12/14 às 19h36

Descobertas científicas, normalmente, são resultados de muitos estudos e invenções demandam muito tempo de planejamento. Mas há algumas vezes em que tudo parece acontecer por acaso. Confira 10 invenções acidentais:

1. Microondas

60

Em 1945, Percy Spencer, um engenheiro da empresa norte-americana Raytheon Corporation, estava trabalhando em um projeto de radar. Ao testar um tubo de vácuo que aciona um conjunto de radar conhecido como um magnetron, ele descobriu que uma barra de chocolate que ele tinha no bolso havia derretido. Ele experimentou com outros alimentos e concluiu que o calor foi gerado a partir da energia da nova invenção. O primeiro micro-ondas pesava 340 kg e custava US$ 500.

2. Quinino

61

O quinino é um composto com funções antitérmicas, antimaláricas e analgésicas e que, originalmente, vem da casca da árvore chinchona. Geralmente, nós o encontramos na água tônica, embora ele ainda seja usado em medicamentos que tratam a malária também. Diz a lenda que um nativo andino da América do Sul, que sofria de malária, bebeu de uma poça de água que estava no pé de uma árvore quina. A febre diminuiu, e ele foi capaz de contar história da árvore curativa. A descoberta teria sido disseminada pelos jesuítas. Na imagem, folha da árvore cinchona

3. Raio X

63

Em 1895, um físico alemão chamado Wilhelm Roentgen estava trabalhando com um tubo de raios catódicos, isto é, de feixes de elétrons. Apesar do fato de que o tubo estava coberto, ele viu que uma tela fluorescente brilhou quando o tubo foi ligado e o quarto estava escuro. Os raios, de alguma forma, iluminaram a tela. Roentgen tentou bloquear os raios, mas a maioria das coisas que ele colocou na frente deles não fez diferença. Quando ele colocou a mão na frente do tubo, ele percebeu que ele podia ver seus ossos na imagem que foi projetada na tela. Ele substituiu o tubo por uma chapa fotográfica para captar as imagens, criando os primeiros raios-x. A tecnologia foi logo adotada por instituições médicas e serviços de investigação.

4. Radioatividade

62

Em 1896, intrigado com a descoberta dos raios-x, o físico francês Henri Becquerel decidiu investigar a conexão entre eles e fosforescência, uma propriedade natural de certas substâncias que os faz emitirem luz. Becquerel tentou expor chapas fotográficas utilizando sais de urânio, como Roentgen havia feito com seus raios-x. Ele achava que precisava de luz solar para completar a sua experiência, mas, como o céu estava nublado, ele esperou por um dia ensolarado. Para sua surpresa, descobriu que as placas fotográficas foram expostas apesar da falta de luz. Mais tarde mostrou que os raios vieram a partir dos sais de urânio radioativos

5. Velcro

64

Em 1941, o engenheiro suíço George de Mestral foi para uma caminhada nos Alpes com seu cão. Ao voltar para casa, percebeu que as sementes da planta arctium haviam colado em sua roupa e no pelo do cachorro. Ele não tinha a intenção de criar um sistema de fixação, mas depois de constatar o quão firme essas sementes ficaram no tecido, ele decidiu criar o material que nós conhecemos pelo nome de marca Velcro. O material se tornou popular depois que foi adotado pela Nasa

6. Adoçante

65

Sacarina, um adoçante artificial, é algo em torno de 400 vezes mais doce que o açúcar. A substância foi descoberta em 1879 pelo químico russo Constantine Fahlberg, que estava trabalhando em uma análise de alcatrão de carvão. Após um longo dia no laboratório, ele se esqueceu de lavar as mãos antes de comer o jantar.

Ao notar que a comida estava doce, ele voltou para o laboratório, até que encontrou os resultados de uma experiência que combina ácido o-sulfobenzóico, cloreto de fósforo e amônia. Fahlberg patenteou a sacarina em 1884 e começou a produção em massa. O adoçante artificial se tornou popular quando o açúcar foi racionado, durante a Primeira Guerra Mundial.

7. Marca-Passo

66

Em 1956, o americano Wilson Greatbath estava construindo um dispositivo que poderiam gravar ritmos cardíacos. Sem querer, ele instalou de forma errada o resistor e notou que o circuito emitia pulsos elétricos. Isso o fez pensar no momento da batida do coração. Ele pensou que esta estimulação elétrica rítmica poderia compensar um colapso na capacidade do coração de bombear seus próprios músculos. Ele começou a diminuir o tamanho do dispositivo e, em 7 de maio de 1958, uma versão de seu marca-passo foi inserido com sucesso em um cão.

8. LSD

67

O cientista suíço Albert Hofmann estava estudando o ácido lisérgico, uma substância química poderosa que foi isolada pela primeira vez a partir de um fungo que cresce no centeio, quando sintetizou pela primeira vez o LSD em 1943. Ao trabalhar com este produto químico, cerca de cinco anos depois, Hoffmann relatou se sentir inquieto e com tonturas.

Ele foi para casa e "se afundou em uma espécie de embriaguez, que não era desagradável e que foi caracterizada por uma atividade extrema da imaginação", de acordo com suas próprias observações. Intrigado, ele intencionalmente ingeriu a droga no dia 19 abril de 1943 para descobrir os seus efeitos.

9. Massinha de Modelar

68

A massinha que as crianças brincam desde 1930 não foi inventada para ser um brinquedo. Ela foi inicialmente concebida pelo americano Noah McVicker, que trabalhou com seu irmão Cleo em uma empresa de sabão. Juntos, eles criaram um limpador de papel de parede. Mas antes que os McVickers saíssem do negócio, uma educadora chamada Kay Zufall apontou outro uso para o produto: crianças poderiam fazer decorações com o limpador de papel de parede. Os irmãos decidiram remover o detergente e adicionar corante, criando a massinha que conhecemos e brincamos.

10. Penicilina

69

Em 1928, Alexander Fleming, escocês e professor de bacteriologia, voltou para o seu laboratório depois de um período de férias. Ele havia esquecido algumas placas com cultura de microrganismos em seu laboratório, no hospital St. Mary, em Londres. Quando voltou da viagem, ele reparou que uma de suas culturas de Staphylococus tinha sido contaminada por um bolor. Ele notou que as bactérias não estavam crescendo em torno do molde. O bolor era o fungo produtor da penicilina, que foi introduzida na década de 1940, iniciando a era dos antibióticos.

Próxima Matéria
Rafael Miranda
Criando forças para segurar o forninho de cada dia. Instagram: @rafaelmiranda17
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, Clique aqui.


Matérias selecionadas especialmente para você

Curta Fatos Desconhecidos no Facebook
Confira nosso canal no Youtube
Siga-nos no
Instagram
Siga Fatos Desconhecidos no Google+