CuriosidadesEntretenimento

Conheça as gêmeas que sofriam bullying pelo cabelo natural, mas agora são modelos por causa dele

0

São muitas as histórias de pessoas que sofrem bullying, e com isso muda a vida delas. Ainda que a maioria tenha um final triste, muitas pessoas conseguem dar a volta por cima. E, em alguns casos, essa reviravolta é grandiosa. É o caso das gêmeas Cipriana Quann e TK Wonder.

Quando elas passam na rua, fazem todos se virarem par aela. Uma beleza exuberante e um magnífico cabelo empoderador. Hoje elas tem orgulho, e aceitam o cabelo delas como é. Mas nem sempre foi assim…

Há algum tempo atrás, elas costumavam odiar seus cabelos. “Eu estava começando a realmente odiar meu cabelo e vendo-o como um enorme obstáculo”, disse Cipriana.

Mas com o passar do tempo, elas decidiram parar de tentar mudar seu cabelo, e começaram a aceitá-lo. Isso eventualmente levou as jovens a serem reconhecidas como as rainhas dos cabelos naturais. No Instagram, elas dão inveja em todo o mundo. Além, é claro, de darem um lição de auto-estima e aceitação a todos os que as veem.

Mas as irmãs não são apenas belas modelos. Junto com sua amiga Nikisha Brunson, elas também são escritoras por trás de um blog de cabelo natural chamado “Urban Bush Babes”.

“Acho que já chegou a um ponto em que era depreciativo para as pessoas usarem seu cabelo natural. Havia um certo estigma e preconceito em torno de pessoas que usavam seus cabelos naturais ou um afro”, disse TK Wonder. “Tratava-se de derrubar estereótipos e percepções depreciativas que as pessoas tinham sobre o cabelo natural.”

Agora, tudo o que essas jovens fazem, elas fazem com ambição, confiança, paixão e, claro, cabelos grandes e naturais.

Magníficas

Confira algumas imagens de Cipriana Quann e TK Wonder com seus incríveis cabelos exuberantes:

Cabelo

O cabelo é definido como cada um dos pelos que crescem no couro cabeludo (que é a parte superior da cabeça do corpo humano). Existem, em média, 150 mil fios capilares em uma pessoa adulta e crescem em média 1 cm por mês.

Os cabelos se diferenciam dos pelos comuns pela sua elevada concentração por área de pele, e também pelo desenvolvimento em comprimento.

Os cabelos não são apenas para estética (dando forma e/ou valorizando o rosto). Eles também funcionam como um isolante térmico. Protegem a cabeça das radiações solares e da abrasão mecânica. Seu comportamento e aparência também pode ser um indicativo de diversas doenças.

O chamado Cabelo Cacheado (ou “encaracolados”) é um tipo de textura de cabelo típico de povos caucasianos de origem européia, especialmente celtas e mediterrâneos. É uma textura capilar caracterizada como intermediária ou moderada, tendo sido adaptada especialmente para o clima temperado.

Ao contrário do que muitos pensam, o cabelo cacheado não é uma “mistura” do crespo com o liso. Ele é uma variação do liso, desenvolvida nos humanos para suportar as altas temperaturas do sul do mediterrâneo.

Quando os seres humanos modernos (“homo sapiens sapiens”) migraram da África há 100 mil anos, eles já tinham cabelos encaracolados.

Milhares de anos depois, os humanos que se fixaram na Europa mantiveram os “caracóis”, enquanto os africanos não só mantiveram os cachos como os intensificaram, originando o cabelo crespo.

Os asiáticos e indígenas americanos, por sua vez, desenvolveram fios lisos para suportar os climas de suas regiões.

Quanto a coloração, o cabelo preto (ou negro) é a cor de cabelo predominante na raça humana, especialmente nos povos de raça não-europeia fora do Pacífico Sul. Ele possui grande quantidade de Melanina na sua estrutura, e por isso tem uma cor mais concentrada e intensa, resultando num tom escuro característico.

E então, leitor(a), o que achou do caso da gêmeas Cipriana Quann e TK Wonder? Gostaria de ter um cabelo como o delas? Você aceita seu cabelo natural? Deixa pra gente nos comments (:

Essa ilha é o lugar mais “alienígena” que você vai encontrar na Terra

Matéria anterior

25 ilustrações que mostram personagens da Disney na faculdade

Próxima matéria

Comentários

Comentários não são permitidos

Você também pode gostar