Em conversa reveladora, menor atirador de Goiânia defendia Hitler e o nazismo
Tempo de leitura:1 Minutos, 19 Segundos

Em conversa reveladora, menor atirador de Goiânia defendia Hitler e o nazismo

Goiânia foi palco de uma tragédia. No dia 20 de outubro, um aluno de 14 anos retirou de sua mochila uma arma que era utilizada pelos seus pais, policiais militares, e disparou contra os demais alunos de sua sala. O fato aconteceu no colégio Goyazes, uma instituição particular que fica na capital goiana. O ataque deixou quatro alunos feridos e dois mortos. De acordo com o jovem, ele atirou contra os adolescentes por sofrer bullying na escola. Ele também afirmou que eles o chamavam de “fedorento” com frequência.

Um dos adolescentes que morreram durante esse episódio tinha apenas 13 anos. Entre as outras quatro vítimas havia três meninas e um menino. O autor do disparo acabou sendo apreendido pela polícia e segue sob investigação. O que chamou a atenção foi uma conversa vazada entre ele e outro amigo.

Simpatização com o nazismo

O autor dos disparos usava uma conta no Skype com o nome “Adolf”. Nas conversas vazadas ele tenta a todo custo convencer um amigo de que o nazismo havia sido algo bom para a humanidade. O bate-papo veio a público depois do tiroteio, quando o pai desse amigo decidiu vasculhar as conversas do adolescente com o atirador no programa de bate-papo. Pelo que podemos ver nas imagens, o garoto baseava suas ideias e pensamentos em sites de notícias falsas e em teorias da conspiração.  Confiram um trecho das conversas abaixo e aproveite para compartilhar com seus amigos.

E aí, o que você achou disso tudo? Comenta pra gente aí em baixo e compartilhe com seus amigos nas redes sociais.