Entenda por que o sal pode ser a solução para desacelerar o aquecimento global

POR Isabela Ferreira    EM Ciência e Tecnologia      27/03/18 às 19h27

Apesar de tantas provas, muita gente ainda não acredita que o aquecimento global esteja presente em nossa realidade. Tratado sempre como o fenômeno responsável pelo aumento das temperaturas globais, é o resultado de intensas emissões de gases poluentes em nossa atmosfera, que dão ainda mais força ao efeito estufa. Em sua maior parte, a ação humana tem boa parcela de culpa para que essas reações em nosso planeta se desencadeiem.

A grande questão é que à medida que o tempo passa, mais sofremos com as constantes mudanças climáticas... Que podem acabar nos levando à extinção em um futuro não muito distante. Diversas conferências reunindo as maiores potências existentes já foram realizadas pelo mundo. A intenção é de que juntas, possam encontrar uma forma de amenizar o aquecimento global.

Muitas ideias já surgiram em eventos do tipo. A exemplo, podemos citar: encher os oceanos com limalha de ferro,  colocar gôndolas de gelo em balões na estratosfera, e até mesmo transportar um espelho gigante para o espaço, para que ele possa refletir os raios solares. Embora pareçam métodos improváveis, eles tem sua parcela de razão. No entanto, na última conferência ocorrida com o mesmo propósito, foi lançada uma ideia que pelo menos por enquanto, pode ser enxergada como uma boa solução.

Sal para desacelerar o aquecimento global

Robert Nelson, pesquisador sênior do Instituto de Ciências Planetárias dos Estados Unidos, propôs a ideia de que o sal pode ser a resposta para o problema, durante uma conferência ocorrida no Texas. Ele teria pensado nisso enquanto estudava o planeta Ceres, o maior do cinturão de asteroides. Percebeu que ele é coberto por manchas brancas, o que acredita ser o resultado de salmoura.

Foi aí que Nelson percebeu que poderia reproduzir o efeito em nosso planeta, usando o simples cloreto de sódio (sal). Para ele, polvilhar sal na alta troposfera faria com que nossa atmosfera ficasse mais clara, o que não afetaria de forma negativa nossos sistemas climáticos. Dessa forma, a camada salina poderia refletir a energia do sol, fazendo com que a Terra fique mais fresca.

Esta seria mais uma tentativa da geoengenharia - vista como um "plano B" que atua contra as mudanças climáticas. Nelson propôs que antes de ser efetivada, a ideia seja testada em uma região acima do que seria capaz de afetar diretamente a Terra. Assim, caso seja falha, não nos trará implicações. Segundo ele: "Embora os resultados de nossa pesquisa sejam muito promissores, estamos no início dela e do trabalho adicional necessário para entender até que ponto o efeito hipotético na atmosfera pode realmente ser realizado".

Ele ainda acrescenta que mesmo que seja um sucesso, este seria apenas um paliativo. A resposta para absolutamente todos os problemas ainda não existe. No entanto, a partir do momento que a energia solar fosse refletida, nossa sensação climática poderia ser adequada, minimizando o calor das regiões mais quentes do mundo. Em outras palavras, seria apenas a solução para desacelerar o aquecimento global, mas não para resolvê-lo de uma vez.

Controvérsias

Como a ideia ainda não foi testada, muitos cientistas se levantam para falar sobre os riscos. Assim como toda hipótese, esta também apresenta controvérsias. Segundo Matthew Watson, especialista em geoengenharia da Universidade de Bristol, o cloro poderia acabar rompendo a camada de ozônio devido aos seus clorofluorcarbonos. A presença do sal também poderia resultar na distorção da formação das nuvens.

A própria ONU já chegou a revelar que a pulverização de partículas acima da atmosfera não seria algo viável. No entanto, a proposta vem se mostrando cada vez mais necessária do ponto de vista econômico, social e institucional. Mas ainda há a preocupação de que se isso se torna realidade, será uma prática viciosa. Isso porque, uma vez iniciada não poderá mais ser abandonada. Os gases do efeito estufa ainda continuariam sendo acumulados na atmosfera e assim que a camada de sal se rompesse, por exemplo, eles invadiriam nosso planeta com força total.

A questão é que para implantar o método com segurança, seria necessário algumas décadas de estudo e mais trabalho. Por outro lado, nunca tivemos uma hipótese tão provável quanto esta, e que se colocada em prática, pode realmente ser a resposta para pelo menos desacelerar o aquecimento global.

E então pessoal, o que acharam? Compartilhem suas ideias com a gente aí pelos comentários!

Isabela Ferreira
EQUIPE FATOS DESCONHECIDOS, BRASIL

Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, Clique aqui.
Curta Fatos Desconhecidos no Facebook
Confira nosso canal no Youtube
Siga-nos no
Instagram
Siga Fatos Desconhecidos no Google+