Curiosidades

Essa imagem impressionante da lua foi tirada da Terra

0

O espaço fascina as pessoas. Assim como as coisas que tem nele. A lua é um dos corpos celestes mais pesquisados. Ela tem uma função importante para Terra. Ela influencia marés, movimenta os oceanos e é responsável pela vida nos mares. E mais, também faz com que a Terra mantenha seu eixo, sem titubear.

E esse nosso vizinho cósmico, e o único corpo do sistema solar que os humanos já pisaram, é bem conhecido. A lua é o único satélite natural da Terra e sempre bem estudado.

Um teste feito com um novo instrumento de imagem espacial deu aos pesquisadores um nova perspectiva extremamente detalhada do lugar onde a missão Apollo 15 pousou na lua.

Instrumento

Esse novo instrumento emitiu um poderoso sinal de radar na superfície lunar e conseguiu atingir uma resolução espetacular. Ele mostrou objetos de até cinco metros.

A tecnologia foi projetada para o Green Bank Telescope na Virgínia Ocidental pela Raytheon Intelligence & Space e abre caminho para imagens de radar ainda mais detalhadas no futuro. Isso pode, potencialmente, dar aos cientistas a oportunidade de estudar objetos que estejam tão longe quanto Netuno.

Contudo, imagens de radar da lua não é uma ideia nova. Isso é uma coisa extremamente útil para revelar estruturas finas na superfície e também em comprimentos de onda mais longos. Até mesmo sondar mais de 10 metros abaixo da superfície para conseguir observar variações na densidade do regolit0.

Mesmo assim, o Green Bank Observatory, o National Radio Astronomy Observatory e a Raytheon Intelligence & Space estão tentando levar essa tecnologia ainda mais longe.

Em novembro de 2019 um teste foi feito. Esse novo transmissor enviou um sinal de radar para a lua, especificamente no local de pouso da Apollo 15. Quando o sinal voltou para a Terra ele foi coletado pelo Very Long Baseline Array, que é uma coleção de radiotelescópios espalhados pelos EUA. Eles foram criados para fazer uma antena coletora do tamanho de um continente.

Imagem

A imagem tem um divot no meio superior dela, que é, na verdade, uma cratera chamada Hadley C. Essa cratera tem aproximadamente seis quilômetros de diâmetro. Passando por ela está o Hadley Rille, que é considerado como um tubo de lava destruído.

Agora que a equipe conseguiu obter a imagem isso não é nem a metade do que eles planejam. Eles irão trabalhar em um transmissor ainda mais potente. Ele será um sistema de radar de alta potência de 500 quilowatts e permitirá que os pesquisadores vejam com detalhes ainda mais incríveis.

Esse transmissor seria bastante útil para vários tipos de ciência. Será possível ver a nossa lua mais de perto, mas também, as luas de outros planetas. Ele pode até ser usado para conseguir imagens de asteroides e detritos espaciais, que passam pela Terra e são fracos para serem vistos com telescópios ópticos.

“O sistema planejado será um salto à frente na ciência do radar, permitindo o acesso a recursos nunca antes vistos do Sistema Solar aqui mesmo na Terra”, disse a diretora do local, Karen O’Neil, do Green Bank Observatory.

Por que o Texas, estado estadunidense de clima quente, sofre com frio ártico?

Matéria anterior

7 filmes que parecem uma viagem de LSD

Próxima matéria

Mais em Curiosidades

Você pode gostar