Compartilhando coisa boa

Esse homem adotou 5 irmãos para que eles não fossem separados

0

Muita gente sonha em ter uma família, seja ela em qual configuração for, e o caso desse pai solteiro mostra que a vontade e o amor superam qualquer possível adversidade. Lamont Thomas, de Nova York, adotou cinco irmãos com idades de um a cinco anos.

O homem já adota crianças desde 2000 e já criou mais de 30 jovens. Agora, depois de um longo processo, sua mais recente adoção, para fazer a família Thomas ficar ainda maior, foram esses cinco irmãos.

“Eu estava lutando para conter as lágrimas. Todos os dias penso nisso, meus olhos incham. Tudo o que suportamos para que isso acontecesse, foi algo surreal”, contou Thomas.

Família

Razões para acreditar

Atualmente, o pai solteiro tem ao todo 12 filhos em sua casa. Desses, 10 foram adotados e dois são seus filhos biológicos. “Lamont nunca recusou uma criança. Eles envelheceram ou voltaram para suas próprias famílias. Lamont nunca deixou de encher seus filhos adotivos de amor”, contou Michael, o primeiro filho que Thomas criou.

O pai solteiro começou a ajudar, há algum tempo, alguns amigos que tinham perdido o filho para o sistema. Como Thomas sempre queria ajudar mais, ele tirou sua licença para se tornar um pai adotivo. Quando a licença finalmente saiu, nada mais o impedia de fazer o bem.

Em 2007, ele adotou os irmãos gêmeos Germayne e Tremayne, junto com outras duas crianças chamadas Jamie e German. Pouco tempo depois, Thomas adotou o primeiro filho que ele criou, Michael. “Eu queria ser a diferença, eu queria fazer a diferença na vida desses jovens”, disse o homem.

“É incrível que ele esteja cuidando de todos eles. Ele faz qualquer coisa por todos. Ele é realmente um grande homem”, disse LaMonica, 27, filha biológica de Thomas.

Adoção

Razões para acreditar

Além disso, Michael disse que cuidar de crianças realmente é o “chamado de Deus” do seu pai. No caso dos cinco irmãos, quando Thomas soube da história desses cinco irmãos ele viu que tinha que agir.

Os irmãos Zendaya, 5, Jamel, 4, Nakia 3, Major, 2, e Michaela, 1, foram separados e tiveram quatro lares adotivos diferentes e separados uns dos outros. O pior foi que além de estarem em casas separadas, as crianças moraram longe umas das outras em quatro cidades diferentes.

Primeiramente, Thomas cuidou dos cinco irmãos antes de adotá-los oficialmente. Se não fosse por ele, as crianças ainda estariam vivendo separadas umas das outras. “Lutei por quase dois anos e meio só para conseguir juntá-los, e vencemos, conseguimos”, comemorou ele.

Outro caso

irmãos

Blog diversidade

Além do caso desse norte-americano, um casal brasileiro também teve uma história parecida. Jhonatan Wiliantan da Silva, de 28 anos, é casado com o enfermeiro Daniel Rocha Braz, também de 28 anos, e os dois adotaram cinco irmãos que moravam em um abrigo em Rio Claro, no interior de São Paulo. O casal adotou todos os irmãos para que eles não se separassem uns dos outros.

Antes de conhecer seus filhos, o casal considerou procurar uma barriga de aluguel para conseguir realizar o sonho de serem pais. Até mesmo uma tia de Jhonatan se voluntariou para carregar o filho do casal. Mas esse processo foi interrompido.

Foi então que ele conheceu as crianças: João Miguel, de 1 ano e 6 meses, Iara, de 3 anos, Harry, de 4 anos, Wendel, de 6 anos e Douglas, de 11 anos. Todos eles moravam em um abrigo em Rio Claro. Depois de conhecer as crianças, Jhonatan percebeu que a paternidade do casal poderia acontecer de outras formas.

“Eu vi que tinham muitas crianças que podiam precisar de mim. Eu sempre gostei de cuidar. Lá no abrigo falta o amor, o calor, o carinho que a gente tem na nossa casa”, pontuou ele.

Foi então que Jhonatan entendeu que as crianças já eram parte da sua família. Então, ele decidiu partir para a adoção. Quando ele entrou com o processo de adoção, ele soube que a mãe das crianças estava grávida de novo e que o bebê também iria para o abrigo. Assim, Jhonatan passou a ir ao abrigo de novo, mas dessa vez para cuidar de João.

Em dezembro de 2020, o menino saiu da guarda e ele decidiu que também adotaria o bebê. “Eu levei ele na noite de Natal. Deixei ele perto da árvore, chamei as crianças e perguntei: o que vocês gostariam de ganhar de presente?”, lembrou ele.

Fonte: Razões para acreditar

Imagens: Razões para acreditar, Blog diversidade

Idosa ganha “mamão japonês”, de 1 metro e 12 quilos

Matéria anterior

Em home office, casal trocou endereço fixo por praias brasileiras

Próxima matéria

Comentários

Comentários não são permitidos