Quase todo mundo tem um amigo que conta praticamente todos os seus segredos, não é mesmo? Bom, você não ficará muito alegre ao saber que alguns estudos feitos por estudantes universitários estão dispostos a revelar informações pessoais de seus amigos por uma única fatia de pizza.

Uma boa parte dos americanos, afirmam ser muito importante para eles controlar quem pode obter informações sobre eles. Outra parte já disseram que nunca se sentiriam confortáveis compartilhando informações por meio de e-mail.

Um novo estudo realizado no MIT descobriu que, quando se promete uma fatia de pizza, cerca de 98 por cento dos estudantes universitários estavam dispostos a começar a distribuir os endereços de e-mail dos seus amigos mais próximos. O estudo foi publicado pelo Instituto Nacional de Pesquisas Econômicas, e analisou cerca de 3.108 estudantes universitários do MIT. Os alunos foram convidados a ceder os endereços de e-mail de seus amigos mais próximos. A metade do grupo recebeu o incetivo de uma fatia de pizza se eles realizassem a tarefa. Desse grupo de pessoas, 98 % acabaram informando o endereço de e-mail de seus amigos para os pesquisadores.

Publicidade
continue a leitura

A outra metade do grupo acabou não oferecendo o incentivo, mas cerca de noventa e quatro por cento ainda forneceram os endereços de e-mail aos pesquisadores. Mas, no grupo que não teve o incentivo, 6 por centro dos participantes escreveram falsos endereços de e-mail. Para proteger a privacidade de seus amigos.

Publicidade
continue a leitura

"Enquanto as pessoas dizem que se preocupam com a privacidade, eles estão dispostos a renunciar aos dados privados com bastante facilidade quando estão incentivados a fazer isso", esclarecem os autores do es'tudo. O estudo se concentrou principalmente em uma criptografia introduzida no MIT e como os alunos se adaptariam com a novo tecnologia. Eles queriam saber basicamente como o comportamento dos consumidores mudou quando confrontados com uma escolha que "pode limitar a capacidade dos consumidores para proteger sua privacidade".

Eles descobriram que os consumidores foram tranquilizados por informações irrelevantes sobre privacidade ao fazer escolhas sobre a privacidade.

Publicidade
continue a leitura

"A introdução de informações irrelevantes, mais tranquilizadoras sobre a proteção de privacidade, tornas os consumidores menos propensos a evitar vigilância em geral", afirma os autores.

E ai, o que acharam da matéria? Comenta ai e não se esqueça de compartilhar com os amigos, lembrando que seu feedback é sempre muito importante.

Publicado em: 30/08/17 17h24