Notícias

Estudo aponta que xingar pode deixar uma pessoa mais corajosa

0

Pesquisadoras da Universidade Keele, no Reino Unido, descobriram que xingar deixa uma pessoa mais corajosa, aumentando a confiança, força física e os níveis de comportamento de risco de uma pessoa.

O estudo publicado no Quarterly Journal of Experimental Psychology envolveu dois experimentos: um com 56 participantes (32 mulheres e 24 homens) e outro com 118 (63 homens, 53 mulheres); um indivíduo não-binário e uma pessoa preferiu não revelar seu sexo.

O objetivo do estudo era identificar o mecanismo biológico em que o xingamento pode ser considerado benéfico para a realização de tarefas físicas. Por causa dos experimentos, a equipe notou que os participantes eram capazes de fazer uma flexão de cadeira por mais tempo depois de repetir um palavrão.

Assim, os participantes foram mais ousados durante uma tarefa online envolvendo encher um balão de borracha o máximo possível sem estourar. Enquanto o comportamento de risco foi 8% maior quando eles xingavam ao bombear a bexiga.

“Xingar parece produzir um estado de ‘cognições quentes’, que nos ajuda a minimizar os medos e preocupações diárias. Esse comportamento pode ser benéfico em muitos cenários, como quando você está se exercitando ou lidando com uma situação desafiadora”, afirmou Stephens, líder do estudo.

Ele explicou que o lado humorístico de alguns palavrões é um importante mecanismo psicológico para aumentar a força física: “Fornecemos evidências de vários possíveis mecanismos psicológicos pelos quais isso pode acontecer, todos relacionados à redução do autocontrole. Mas o humor, o lado engraçado dos palavrões, acabou sendo o mais importante dos fatores que avaliamos”.

O ato de xingar também estava presente em situações relacionadas a um comportamento de maior desinibição durante o experimento, demonstrando um aumento da autoconfiança. No entanto, os pesquisadores afirmam que é preciso uma investigação mais aprofundada sobre o tema.

Falar palavrão é sinal de inteligência e ajuda a controlar a dor 

Foto: Getty Images

“São muitas as vantagens de usar palavrões”, disse Timothy Jay, professor emérito de psicologia no Massachusetts College of Liberal Arts, que estuda o tema há cerca de 40 anos.

“Os benefícios de palavrões foram ressaltados nas últimas duas décadas, como resultado de muitas pesquisas sobre o cérebro e as emoções, junto com uma tecnologia aprimorada para estudar a anatomia do cérebro”, explica Jay.

Xingar pode ser um sinal de inteligência

Foto: Think Stock Photo

Em um estudo de 2015, foi notado que pessoas que possuem um grande vocabulário à sua disposição, foram melhores no uso de linguagem chula do que aquelas que possuíam um menor vocabulário.

Para Jay, autor do estudo, o uso é um sinal de inteligência “na medida em que a linguagem está correlacionada com a inteligência”. O estudioso acrescenta que “pessoas que são boas no idioma são boas em gerar um vocabulário de palavrões”.

Xingar melhora tolerância à dor

Foto: Bigstock

Para as pessoas que desejam aumentar o ritmo do treino, uma dica é xingar ao terminar a série mais difícil de exercícios.

Ciclistas que xingavam enquanto pedalavam em prova de resistência tinham mais potência e força do que aqueles que usavam palavras “neutras”, de acordo com estudos. Uma pesquisa também descobriu que as pessoas que falavam palavrões eram capazes de usar mais força e por mais tempo.

Porém, liberar palavrões não ajuda apenas na resistência, se você fechar a porta do carro no seu dedo, pode sentir menos dor se pronunciar “m***a” em vez de “meleca”.

“A mensagem principal é que xingar ajuda você a lidar com a dor”, afirmou o psicólogo Richard Stephens, em uma entrevista anterior à CNN americana.

Stephens explica que xingar produz uma resposta ao estresse, como uma forma de descarga de adrenalina, que aumenta o ritmo cardíaco e a respiração, preparando os músculos para a resposta conhecida como lutar ou fugir. Além disso, produz uma reação fisiológica chamada resposta analgésica, o que torna o corpo mais resistente à dor.

“Parece que, ao soltar palavrões, você desencadeia uma resposta emocional em si mesma, o que produz uma leve resposta ao estresse, que por sua vez traz consigo uma redução da dor induzida pelo estresse”, afirma.

Fonte: Olhar Digital, CNN

Homem com paralisia passa por cirurgia de implante no cérebro que possibilita comunicação

Matéria anterior

Pesquisadores encontram primeiro ninhal de dinossauros do Brasil

Próxima matéria

Comentários

Comentários não são permitidos