Curiosidades

Etiqueta comestível identifica bebidas e remédios falsificados

0

Bebida e remédio são duas coisas que a maioria das pessoas consome. Claro que cada um deles tem a sua função, hora e como deve ser consumido. Mas uma coisa que eles têm em comum é que precisam ser verdadeiros para não causar nenhum dano à saúde.

Muita gente pode achar difícil saber se uma bebida ou um remédio é falsificado, e realmente pode ser. Contudo, agora, uma etiqueta comestível com um código que pode ser lido pelo celular pode ajudar a identificar se as bebidas alcoólicas e os medicamentos são ou não falsificados.

A invenção foi feita por um grupo de engenheiros biomédicos dos Estados Unidos e da Coreia do Sul. Segundo os pesquisadores, eles colocaram essa etiqueta em garrafas de whisky de várias marcas e faixas de preço. E nos 10 meses de teste conseguiram escanear o código em um aplicativo de celular que aponta a autenticidade da bebida.

Etiqueta

G1

O primeiro experimento foi feito com whisky porque essa bebida tem um teor alcoólico maior, contudo, de acordo com os pesquisadores, a etiqueta também funciona com remédios líquidos que têm álcool.

“Itens falsificados, como medicamentos e álcool, são grandes problemas em todo o mundo. Queremos trabalhar com empresas farmacêuticas e produtores de álcool para ajudá-los a resolver esse problema”, disse Young Kim, engenheiro biomédico da Universidade de Purdue, nos EUA, e um dos líderes da pesquisa.

Com essa nova etiqueta, as empresas podem colocar o código nas embalagens das bebidas e remédios para ajudar os consumidores a saberem se o produto que eles têm em mãos é verdadeiro ou não.

Além disso, a etiqueta comestível pode ser colocada dentro de um copo sem causar riscos se ela for eventualmente engolida. E o melhor de tudo é que, conforme disseram os pesquisadores, ela não mudou o sabor do whisky.

Como saber

Click pb

A invenção dessa etiqueta é uma algo fascinante e que realmente pode revolucionar o mercado. Mas antes de ela ser inventada e até ela chegar ao mercado, como os consumidores conseguem saber se suas bebidas são ou não falsificadas?

No caso de vinhos, quando a pessoa compra vinhos envelhecidos, os especialistas aconselham tomar cuidado com as datas de produção. Segundo dados quantificados, os vinhos Bordeaux de 1900, 1928, 1945, 1961, 1982 e 1990 são quase sempre falsificados.

Outro ponto para ficar de olho é quando a garrafa estiver aberta. Nesse momento, é preciso prestar atenção na cor da bebida. Cada tipo de vinho tem sua própria paleta. Vinhos brancos são caracterizadas pela cor da palha densa, sem brilho esverdeado. Os vinhos tintos, por sua vez, devem ser intensamente coloridos. Em ambos os casos, um mínimo de sedimento é considerado normal.

Para quem gosta de conhaque, os consumidores devem saber que ele deve ser perfeitamente transparente, sem sedimentos e partículas flutuantes. A cor do conhaque depende da duração da exposição e dos barris em que estava contida. Um ponto que o consumidor tem que ter bastante cuidado é caso perceba uma aspecto acinzentado na garrafa.

E antes de comprá-la é possível fazer um experimento: vire a garrafa e veja como o conteúdo flui pelas extremidades. Se a bebida for real, faixas oleosas se formarão no vidro.

Detalhes

Gastros

Agora, a vodka é uma das bebidas mais falsificadas do mundo. Por isso é preciso ter um cuidado redobrado. No rótulo da garrafa deve constar a data do engarrafamento, o número da licença do fabricante, o endereço de produção, a marca de certificação e sua resistência. Além disso, é importante verificar se não existem partículas estranhas ao fundo da garrafa. Se houver, a bebida é de baixa qualidade diluída em água.

Outro fator certeiro de que a vodka é falsa é o cheiro de acetona. Isso acontece quando a vodka é feita de álcool metílico. O uso desse substituto pode causar danos irreparáveis ​​à saúde humana, incluindo a perda completa da visão.

Com relação à queridinha dos brasileiros, a cerveja, malte de cevada é a matéria-prima principal no processo de fabricação dela, além da levedura e do lúpulo. Portanto, cuidado com os ingredientes extras. Não é permitido o uso de adoçantes, corantes ou quaisquer maneiras de produzir sabores artificiais. Além disso, se atente à espuma. Ela precisa permanecer na superfície da cerveja por pelo menos 3 minutos.

Fonte: G1,

Imagens: G1, Click pb, Gastros

Homem recebe R$ 1,5 milhões de companhias aéreas com golpe da bagagem

Matéria anterior

Jornalista descobre morte do filho ao noticiar acidente

Próxima matéria

Comentários

Comentários não são permitidos