Curiosidades

Japonês conhecido como “Assassino do Twitter” é condenado à morte

0

Um homem acaba de ser condenado à morte por um juiz do Tribunal Distrital de Tóquio, no Japão. De acordo com o The Japan Times, Takahiro Shiraishi, de 30 anos, que ficou conhecido como o assassino do Twitter, será executado por ter cometido nove assassinatos em 2017.

Shiraishi perseguia indivíduos que pretendiam suicidar. Todas as pessoas que foram mortas pela mão do japonês enviavam-lhe mensagens pelas redes sociais. Segundo informações divulgadas pela imprensa internacional, Shiraishi mantinha contato com todas as vítimas até convencê-las a que era capaz de ajudá-las a pôr fim em suas próprias vidas.

O japonês se identificava no Twitter como “carrasco”. Depois de conseguir a confiança das vítimas, ele as convidava até seu apartamento, onde executava os crimes.

O assassino do Twitter

Entre agosto e outubro de 2017, Shiraishi estrangulou e esquartejou oito mulheres e um homem. Antes de exterminar as vítimas, o japonês as agredia. As idades das vítimas variam entre 15 e 26 anos. A maioria era natural de Tóquio.

A polícia encontrou os corpos de suas vítimas em refrigeradores instalados no apartamento de Shiraishi. As autoridades descobriram quem era o assassino do Twitter após investigarem o desaparecimento de uma mulher de 23 anos.

De acordo com The Japan Times, a jovem procurou incansavelmente no Twitter alguém que poderia ajudá-la a se matar.

Naokuni Yano, o juiz responsável pelo caso, descreveu os crimes como “os mais cruéis da história”. Yano aproveitou o julgamento para alertar a sociedade sobre a existência de outras possíveis pessoas que usam as redes sociais para cometer crimes similares.

O julgamento

A sessão foi extremamente exaustiva porque os advogados de Shiraishi defenderam veemente o fato das vítimas terem total conhecimento de que seriam mortas, assim que estivessem no apartamento do acusado.

Além disso, os advogados argumentaram também que o perpetrador não estava em seu juízo ao cometer os assassinatos. Em contrapartida, os promotores que defendiam as vítimas disseram que os depoimentos prestados por Shiraishi eram irrelevantes, pois não se sabe se as mesmas chegaram a resistir em algum momento enquanto os crimes eram praticados.

Em determinados momentos, o próprio Shiraishi deixou a entender que algumas minhas vítimas consentiram haviam consentido e, portanto, não haviam resistido em nenhum momento.

De acordo com documentos que foram divulgados pelo tribunal, Shiraishi, que mora em Zama, na prefeitura de Kanagawa, no Japão, disse que cometeu os crimes porque teve que conviver com sérios problemas familiares ao longo de sua vida.

O início de tudo

Sem nunca ter recebido apoio do pai, o japonês procurou conforto em mulheres, que se sentiam extremamente solitárias. Shiraishi, no entanto, seduzia somente mulheres que possuíam alto poder aquisitivo.

Todas as tecnicas de seduçao usadas pelo japonês são frutos da experiência que adquiriu enquanto trabalhava como recrutador de acompanhantes em Kabukicho, um dos bairros de prostituição de Tóquio.

O esquema de sedução se transformou em uma onda de crimes quando uma das mulheres que o japonês havia conhecido exigiu o reembolso dos gatos. A mulher em questão acabou se tornando a primeira vítima de Shiraishi.

“Se eles não tivessem me pegado, eu não teria me arrependido de nada”, admitiu o japonês.

10 dicas para um relacionamento durar, segundo Rui e Vani de ‘Os Normais’

Matéria anterior

Esse é o carro mais rápido do mundo

Próxima matéria

Mais em Curiosidades

Você pode gostar