Curiosidades

Joelhos pintados à mão, uma tendência de beleza esquecida

0

Tendências de moda são como um efeito sanfona: sempre vão e voltam. Hoje, por exemplo, o Top Cropped, utilizado nos anos 1980, está em alta, bem como as mangas bufantes e as calças Calças Flare – inspirada nos uniformes dos marinheiros norte-americanos. Estes são alguns exemplos que mostram como o vintage pode ser atual. Como todos nós sabemos, há inúmeros outros que poderiam constar aqui. No entanto, esse não é o nosso foco. Nosso foco é retratar uma tendência de moda esquecida e que, provavelmente, não irá voltar. E que tendência seria essa? Joelhos pintados à mão.

A tendência em questão surgiu em 1920, por conta de uma campanha publicitária de uma joalheria. De acordo com uma reportagem, publicada pelo portal de notícias Odditycentral, os joelhos pintados à mão foi uma das tendências mais quentes da indústria da beleza.

Joelhos em alta

A moda sempre refletiu o espírito de uma determinada época e, consequentemente, de uma geração. Os joelhos pintados à mão, mesmo sendo estranho à primeira vista, não foi uma exceção.

Tudo começou em 1920, quando novas versões de saias – consideradas mais curtas do que nunca (bainhas logo abaixo do joelho eram a versão dos anos 20 de uma minissaia) começaram a conquistar as mulheres.

A maioria daquelas que eram adeptas da moda utilizavam a peça com meias altas, as quais atingiam uma marcação acima do joelho. A exata combinação em questão apresentou à sociedade um problema: quando as mulheres caminhavam, as saias, ao entrarem em contato com a meia, faziam com que as peças começassem a se enrolar, indo, até então, para baixo do joelho.

Com isso, muitas mulheres acabaram desistindo de usar saias. Aquelas que queriam seguir investindo na peça, aderiram a ideia da campanha publicitária lançada pela joalheria. Ou seja, a maioria das moças passaram a usar meias abaixo do joelho, seguiram com as saias e, para completar o irreverente look, começaram a pintar rostos de pessoas ou personagens no joelhos.

Moda

Esse rouging, conforme exposto na reportagem do portal Odditycentral, ajudou as mulheres a atrair a atenção da sociedade para uma área do corpo feminino que nunca tinha ficado tão visível antes. Em meados da década de 1920, a tendência evoluiu e ganhou ares artísticos. Alguns desenhos eram tão bem elaborados, que acabaram sendo classificados por muitos como obras de arte.

Obviamente, muitas mulheres criavam os próprios desenhos. Algumas optavam pela aquarela, outras por tintas a óleo. As mulheres que tinham um poder aquisitivo maior pagavam artistas talentosos para realizarem o trabalho. Com o tempo, o teor dos desenhos mudaram. Passaram de rostos, para simples iniciais – muitas das quais eram dos namorados – ou florais e paisagens.

“A última moda, segundo me disseram, é que as mulheres ultra-inteligentes pintem os joelhos”, disse um leitor ao Tampa Bay Times em 1925. “Algumas mulheres têm fotos de seus namorados que foram reproduzidas nos joelhos. Algumas têm belíssimas paisagens, com navios totalmente equipados navegando entre os amplos portos. Outras têm de se contentar com miniaturas delicadas, cujos detalhes – perfeitos – devem ser vistos com uma lupa”.

A moda dos joelhos pintados à mão durou apenas cerca de uma década e, desde então, foi esquecida. Em contrapartida, segue sendo uma etapa digna de nota na emancipação das mulheres e uma bela maneira de afirmar sua independência.

Em partes profundas do mar, a última Era do Gelo não terminou

Matéria anterior

Os polêmicos tênis que carregam elementos que representam Satanás

Próxima matéria

Comentários

Comentários não são permitidos