Entretenimento

Johnny Depp afirma que Disney o expulsou de “Piratas do Caribe”

0

Durante o depoimento no processo de difamação que abriu contra a ex-mulher, Amber Heard, Johnny Depp afirmou que a Disney o impediu de se despedir de Jack Sparrow, seu personagem na franquia “Piratas do Caribe”.

A empresa decidiu cortar as relações com o ator após ele ser denunciado por violência doméstica, no ano de 2018.

“Minha sensação era de que esses personagens deveriam poder se despedir adequadamente. Existe uma maneira de acabar com uma franquia como essa. Eu planejava continuar até a hora de parar”, disse.

Piratas do Caribe: A Vingança de Salazar (2017) foi o quinto e último filme da saga. O ator contou que cogitou fazer parte do time de roteiristas da sequência, mas foi retirado da equipe após as denúncias de violência doméstica serem feitas.

“Eu não me surpreendo. Dois anos se passaram de constante sobre eu ser esse espancador de esposas. Então, tenho certeza de que a Disney estava tentando cortar os laços por segurança.”

O fim de Piratas do Caribe

Foto: Divulgação

Anteriormente, havia sido divulgado que o vício em álcool e os problemas financeiros vivenciados por Depp na época motivaram sua demissão. Porém, o astro afirmou que não conhecia essas acusações.

A defesa de Amber Heard relembrou algumas declarações em que Depp afirmava que não pretendia continuar na franquia. Ao longo das gravações do quinto filme, o ator reclamou constantemente do desenvolvimento do roteiro. Além disso, depois da demissão, Johnny Depp disse que não voltaria para uma sequência. O astro justificou que estava apenas descontando sua raiva.

Johnny Depp afirma que Amber Heard o deixou “destruído”

Foto: Getty Images

O ator Johnny Depp finalizou o seu depoimento na última segunda-feira (25/04) no processo de difamação que abriu contra a ex-mulher, Amber Heard, afirmando que ele foi vítima de violência doméstica em seu relacionamento e estava “destruído” quando o casamento acabou.

O quarto dia de Depp no ​​banco das testemunhas em um tribunal da Virgínia, nos Estados Unidos, também contou com os advogados do ator reproduzindo um áudio de uma conversa que ocorreu depois que Heard conseguiu uma ordem de restrição contra ele em 2016.

De acordo com Johnny Depp, ele concordou com o pedido de Heard de se encontrar em um quarto de hotel em São Francisco porque acreditava que ela poderia retirar a acusação de que ele havia cometido violência doméstica.

Na gravação, Depp pediu que o casal emitisse uma carta conjunta declarando que se amavam e que a mídia havia criado uma tempestade em torno deles. Segundo Depp, a sugestão foi uma maneira de encontrar um “acordo pacífico”.

Heard, conhecida por seu papel em “Aquaman”, resistiu à ideia e teria o desafiado a divulgar que foi ele quem sofreu violência. “Diga ao mundo, Johnny”, afirmou ela. “Diga a eles que eu, Johnny Depp – um homem – também sou vítima de violência doméstica.”

De acordo com Depp, ele respondeu: “Sim, eu sou”.

Entenda o processo

Foto: Reprodução

Johnny Depp, de 58 anos, está processando Amber Heard, de 36 anos, com um pedido de indenização de 50 milhões de dólares, após ela ter o acusado de  violência doméstica antes e durante seu casamento de aproximadamente dois anos. A atriz processou o ex-marido de volta pedindo 100 milhões de dólares, alegando que Depp a difamou chamando-a de mentirosa.

Em outro áudio do encontro em São Francisco, Depp ameaçou se cortar com uma faca.

“Isso é psicologicamente, emocionalmente onde eu estava”, relatou o ator. “No final, eu estava destruído … eu pensei: a única resposta está aqui, pegue meu sangue, isso é tudo que me resta.”

Depp declarou que nunca bateu em Heard ou em qualquer mulher. Além disso, o ator acusou a ex-mulher de difamá-lo quando ela escreveu um artigo em dezembro de 2018 no Washington Post sobre ser uma sobrevivente de violência doméstica.

Também nesta segunda-feira, os advogados de Heard apresentaram notícias que, de acordo com eles, mostram que o comportamento de Depp já havia prejudicado sua carreira no cinema bem antes do artigo de Heard.

Na semana passada, os advogados de Heard apresentaram e-mails e mensagens de texto que Depp enviou a Heard, amigos, familiares e associados. Em uma delas, direcionada para Paul Bettany em 2013, Depp disse: “Vamos afogá-la antes de queimá-la” e “vou f. seu corpo queimado depois para ter certeza de que ela está morta”.

Depp declarou que “não estava orgulhoso de nenhuma linguagem que usou com raiva”.

Fonte: Metrópoles, Notícias da TV, G1

Orkut de volta? Site é reativado e fundador promete novidades

Matéria anterior

Anvisa aprova produto medicinal novo à base de cannabis no Brasil

Próxima matéria

Comentários

Comentários não são permitidos