Entretenimento

O que tem exatamente dentro de uma espinha?

0

Certamente, durante sua adolescência, enquanto passava pela fase da puberdade, você sofreu com as terríveis acnes! Muito provavelmente, você tentou espremê-las, certo? Mas, você sabe o que exatamente é uma espinha? Ou até mesmo o que tem dentro de uma? Será que espremê-la é a melhor solução ou isso pode lhe causar mais problemas?

O que são as espinhas e os cravos?

As espinhas são nada mais nada menos que resultados do excesso da produção de sebo na pele. O aumento da oleosidade deixa os nossos poros entupidos e, assim, aumenta a proliferação de bactérias, que resulta nos cravos. Os cravos são os pequenos pontinhos pretos que aparecem na nossa pele. Quando ocorre a inflamação desses cravos, aquela marca ganha o nome de espinha.

A acne tem sua incidência maior durante a adolescência, pois é nessa fase que o nosso corpo passa pela maior transformação hormonal. Porém, existe também a chamada acne adulta, que pode ocorrer em pessoas com mais de 25 anos. Essas são menos frequentes e costumam aparecer sozinhas, sem a presença dos cravos.

Reprodução.

As espinhas ainda podem ocorrer em mulheres grávidas e nas que sofrem com a síndrome do ovário policístico. Por mais que acnes e cravos sejam comuns em peles oleosas e mistas, se você tem uma pele seca, ainda corre o risco de ter esses indesejados invasores. Seja por conta de estresse ou da má alimentação.

Tipos de acnes

E os tipos de acnes? Bom, temos a acne corporal, que é causada pelo excesso de oleosidade, que é a mais comum de todas e que pode aparecer em todas as fases da vida. Há ainda a acne solar, que está diretamente ligada à radiação ultravioleta, de quando o sol aumenta a produção de sebo e diminui as células de defesa, algo que se intensifica principalmente no verão. Inclusive, nestes casos, atingem as regiões do corpo que são mais expostas ao sol, por isso a importância de sempre usar protetor solar. A última espécie que podemos citar é a acne hormonal, que aparece principalmente na puberdade, gravidez e menopausa.

Sobre as espinhas internas, quais as diferenças delas para as externas? As internas são formadas pela mesma composição, excesso de oleosidade na pele e entupimento dos poros. As internas acontecem quando o entupimento dos poros é tão grande, que impede a saída do pus. Essas são as mais doloridas.

Posso espremer minhas espinhas?

A pergunta que não quer calar é: eu posso espremer minhas espinhas? Sim, você pode, mas isso não significa que você deveria. Para evitar que sua pele piore, é recomendável que você não esprema suas espinhas! Caso o faça e a sua pele e mãos não estejam devidamente limpas, as bactérias que ficam embaixo da sua unha podem entrar em contato com a sua pele e formar um cisto, que causará um problema ainda maior e mais dolorido. No caso das espinhas internas, por exemplo, há casos em que a infecção pode ser tanta, que será necessário fazer uso de antibióticos.

Reprodução.

Mas existe sim certas espinhas que você pode espremer. São aquelas espinhas “maduras”, aquelas com uma pontinha branca. Sabe? Essas espinhas são chamadas de pústulas. Com as mãos e rosto devidamente limpos, você pode fazer uma leve pressão dos lados da espinha, e ela deve sair facilmente, contudo, não use muita força pra isso! Se a espinha começar a sangrar ou sair um líquido transparente, pare imediatamente, pois esse é um sinal de que ela ainda não está pronta! Porém, cuidado, não esprema jamais aquelas vermelhas, pois são elas que vão deixar sua pele com cicatrizes definitivas e que podem acabar te dando ainda mais problemas!

E as espinhas internas?

Quando a espinha é interna e está dolorida, existem alguns métodos que podem te ajudar a diminuir o inchaço e, consequentemente, a dor. Por exemplo, você pode fazer uma compressa de água quente com alguns pedaços de algodão e deixar sobre a espinha por alguns minutos, isso a ajudará a sair de forma natural. Se preciso, repita o processo até que ela desapareça. Outro método é o vapor da água quente, que faz com que os poros se abram facilmente e com que o pus consiga sair. Esse método também é muito eficaz para a remoção dos cravos.

Reprodução.

Para evitar o aparecimento das espinhas internas, não esprema as externas e nem cravos, assim, você evita inclusive inflamações! Mantenha o rosto limpo e evite usar cremes não recomendados para seu tipo de pele. Eles deixam a pele ainda mais oleosa. Por isso, quando for usar, prefira os cosméticos em gel, e claro, fuja de alimentos gordurosos!

Para casos mais extremos, é essencial procurar um dermatologista para o tratamento que, geralmente, é feito com o uso de ácidos e antibióticos, e em alguns casos, por meio de remédios orais. Mas como cada caso é um caso, é importante a visita a um médico especializado, para te ajudar a achar a melhor solução para o seu tipo de pele!

Por que o espaço não é engolido pelos buracos negros?

Artigo anterior

Qual foi o primeiro papa do mundo?

Próximo artigo