Os médicos não acreditaram quando abriram o abdômen dessa mulher que parecia estar grávida

POR Isabela Ferreira    EM Ciência e Tecnologia      07/05/18 às 13h54

Qual a primeira coisa que você faz quando ganha uns quilinhos a mais? Uns simplesmente não se importam, mas outros já dão início a uma nova dieta e intensificam o ritmo dos exercícios físicos. Certo, mas e quando isso não resolve o problema? Quer dizer, quando você até emagrece, mas sua barriga apenas continua aumentando de tamanho? No caso de uma mulher, pode ser algo bem sugestivo, indicando que ela está grávida.

Foi exatamente nisso que acreditou uma mexicana de 24 anos. Sua barriga foi crescendo gradualmente, como se ela realmente estivesse passando por uma gravidez. Todos o que conviviam com ela já haviam se adaptado com a ideia de ter um bebê por perto, mas as coisas começaram a ficar bem estranhas. Seu estômago inchou dentro de poucos meses, velocidade anormal para considerar que ela apenas estivesse grávida.

A verdade por trás da história

A situação da mulher foi apenas piorando. Ela chegou ao ponto de ter dificuldades para caminhar, comer e até mesmo respirar. Foi só aí que seus parentes decidiram levá-la para uma consulta médica, onde conheceram o doutor Erik Hanson Viana. Após o primeiro ultrassom, que foi realizado para descobrir o que a mulher realmente carregava em sua barriga, todos ficaram incrivelmente chocados.

Ela não estava grávida. Os médicos descobriram que na verdade, ela sofria de um cisto no ovário que já havia se desenvolvido em proporções gigantescas, ao ponto de deixar sua vida em risco. Pasme, mas o tal cisto pesava nada menos do que 33 quilos! Não, você não leu errado. O pior é que os principais vasos sanguíneos da mulher estavam sendo comprimidos em seu corpo, o que possibilitaria a ocorrência de um ataque cardíaco a qualquer momento. Era preciso fazer uma cirurgia de emergência.

De acordo com o médico responsável pelo caso: "O cisto era tão grande que ocupava 95% do abdome da paciente". Para a realização do procedimento cirúrgico haviam duas opções: poderiam inicialmente drenar o líquido do cisto e em seguida retirar o restante por meio de uma operação, ou poderiam removê-lo de uma vez. Quando foi questionada sobre o que preferia, a mulher optou por retirar todo de uma vez, mesmo sendo alertada sobre a enorme cicatriz que ficaria em sua barriga.

Segundo Viana: "Remover tudo de uma vez também é difícil porque a parede do cisto tem menos de um milímetro de espessura e precisa ser impedida de secar, caso contrário, ele também poderia quebrar facilmente".

O procedimento

O principal medo dos médicos era de que o cisto rompesse dentro da paciente. Assim como grande parte dos cistos malignos, se isso ocorresse haveria disseminação de células tumorais para todo o corpo da mulher. Em um caso como este, o mais provável é que ela não saísse com vida da sala de cirurgia.

Mas felizmente, tudo ocorreu muito bem. Os médicos conseguiram conduzir a cirurgia da melhor forma possível e o cisto foi retirado com segurança, fazendo com que o estômago da jovem voltasse ao tamanho normal. Apenas dois dias depois ela já pôde deixar o hospital, e detalhe: 33 quilos mais leve do que chegou.

Como já era esperado, ela ainda ficou com algumas cicatrizes e excesso de pele, mas convenhamos... É um preço muito baixo a se pagar quando comparado à vida. Atualmente seu estado de saúde é excelente e ela pode viver como uma pessoa normal.

E então pessoal, o que acharam? Compartilhem suas ideias com a gente aí pelos comentários!

Via   Newsner     New York Post  
Imagens Newsner
Isabela Ferreira
EQUIPE FATOS DESCONHECIDOS, BRASIL

Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, Clique aqui.
Curta Fatos Desconhecidos no Facebook
Confira nosso canal no Youtube
Siga-nos no
Instagram
Siga Fatos Desconhecidos no Google+