• MAIS LIDAS
  • QUIZ
  • VÍDEOS
  • ANUNCIE


Pessoas estavam tentando roubar partes de múmia em caixas de som

POR Bruno Dias    EM Curiosidades      01/03/19 às 19h59

Poucas civilizações conhecidas pela humanidade carregam uma reputação de tanto mistério como a dos egípcios antigos. Ao longo dos vários séculos de pesquisas e estudos, conseguimos acumular muitas respostas sobre o Egito, mas ainda hoje, muitos mistérios comprovam que ainda há muito a aprender sobre esse povo.

O Antigo Egito foi uma civilização do norte da África, onde hoje está localizado o "Egito moderno". Essa foi uma das primeiras grandes civilizações da Antiguidade e manteve durante a sua existência uma continuidade nas suas formas políticas, artísticas, literárias e religiosas.

E quando pensamos em Egito umas das primeiras coisas que vem à nossa mente são as múmias, uma riqueza histórica deixada por esse povo. E essa riqueza não é somente histórica, ela é também riqueza material e valiosa que pode render muito dinheiro para quem as possui.

Tanto que uma tentativa de transportar ilegalmente partes de múmias egípcias foi registrada recentemente no Aeroporto Internacional do Cairo. Os raios-X do aeroporto viram as partes das múmias escondidas em um pacote que tinha como destino final a Bélgica.

Segundo o Ministério de Antiguidades do Egito, os restos recuperados eram uma porção do tronco, um braço, parte da mão esquerda, duas pernas e dois pés. Essas partes das múmias foram escondidas dentro de caixas de som para tentar passar pelo aeroporto e chegar ao seu destino.

Depois que as múmias foram descobertas, os oficiais do aeroporto confiscaram as partes do corpo e os arqueólogos foram examiná-los para terem certeza do que eram aqueles restos mortais. E a conclusão foi a de que realmente eles pertenciam a antigas múmias. Depois disso, as partes foram levadas para o Museu de Antiguidades do Cairo para serem restauradas.

Antiguidades

No Egito, todas as antiguidades que são originárias do país são consideradas como sendo propriedade do Estado, segundo a Lei Egípcia de Proteção às Antiguidades que foi promulgada em 1983. É certo que existem algumas exceções, mas a lei proíbe a propriedade privada de objetos que tenham valor histórico ou arqueológico, e isso claramente inclui os restos de humanos e animais.
Além do que, o comércio de antiguidades egípcias é estritamente proibido e a retirada de objetos antigos do país sem a permissão expressa de autoridades gera um multa e uma sentença de prisão que pode ser de até dois anos. E para que essa lei seja reforçada, uma equipe de arqueólogos fica no aeroporto do Cairo. E foi esta a equipe que informou ao ministério em primeiro lugar.

E mesmo com a existência dessa lei, ao tráfico de artefatos roubados ainda continua. Em 2016, por exemplo, objetos que tinham o valor estimado em 50 milhões de dólares foram mandados ilegalmente para os EUA. Esse caso foi o maior valor já registrado de artefatos egípcios sendo traficados em 20 anos.

Segundo os especialistas, desde 2011, os roubos aos sítios arqueológicos aumentaram graças a agitação política e instabilidade econômica do país. E com exames de imagens de satélites, mais de mil lugares em todo o país, entre 2002 e 2013, foram afetados. E entre 2009 e 2010, os saques dobraram, e dobraram novamente entre 2011 e 2013.

Próxima Matéria
Via   Livescience  
Imagens Livescience
Bruno Dias
EQUIPE FATOS DESCONHECIDOS, BRASIL
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, Clique aqui.


Matérias selecionadas especialmente para você

Curta Fatos Desconhecidos no Facebook
Confira nosso canal no Youtube
Siga-nos no
Instagram
Siga Fatos Desconhecidos no Google+