Notícias

Piloto dorme durante voo e autoridades da França acionam caças aéreos

0

Imagina só você estar em um avião e, ao olhar pela janela, perceber caças aéreos se aproximando da sua aeronave… Nesse sentido, essa situação foi vivida por passageiros da ITA Airways, em um voo que ia de Nova York até a Roma. O motivo foi o sono fora de hora do piloto.

Basicamente, ele ficou dez minutos sem responder aos chamados da Central de Controle de Marselha. Logo, isso acionou os alertas das autoridades francesas, as quais enviaram caças aéreos para derrubarem o avião. Por sorte, o comandante atendeu a tempo e tranquilizou a situação.

Fonte: Reprodução

Voar, voar, dormir, dormir…

Em resumo, essa pequena paródia com a música do cantor Byafra descreve bem uma das jornadas do piloto que causou todo esse alvoroço. Depois de sair dos Estados Unidos e cruzar o Oceano Atlântico, o condutor da ITA Airways voava sobre a Europa.

Na ocasião, ele estava a 38 mil pés de altitude (11.580 metros) e a 380 km de Marselha, cidade do sul da França. Então, por conta do ponto da viagem em que o voo estava, a Central de Controle transferiu a comunicação para a torre de Marselha.

Quando essa mudança se dá, o comandante precisa se apresentar aos novos interlocutores, de modo a mostrar que está tudo bem. Porém, no caso deste piloto dorminhoco, ele demorou cerca de dez minutos para responder aos chamados da central.

Fonte: Pixabay

Portanto, o que as autoridades francesas tinham em mãos era a informação de que uma aeronave desconhecida adentrava no espaço aéreo da França. Além disso, o piloto do avião não retornava às tentativas de comunicação da torre de comando. Nesse sentido, tudo parecia indicar que um ataque ao país estava em curso.

Dessa forma, coube à força militar francesa enviar caças aéreos para interceptar o avião. Ali, existia o risco dos aviões de guerra bombardearem a aeronave da ITA Airways, o que seria uma grande tragédia.

Por sorte, o piloto acordou a tempo de seu sono da beleza e respondeu à central de Marselha. Assim, os caças aéreos retornaram aos seus hangares sem levar riscos às pessoas a bordo. Enquanto esse retorno se dava, o avião comercial prosseguiu sua jornada até a capital italiana.

Dia ruim para quem dormiu no ponto

Depois de assustar a força militar de um país, o piloto recebeu o informe de que estava demitido da companhia aérea. Essa informação foi dada pelo jornal britânico The Telegraph.

A propósito, vale lembrar que o co-piloto também estava dormindo na hora em que a central de Marselha tentou contato. No entanto, esse sono tem a permissão do protocolo de voo desde que o comandante da aeronave esteja acordado, o que não ocorreu.

Fonte: KellyL

Basicamente, a situação foi tão constrangedora que um parlamentar italiano precisou pedir desculpas públicas à operadora estatal de voo. Em seu Twitter, Michele Anzaldi escreve: “O que aconteceu no voo do ITA de Nova York, onde ambos os pilotos teriam adormecido, é muito grave. A empresa tem o dever de garantir que isso nunca mais aconteça e deve pedir desculpas aos passageiros. Obrigado à Republica por informar sobre este episódio inaceitável.”

Em pronunciamento, a empresa disse que a demissão do comandante não se deu por conta do sono, já que ele negou que tenha dormido. De acordo com a organização, o problema foi o não cumprimento dos procedimentos de voo e de pouso. E isso inclui as lacunas na comunicação com a torre de comando.

No entanto, a instituição não quis dizer o que gerou os dez minutos de silêncio. Além disso, a empresa afirmou que nenhum passageiro correu risco durante o voo, visto que todos chegaram em segurança em Roma.

Fonte: UOL.

Casal esquece câmera ligada em evento da sinagoga e aparece em relações íntimas

Matéria anterior

Marmiteira do Paraná oferece refeições gratuitas para quem não tem condições de pagar

Próxima matéria

Comentários

Comentários não são permitidos