A ideia do "fim do mundo" está presente no imaginário popular muito antes da compilação dos textos bíblicos. Em 389 a.C as pessoas associaram a derrocada de Roma com o final dos tempos. O apocalipse, último livro da bíblia também reforçou a temática que envolve o temor de todo ser humano: a morte, o fim supremo, o desconhecido. De lá para cá, muitas datas foram apontadas como o último dia da Terra.

Em 1999, um texto atribuído a Nostradamus dizia que o fim do mundo estava marcado para acontecer no "sétimo mês", quando viria "do céu um grande rei do terror".

A virada do milênio, no ano 2000, também assolou medo e insegurança no mundo. Muitos milionários construíram bunkers e estocaram comida por medo e/ou precaução.

Em 2011, o apresentador de televisão Harold Camping fez uma previsão assustadora. Uma série de terremotos aconteceriam a partir de 21 de maio de 2011. Apenas 3% da população do mundo iria para o céu, segundo matéria publicada pela EBC.

Em 2012, o filme hollywoodiano com mesmo nome da data, instigou novamente o assunto e marcou milhões de pessoas que se amedrontam de tempos em tempos com a ideia do fim da existência no planeta.

Nibiru: o Planeta X

A nova teoria apocalíptica será causada pela aproximação do planeta Nibiru, também conhecido como Planeta X, que virá de encontro ao Sistema Solar e causará danos irreversíveis à Terra, no próximo dia 23 de setembro, no sábado.

Publicidade
continue a leitura

O responsável por crivar a "data cabalística" é o escritor americano David Meade, autor do livro Planet X - The 2017 Arrival ("Planeta X - A chegada em 2017). De acordo com matéria publicada pela Folha de S. Paulo.

Em 2012, também houve burburinhos dessa aproximação catastrófica entre os dois planetas, que acabou, obviamente, não se concretizando.

Catástrofes naturais

Teóricos da conspiração, espiritualista afinados com a ideia, acreditam que Nibiru é um planeta que já tinha sido observado e registrado nos primórdios da civilização terrestre. Supostamente textos sumérios, da civilização da Mesopotâmia teriam apontado a existência de Nibiru. Embora os especialistas afirmem que se trata de uma má interpretação da escrita mesopotâmica.

Para Meade, que alega ter estudado "astronomia e economia numa universidade do Meio-Oeste americano", o Planeta X é na verdade, uma estrela-anã. Ao seu redor habitam planetas e outros astros. A proximidade de todo esse conjunto causaria na Terra devastações terríveis como tsunamis, incêndios e outros episódios que terminariam por findar a vida neste planeta.

Publicidade
continue a leitura

Entre a Bíblia e a Ufologia

Meade associa suas teorias extraterrestres aos textos bíblicos. Ele acredita que o eclipse solar ocorrido no último 21 de agosto, foi um sinal de confirmação da aproximação de Nibiru.

Além disso, ele utiliza da numerologia para relacionar suas afirmações. Sua obsessão está no número 33.

"Jesus viveu por 33 anos. O nome Elohim, que é o nome de Deus para os judeus, foi mencionado 33 vezes [na bíblia]. É um significado bíblico, um número numerologicamente significante. Eu estou falando de astronomia. Eu estou falando da Bíblia... e eu estou mesclando ambas", ele explicou, em entrevista ao jornal americano Washington Post.

No dia 23 de setembro fará 33 dias desde que o último eclipse solar aconteceu.

Publicidade
continue a leitura

A opinião da NASA

Há anos que a NASA desmente a teoria de Nibiru. Na verdade, desde 1995, quando o assunto foi lançado na internet por Nancy Lieder que afirmava manter comunicações com alienígenas e previa a colisão do Planeta X com a Terra em 2003.

O cientista espacial sênior da NASA, David Morrison voltou essa semana a acalmar os ânimos da população mais crente.

"Não, não existe isso de um planeta chamado Nibiru", ele afirma. "Não, não é uma estrela-anã marrom rodeada de planetas, como as iterações de argumentos sugerem", ele insiste. "Não, não há nada em rota de colisão no curso da Terra. E sim, as pessoas deveriam superar isso", disse ele, segundo reportagem do Post.

Se por um lado o cientista trata o assunto como uma ideia ridícula, por outro, ele vê o lado positivo que as datas apocalípticas podem representar na vida das pessoas. Isso porque quando há pelo menos a dúvida, as pessoas tendem a ter momentos de reflexão, de como podem ser melhores e o que de fato, importa.

Resta observamos o céu de sábado à procura de algum sinal apocalíptico. Falhando a teoria, como as outras falharam, tanto melhor. Teremos mais um dia para aproveitar a vida, e tratá-la com mais respeito.

E você? Acredita na teoria de Nibiru? Já teve medo de alguma data que afirmaram ser o fim do mundo? Não esqueça de deixar o seu comentário sobre o assunto. Aproveite também para compartilhar a matéria com seus amigos e familiares. Se for mesmo o fim do mundo, é melhor estarmos preparados e bem informados. 

Publicado em: 21/09/17 14h05