Nas redes sociais, a Netflix faz questão de interagir com seus usuários. Suas numerosas publicações geram inúmeros comentários. Em 2016, por exemplo, a Netflix resolveu descobrir qual o conteúdo que seu público desejava ter acesso. Boom! A publicação, que gera interações até hoje, teve mais de 1,1 milhão de comentários.

Os pedidos dos assinantes são variados. Afinal, como gosto não se discute e a internet é um ambiente livre, surgiram pessoas pedindo, desde filmes antigos até produções trashes. Partindo desse cenário, existe uma pergunta que não quer calar: por que a Netflix faz questão de tirar filmes e séries do seu catálogo?

O portal de notícias UOL, por exemplo, fez questão de questionar o próprio streaming. No entanto, não obteve respostas. O Netflix, de acordo com o UOL, preferiu não se pronunciar. O motivo? Não sabemos. Mas sabemos o porquê certas produções são passageiras.

O vai e vem de produções na Netflix

Afinal, por que temos que lidar com o fato da Netflix tirar filmes e séries do seu catálogo? A plataforma não contestou o UOL, mas respondeu o Tecnoblog e, de acordo com o portal, as movimentações de produções acontecem porque a Netflix trabalha com conteúdos de vídeos licenciados.

As produções pertencem a diversos estúdios e, por serem licenciadas, possuem prazo de validade. Ou seja, assim que essas licenças de exibição vencem, o conteúdo, se não for renovado, tem que sair.

“Sempre tentamos manter os conteúdos de interesse do público, mas adquirimos as licenças de séries e filmes por um período determinado, não para sempre. Por isso, alguns títulos acabam deixando a Netflix”, explicou o serviço de streaming global.

Mesmo que tal realidade não seja aceita por muitos de seus consumidores e gere um mar de lágrimas, a plataforma fez questão de deixar registrado ao Tecnoblog uma maneira de lidar com o cenário.

Burocracias

Segundo a Netflix, caso uma produção, seja série, filme, curta ou documentário, que o usuário goste, estiver saindo, nesse caso, o consumidor pode escrever para a plataforma, pedindo que ela renove o licenciamento ou, em último caso, que possa sugerir novos títulos adicionais para compor o catálogo.

Além disso, vale lembrar que nem todos os pedidos podem ser atendidos. O licenciamento, o responsável pelo vai e vem que causa um burburinho quase toda semana, não pode ser feito da noite para o dia.

O trabalho que há por trás é árduo, afinal, além da tradução para as diversas línguas que a plataforma atende, há também a questão das cláusulas locais. E é também exatamente por isso, que o catálogo acaba sendo diferente em cada país.

De todas as formas, quando uma produção está prestes a deixar o catálogo, quem decide mesmo se o título será renovado ou não é a própria plataforma. E como a Netflix faz isso? Bom, levando em conta inúmeros fatores, mas os principais são: os direitos de renovação da licença para transmissão online ainda estão disponíveis? Qual é a popularidade da produção em questão? O custo do título em questão vale a audiência?

Essas e outras perguntas são constantemente analisadas a fio pela Netflix. E o que acontece caso a licença não seja renovada? Bom, nesse caso, entra a concorrência, como, por exemplo, o Amazon Prime Video, HBO GO, FOX+, Crackle, Globo Play, entre outras. Aquele que garantir a licenciamento da produção acaba garantindo também a exclusividade.