Notícias

Três fatias de queijo com furos de corações são vendidas a quase R$ 10

0

Na última semana, uma publicação gerou revolta nas redes sociais ao mostrar que um mercado da rede SuperPrix estava vendendo uma bandeja com três fatias de queijo, cheias de furos em formato de corações, por quase R$ 10.

Na postagem feita no dia 17 de junho, diversas pessoas fizeram piada com a situação, enquanto outras questionavam o produto. Entre os comentários, umas das maiores reclamações era que o quilo do item estava no mesmo preço do quilo da peça inteira, mesmo faltando a maior parte do miolo do queijo.

A rede SuperPrix declarou que não foi solicitado o produto no formato de corações e que a iniciativa foi de um funcionário, que foi advertido. 

“Como deixar menos queijo na bandeja e o preço continuar alto?? Ah já sei… faz uns corações. O povo é bobo e vai comprar por achar “fofinho”. Nego brinca muito, 72$ o quilo do queijo”, comentou uma mulher.

Outra internauta ironizou que seria pago quase dez reais para comer as cascas do queijo.

“Manoooo!!!… aí tu coloca no misto quente e derrete o amor 👌🤣”, brincou um homem.

Nota do mercado

Através de uma nota, o mercado afirmou que “a gerência do SuperPrix da Tijuca não solicitou o corte do queijo ao setor de frios. A iniciativa partiu de um funcionário que já foi advertido e as bandejas do queijo já foram retiradas. O SuperPrix preza pelo respeito ao consumidor, é contra qualquer tipo de desperdício de alimentos e se desculpa pelo ocorrido”.

Queijo de duas toneladas é produzido em festa para celebrar a produção de leite em município de MT

Foto: Reprodução/TVCA

Mas não são apenas acontecimentos que causaram revolta que estiveram relacionados ao queijo na semana passada. Isso porque um queijo de duas toneladas foi produzido em uma festa popular para celebrar a produção de leite em Curvelândia, a 311 km de Cuiabá, Mato Grosso. 

Essa é a décima segunda edição do evento. Neste ano, os moradores do município se mobilizaram para produzir o queijo.

Vale destacar que a atividade de produção de leite em Curvelândia envolve cerca de 600 propriedades.

Para a produção do queijo foram processados 18 mil litros de leite e 80 voluntários trabalharam. Além disso, três caminhões foram usados para transportar o queijo, de exatos 2.182 kg, para a praça pública, onde o queijo foi fatiado e distribuído para a população.

O município também conta com a produção de requeijão. A pecuarista Aparecida Alencar de Souza, que produz requeijão frito na manteiga, contou sobre o processo diário para a produção do alimento.

“Eu acordo 4h30 e faço café. Venho para o curral, tiro o leite, volto para a cozinha e começo o preparo do requeijão”, contou à TV Centro América.

A pecuarista informou que o leite é colocado em uma vasilha onde fica reservado para o dia seguinte. Depois do descanso, a coalhada é colocada em um saco e descansa por mais um dia. Após isso, é retirada a coalhada do saco e o leite é colocado para aquecer.

“Coloco aquela massa e vou mexendo. Depois acrescento a manteiga na panela e frito ele até virar o requeijão”, disse.

Cidade mineira tem o recorde de maior queijo do Brasil

Foto: Ailton Venâncio/ Divulgação

Apesar do queijo produzido em Curvelândia pesar 2.182 kgs, o maior queijo do Brasil foi criado em Ipanema, a 365 km de Belo Horizonte, Minas Gerais.

A cidade bateu o recorde, na tarde do dia 18 de junho, durante a tradicional Festa do Queijo. Durante o evento, foi apresentado um queijo de 2.453 kg. A auditoria foi realizada pelo RankBrasil. 

Para fabricar o queijo foram utilizados 25 mil litros de leite. A peça ficou pronta em um dia, mas passou seis dias maturando.

Fonte: G1, TV Centro América, R7

Perseverance, da NASA, descobriu ‘algo inesperado’ em Marte

Matéria anterior

Maior paçoca do mundo foi produzida em Boa Vista

Próxima matéria

Comentários

Comentários não são permitidos