Uma doença a deixa irreconhecível em apenas 3 semanas, mas ela tem um excelente motivo para não desisti

POR Gustavo Camargo    EM Curiosidades      11/07/17 às 13h58

A gravidez atualmente é muito pouco retratada nos filmes, e quando é mostrada tudo parece fácil, como se tudo fosse feliz, mas nem sempre pode ser assim. Pode haver vários tipo de contratempos que podem mudar a vida de uma pessoa nesse momento da vida.

Holly Gerlach, foi ter seu primeiro filho aos 26 anos. Como, para a maioria das pessoas foi um momento de muita felicidade. Depois de ser liberada do hospital, Holly passava seus dias em casa cuidando de sua filha. Depois de alguns dias ela nota que algo parecia estranho, Hooly começa a perceber uma dor no pescoço e uma fraqueza nas pernas.

"Estávamos sentados no sofá filmando Casey, que estava começando a segurar a cabeça por conta própria", escreve Holly em seu livro Happily Ever After. (Felizes Para sempre).

"Eu lembro, então, notei que uma das minhas pontas dos dedos estava um pouco adormecida, mas não pensei nisso. Era como o formigamento quando você se queimava, e percebi que devia me queimar em algo mais cedo e não prestei mais atenção a isso. Mais tarde, comecei a sentir-me realmente cansado e fraco e pensei que devia estar com a gripe novamente. Mas, muito rapidamente, minha fraqueza piorou. "

Após 72 horas, Holly foi diagnosticada  com uma doença rara chamada síndrome de Guillain-Barre. E em menos de 4 dias ela já estava completamente paralisada e não podia mais respirar sozinha.

A Síndrome de Guillain-Barré é uma doença autoimune que ocorre quando o sistema imunológico do corpo ataca parte do próprio sistema nervoso por engano. Isso leva à inflamação dos nervos, que provoca fraqueza muscular. Antigamente, acreditava-se que a Síndrome de Guillain-Barré era uma doença de um tipo só. Agora sabe-se que ela pode ocorrer de diversas formas e com tipo diferentes de sintomas.

Holly logo foi internada em uma UTI, onde ela passou dois meses e meio respirando por um ventilador e sendo alimentada através de um tubo no estômago.

"Casey é minha única filha. E eu estava tão animada em ser mãe. No hospital, tudo que eu conseguia era pensar nela. Só me lembro que tive muito medo." Disse Holly.

Cerca de quatro meses depois, ela começou a andar novamente, com o auxílio de uma bengala. "Ficava mais forte a cada dia. Foi incrível voltar para a casa com Casey. No começo, me sentia muito fraca até para pegar ela no colo. Além disso, apesar de eu estar sempre conectada a ela, demorou algum tempo para eu saber e entender porque ela chorava, por exemplo" Desabafou Holly.

E ai, o que acharam da história de Holly e sua filha Casey? Comenta ai e não se esqueça de compartilhar com os amigos, lembrando que seu feedback é sempre muito importante.

Via   Littlehings     MinhaVida  
Imagens Naoacredito
Gustavo Camargo
Gustavo Camargo, 18 anos, Goiano, Publicitário, Homão da Porra. Fascinado por League of Legends, Hearthstone, Lúcifer (série) e Literatura.

Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, Clique aqui.
Curta Fatos Desconhecidos no Facebook
Confira nosso canal no Youtube
Siga-nos no
Instagram
Siga Fatos Desconhecidos no Google+