5 monstros japoneses que poderiam te matar facilmente

POR Lucas Franco    EM Terror & Sobrenatural      15/09/15 às 14h50

A cultura japonesa é bastante rica, e também uma das mais antigas de todo o planeta. Quando se trata de sua mitologia, todo mundo sabe que alguns dos monstros mais bizarros vem dos mitos japoneses. Você deve conhecer a Raposa de Nove Caudas, mas saiba que as criaturas vão muito além dela. Basta assistir um bocado de animes e ler alguns mangás ou, se quiser se aprofundar ainda mais, pesquisar os mitos que cercam a cultura do país oriental.

A mitologia japonesa, portanto, também possui seu quinhão de monstros mitológicos, e talvez seja a hora de você conhecer alguns deles. A Fatos Desconhecidos separou os 7 mais assustadores que povoam o imaginário dos japoneses.

Ushi-One

Ushi-On

A gente sempre precisa estar atento ao andar pela praia. Nunca se sabe quando vamos pisar em um caco de vidro ou, ainda, em uma água viva encalhada. O que você não sabe é que ainda existe uma preocupação a mais: o infame demônio-boi que adora aterrorizar pescadores. Oi? Isto mesmo. O nome japonês é ushi-One, e ele foi um monstro lendário que, por muito tempo, assustou o Japão.

Agora que você já sabe o que é um ushi-One, é hora de saber como evitá-lo. Bom, um problema é que ninguém sabe exatamente como ele se parece. A aparência da criatura depende da região do Japão em que você está. Em alguns casos, ele vai ter um corpo de caranguejo e uma cabeça de boi. Em outros, será mais próximo a uma aranha. Alguns até acreditam que são apenas bois muito hostis. O templo Negoro-Ji, em Kagawa, descreve a criatura com presas e asas como um esquilo voador, enquanto as pessoas em Ehime acreditam que ele é mais parecido com um dragão chinês.

Otoroshi

Otoroshi

Só porque uma besta se lança sobre as pessoas para devorá-las vivas não significa necessariamente que ela é malvada. Tome o otoroshi como exemplo. Ele é um vigilante demoníaco usado para assustar crianças teimosas (como o boi da cara preta).

O otoroshi (também conhecido como odoro-odoro ou odoro-gama) gosta de viver em templos japoneses. Se você já esteve em um templo no Japão, já deve ter reparado nos torii - grandes portões de madeira ao redor da entrada que separam o mundo mundano do espiritual. Pois então, estas criaturas, peludas e com longas presas, ficam de tocaia em cima destes portões, esperando suas vítimas. Porque ele não é malvado? Bom, ele só devora pessoas más. Quem for até o santuário com fins legítimos será poupado, mas quem tiver um coração negro será imediatamente devorado. É ou não é uma ótima forma de fazer as crianças não serem desobedientes.

Mikoshi-Nyudo

Misoshi

Nem todos os monstros já aparecem como bestas. Alguns deles têm o dom de aparecer como humanos comuns até que seja tarde demais. O nome mikoshi-nyudo se traduz como "padre antecipado", já que o demônio pode assumir a forma de um padre errante que viaja a noite. Ele frequenta vilas tranquilas e distantes, onde pode roubar uma refeição humana sem muita dificuldade.

Ao encontrar um mikoshi-nyudo, você vai ter uma quantidade razoável de aviso de que algo está errado antes de ele tentar atacar. Depois de olhar em seus olhos, o pescoço dele vai crescer a um tamanho absurdamente longo. O mikoshi-Nyudo quer que você siga sua ascensão com o olhar: quanto mais alto você olhar, maior ele fica. Eventualmente, ele vai se tornar tão alto que você vai cair para trás. Nesse momento, ele vai atacar com seus dentes e garras. E fim. Você está morto.

Katakirauwa

Kata

Nem todo monstro precisa ser enorme e aterrorizante para ser mortal. Na verdade, se você deixar um porco correr entre suas pernas, há uma boa chance de isso ser a última coisa que você verá. O katakirauwa é provavelmente um dos monstros mais rápidos e eficientes da mitologia japonesa. Mas, acredite se quiser, ele tem a forma de um porco.

Seu método de ataque é muito simples. O katakirauwa detecta se existem pessoas sozinhas ao seu redor. Quando encontra alguém, faz um traço louco até eles. O porco pode não ter nenhuma garra ou dentes formidáveis com os quais atacar, mas ele tem uma habilidade especial: quando o katakirauwa passa por baixo das pernas de alguém, a alma desta pessoa é imediatamente drenada. Ficou com medo? Então tome cuidado quando encontrar um porco pequeno que não tem uma orelha e, mais importante, não tem sombra.

Yuki Onna

Yuki

Dependendo de qual região do Japão você está, alguns monstros mitológicos terão diferentes atitudes e personalidades. Uma entidade bondosa em uma região, em outra pode ser um demônio extremamente cruel. Este é o caso da Yuki Onna (mulher da neve) que pode assumir formas bem diferentes a depender do local. Alguns dos princípios básicos permanecem os mesmos em praticamente qualquer lugar. A Yuki Onna normalmente tem a pele branca como leite e veste um quimono da mesma cor. Às vezes, ela tem o cabelo preto e, outras vezes, branco. Ela sempre é descrita como uma beleza estonteante, assim como as sereias gregas.

O primeiro registro da Yuki Onna conta a história de uma senhora de 3 metros de altura que desaparece na neve assim que alguém fala com ela. Outros contos a retratam como uma mulher que pede água quente ou fria. A água fria faz com que ela inche, enquanto a água quente faz com que ela derreta. Outro conto a retrata como uma princesa que vivia na Lua, mas, entediada, acabou presa na Terra.

Mas seus contos não são todos bonzinhos. Em algumas regiões, ela pode ser uma força maligna de morte. Em uma versão de sua história, ela é um vampiro que gosta de congelar suas vítimas e, em seguida, extrair as almas de seus corpos. Em outra, ela tenta envolver suas vítimas em uma conversa, para então atacá-las de repente enquanto elas falam. Ou então ela ataca se a pessoa não responder. Como alguém pode não saber de antemão o que desencadeia um ataque, A Yuki Onna se torna uma ameaça constante.

 

Lucas Franco
O cara que gosta do Batman! @heymac14

Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, Clique aqui.
Curta Fatos Desconhecidos no Facebook
Confira nosso canal no Youtube
Siga-nos no
Instagram
Siga Fatos Desconhecidos no Google+