7 experimentos mais cruéis realizados pela Coreia do Norte

POR Isabela Ferreira    EM Mistérios & Horror      06/06/18 às 17h00

Sem dúvida, a Coreia do Norte é um dos países mas isolados de todo o mundo. Sua população vive sob o regime autoritário do líder Kim Jong-un, que à medida que o tempo passava, se mostrava cada vez mais cruel. Embora estejamos sendo surpreendidos por sua atual conduta, onde aparentemente busca devolver estabilidade e paz ao país, ainda há muito do que desconfiar. E claro, nada é capaz de apagar o passado.

Acontece que, mesmo antes da chegada de Kim ao poder, já era possível presenciar crueldade e violação dos direitos humanos na Coreia do Norte. Não é à toa que a própria Organização das Nações Unidas (ONU) já fez diversas denúncias contra o país. De qualquer modo, muitos experimentos bizarros e completamente desumanos já foram conduzidos por lá, que incluem desde procedimentos médicos desnecessários, até métodos de tortura.

Pensando nisso, nós aqui da Fatos Desconhecidos separamos abaixo 7 experimentos mais cruéis realizados pela Coreia do Norte. Confere aí!

1 - Experimentos cirúrgicos em prisioneiros

Sem dúvida, estes são um dos casos que mais chocam quando falamos de experimentos norte-coreanos. Um ex-guarda de uma das principais prisões do país, que acabou se desertando, alega: "As pessoas que realizam essas execuções e experimentos, bebem antes de fazê-lo. Mas eles são verdadeiros  especialistas agora... As vezes batiam nos prisioneiros com um marte na parte de trás da cabeça".

Sim, os prisioneiros passavam por cirurgias experimentais ainda conscientes, sem necessidade, e muito menos sem anestesia. Apenas para que você tenha ideia, muitos acabavam perdendo a memória e eram usados para a prática de tiro ao alvo. Quando as prisões estavam ficando vazias, havia uma van preta que saía em busca de mais pessoas, esta, que era conhecida como "o corvo".

2 - Fezes humanas utilizadas como fertilizante

Durante muito tempo a Coreia do Sul exportava fertilizantes para a Coreia do Norte, no entanto, haviam cessado a prática. Dessa forma, o governo norte-coreano tomou medidas drásticas na tentativa de resolver o problema. Exigiam que a população guardasse o próprio cocô, pois este seria o único adubo viável. Portanto, se as pessoas do país quisessem comer os alimentos cultivados em suas próprias fazendas, teriam que cultivá-los com as próprias fezes. Mas não era só isso... Até mesmo o comércio começou a vender excrementos.

3 - Repolho envenenado

A Coreia do Norte realmente não tem limites quando se trata de seus experimentos. Em um deles, 50 prisioneiras saudáveis foram forçadas a participar de algo em que obviamente, não conseguiriam sair vivas. Todas tiveram que comer folhas de repolho que continham um veneno mortal.

Como já era de se esperar, nenhuma delas sobreviveu. Mas não para por aí... Caso recusassem comer, uma vez que já sabiam do que se tratava, suas famílias sofreriam as consequências. Elas levaram em média 20 minutos para morrer, agonizando durante todo esse tempo. Se você estiver se perguntando os motivos para a realização de tal experimento, infelizmente a resposta é que ninguém sabe...

4 - Cidade vazia próxima à fronteira

E este é sem dúvida, um dos mais estranhos e misteriosos experimentos da Coreia do Norte. Há uma cidade chamada Kijong-Dong, na Zona Desmilitarizada, fazendo fronteira com a Coreia do Sul. O bizarro disso, é que não há ninguém morando lá, fazendo com que ela seja conhecida como cidade-fantasma. No entanto, as luzes são ligadas e desligadas em conjunto, e acredita-se que seja um temporizador automático.

Ninguém sabe ao certo a razão para a cidade existir, mas a hipótese é de que o governo norte-coreano tenha construído o lugar para demonstrar superioridade sobre a Coreia do Sul e, possivelmente, tentar atrair sul coreanos desavisados. No entanto, é nítido que não existe ninguém por lá. Os prédios, inclusive, parecem ser completamente ocos.

5 - Campo 22

O campo de concentração de Hoeryong, também conhecido como "Campo 22", é muito parecido com o que acontecia durante o Segunda Guerra Mundial. Lá estão presos políticos e toda sua família, que são submetidos a um regime desumano e completamente isolado do mundo lá fora. Segundo alguns desertores, os prisioneiros são submetidos a trabalho forçado, tortura, experimentos médicos (conforme citado anteriormente) e a taxa de mortalidade no lugar é enorme... Sugerindo que haja algum tipo de política de extermínio. Muitos inocentes estão presos no local.

6 - Testes com armas químicas em pessoas deficientes

Um cientista que desertou da Coreia do Norte e fugiu em direção à Finlândia, revelou coisas realmente horríveis. Segundo ele, armas químicas estão sendo testadas em pessoas deficientes e nem as crianças são poupadas. E não há nada que justifique tal prática. Tudo indica que o objetivo por trás disso, é apenas verificar como as pessoas morrem após passarem por tal experimento cruel. Esta é apenas mais uma das violações dos direitos humanos existentes na Coreia do Norte e é por essas e outras que pessoas de todas as partes do mundo pedem intervenção da ONU.

7 - Ajoelhado na madeira

Este é na verdade, um método de tortura utilizado pela Coreia do Norte, principalmente contra aqueles considerados inimigos do estado... Que normalmente são vistos assim, por possuírem um membro da família que conseguiu fugir do país. Essas pessoas são obrigadas a ficarem o resto de seus dias ajoelhadas sobre uma barra de madeira. Dessa forma, o fluxo sanguíneo é impedido. Dentro de uma semana em tal posição, já não seria mais possível andar. Um mês depois, a pessoa simplesmente morre.

E então pessoal, o que acharam? Compartilhem suas ideias com a gente aí pelos comentários!

Isabela Ferreira
EQUIPE FATOS DESCONHECIDOS, BRASIL

Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, Clique aqui.
Curta Fatos Desconhecidos no Facebook
Confira nosso canal no Youtube
Siga-nos no
Instagram
Siga Fatos Desconhecidos no Google+