A ostentação antes do Funk
Tempo de leitura:3 Minutos, 10 Segundos

A ostentação antes do Funk

Para a maior parte da humanidade, o combustível vital é a ganância; sempre queremos mais e mais dinheiro, seja para ostentar posses, guardar ou ter poder sobre outras pessoas. Mas existem exemplos na nossa História em que a riqueza e a falta de limites se encontraram, o que não é lá muito raro hoje em dia. Nadar no ouro, beber pérolas, usar roupas com diamantes e carros que soltam perfume ao invés de fumaça são alguns dos exemplos desses Bolts, Cristianos Ronaldos e MCs Guimês do passado. Confira a lista:

1 – Cleópatra

9-cleopatra

De acordo com o historiador Plínio, em seu livro História Natural, Marco Antônio teria dito a Cleópatra que não poderia gastar uma pequena fortuna apenas com uma refeição. Então dona da maior coleção de pérolas do mundo, respondeu ao desafio jogando um brinco seu – que valia 800 kg de ouro – no vinagre. Com a pérola dissolvida, minutos depois, bebeu o mais caro drink já feito. Estima-se que Cleópatra seja a 22ª pessoa mais rica da História. E dizem que, se não fosse por quem estava perto, teria bebido também o outro brinco. Mulheres…

2 – Calígula

tio_patiok

O segundo lugar vem com o insano e cruel governante romano, que era conhecido por organizar bacanais, vestir roupas de mulher com joias e todo tipo de luxúria material e sexual que se possa imaginar. Apesar disso, o maior fetiche de Calígula era o ouro, pelo qual era simplesmente obcecado: servia pães de ouro para seus hóspedes, misturava ouro triturado à ração de seus cavalos, jogava moedas no chão para andar sobre elas, e, por último, reuniu sua fortuna através de moedas empilhadas para que pudesse rolar e “nadar” nelas. E você, achando que o Tio Patinhas era vanguardista.

3 – Gordon Bennett

5-bennet

Esse playboy do século XIX era filho do fundador do New York Herald, já tendo nascido rico. Entretanto, diferente de seu pai, não conquistou nada – e, muito pelo contrário, gastou fortunas por mero capricho. Existem casos como o de quando ele jogou um maço de dinheiro no fogo, simplesmente porque esse não cabia em seu bolso. Ou quando comprou um restaurante inteiro porque alguém estava sentado em seu lugar habitual. Mas o prêmio vai para seu iate Lysistrata, que tinha um cômodo exclusivo para manter uma vaca. Isso era para que ele pudesse ter manteiga fresca toda manhã. A vaca, é claro, era tratada com muita atenção, e tinha até ventiladores elétricos em seu “quarto”.

4 – O marquês de Anglesey

02193012321017

Henry Cyril Paget, ou o quinto marquês de Anglesey, era um inglês que viveu há aproximadamente 200 anos. Paget faliu sua família por um vício obsessivo em roupas, que geralmente usava uma única vez para depois guardar indefinidamente. Era comum que suas roupas tivessem pedras preciosas e ouro. Quando teve sua mansão comprada, deixou 100 roupões de seda abandonados no guarda-roupa. Uma de suas extravagâncias mais memoráveis foi a de mandar trocar os escapamentos de sua coleção de carros para que soltassem perfume, e não fumaça.

5 – Evander Barry Wall

1-boots

Esse ricaço nasceu em 1860 e já era milionário aos 18. Com 22, multimilionário (lembrando que 1 milhão em 1900 valia muito mais do que hoje). Assim que herdou essa bolada, foi logo comprar um estoque de roupas que daria pra vestir várias pessoas por uma vida inteira, entre elas 300 luvas e 5 mil gravatas. O primeiro terno de gala da América também foi seu. Entre seus “feitos”, estão trocar de roupa mais de 40 vezes numa única manhã, o que fez por uma aposta. Outra aposta foi a que fez com o ator Robert C. Hilliard, de quem conseguia usar a roupa mais ridícula. Ganhou indo a um bar com botas de couro brilhantes, que iam até os quadris, no meio de uma nevasca. Um exemplo para nossos filhos (ou não).